MPF recomenda ações para organização da área de embarque e desembarque no aeroporto de Rio Branco

Não existe espaço para passageiros no local, dominado pelos taxistas

O Ministério Público Federal (MPF) emitiu recomendação com prazo de noventa dias para que a Infraero inicie a execução do projeto de sinalização na área de embarque e desembarque de passageiros, seguindo todas as recomendações expedidas nos pareces técnicos emitidos pela RBTrans.

Segundo o procurador da República Lucas Costa Almeida Dias, que assina a recomendação, desde 2018 existem tratativas entre RBTrans e Infraero para que se inicie o processo de sinalização do local, porém a Infraero não apresentou até o momento o projeto de acordo com as adequações da RBTrans, o que impede que ele seja executado.

No texto da recomendação, Lucas Dias ressalta que não existe caso de outro aeroporto no Brasil em que os taxistas ocupem a área de embarque e desembarque de pessoas, como ocorre em Rio Branco, e que a sinalização é precária e a falta de fiscalização efetiva favorecem a desorganização do local, prejudicando usuários do Aeroporto que não desejam usar os serviços de táxi.

A Infraero tem 10 dias para informar ao MPF se acata a recomendação e relatar as ações tomadas para seu cumprimento, ou, por outro lado, indicar as razões para o não acatamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui