No menu items!
28 C
Rio Branco
sábado, setembro 26, 2020

Covid-19: Brasil ultrapassa 40 mil mortes e tem 802.828 casos confirmados

Últimas

Prepare-se: preço do arroz vai continuar subindo até março de 2021, diz presidente da Associação dos Supermercados do Acre

O empresário Aden Araújo fez uma previsão sobre os sucessivos reajuste no preço do arroz no Acre, na tarde desta sexta-feira. São projeções nada...

“Vi muitos abusos sexuais em grupos da Ayahuasca”, diz antropóloga

Carlos Minuano Colaboração para o TAB A cientista Bia Labate se diz uma vítima de condições desafiantes no Brasil. A antropóloga brasileira foi morar na Califórnia...

Quem atenta contra as normas de segurança alia-se à Covid no “ataque” à saúde pública e à Nação

Com mais de 105 mil mortes no total, cerca de mil óbitos e 45 mil novos casos por dia, a Covid-19 segue ameaçando de...

Decano do STF, Celso de Mello antecipa aposentadoria para outubro

O ministro Celso de Mello, que tinha aposentadoria agendada para novembro, comunicou à presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) que antecipará a data para...

PF incinera quase meia tonelada de drogas em Cruzeiro do Sul

A Polícia Federal em Cruzeiro do Sul/AC incinerou, ao final da tarde de quinta-feira (23/09/20), quase meia tonelada de drogas. O montante destruído é...

O boletim do Conselho Nacional de Secretarias Estaduais de Saúde (Conass) sobre o estado da pandemia de coronavírus divulgado nesta quinta-feira (11/06) registrou 1.240 mortes e 30.412 casos de Covid-19 nas últimas 24h. Com esses números, o país chega a 40.920 falecimentos e 802.828 pessoas infectadas desde que o novo vírus chegou ao país em fevereiro deste ano.

Os estados com maior número de óbitos são São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Pará, Amazonas e Maranhão. O balanço do conselho (batizado de Painel Conass) foi criado no último domingo (07/06) após o Ministério da Saúde mudar a dinâmica de divulgação dos dados relativos à pandemia.

No ranking mundial elaborado pela universidade norte-americana Johns Hopkins, o Brasil aparece em 3º lugar em mortes causadas pelo vírus — atrás apenas dos Estados Unidos e do Reino Unido — e em 2º lugar em relação ao número de pessoas diagnosticadas — atrás dos Estados Unidos.

Depois de duas trocas de ministro seguidas — Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich pediram demissão depois de divergências com o presidente Jair Bolsonaro – o executivo federal passou a divulgar o balanço cada vez mais tarde (por volta de 22h), deixou de informar o total de casos e um empresário convidado para fazer a gestão sugeriu até que os mortos e casos seriam recontados por conta de possíveis imprecisões.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui