Editorial: a soberba do PT e o apego ao que nunca fez por Rio Branco. Investimentos são do município, não de partidos

Varrido das urnas nas últimas eleições, o PT acreano parece não querer aprender a lição. Insiste em zombar e desfazer dos que não se submetem à sua cartilha de tantos desatinos e tanta soberba. A postura de suas lideranças no estado é mau exemplo: ao invés de propor saídas, alternativas, caminhos, se concentram em atacar o que elegem como novos e velhos desafetos, pela única razão de não se curvarem a seus interesses políticos personalistas, tantas vezes mesquinhos e em tantas ocasiões pouco republicanos.

Vamos aos fatos:

A atuação da prefeita Socorro Neri na crise gerada pela pandemia da COVID 19 tem sido firme, embasada nas estritas recomendações dos especialistas, das instituições médicas, dos comitês representativos, no intuito de salvar e preservar vidas, de fazer achatar ao máximo a curva de contaminação. Em que pese as tentativas de desacreditar esse trabalho, aos boicotes por parte dos que não aceitam se submeter seus privilégios ao necessário e indispensável isolamento social, Rio Branco por várias semanas se manteve como uma das capitais em que o distanciamento foi mais bem sucedido. Isso mostrou o acerto das medidas tomadas pela prefeitura.

Entretanto, a prefeitura encontra oponentes e críticos sem embasamento, qualquer que seja o caminho tomado no enfrentamento à COVID 19. Há os que exigem uma prematura e açodada abertura de todos os comércios, sem critérios técnicos que justifiquem, o que só levaria ao caos ainda maior do sistema de saúde. E há quem aja de forma a passar falsa impressão de exigência de mais rigidez, propondo posturas radicais, sem que tenham que assumir as consequências sociais desse posicionamento. Concentram sua raiva na necessária interação das equipes estaduais e municipais de saúde. É sempre fácil criticar quando não se tem a responsabilidade de agir em defesa da população.

O PT precisa parar de querer considerar como exclusivamente suas as obras que deixou inacabadas no estado e no município. Chega a ser caso de estudo psicanalítico esse apego ao que partido não fez, não concluiu, e que demonstra tanta raiva de quem toca e realiza o que eles não conseguiram. É assim com os hospitais, é assim com o shopping popular. A prefeita nunca deixou de dar o crédito necessário a quem colaborou com a obra, mas essa é uma realização do município e não deste ou daquele partido.

Da mesma forma, em respeito à atual situação da pandemia, a prefeita Socorro Neri tem evitado ao máximo tratar de assuntos políticos e eleitorais, ao contrário do PT.

Para os petistas, essa parece ser a única e determinante preocupação. E o PT está longe de poder se arvorar em ter a primazia das soluções para a capital e para o estado, imaginando soluções que não foi capaz de executar em tantos anos de poder. Rio Branco e o Acre não precisam de salvadores da pátria. Precisam de gente que trabalhe com seriedade, com ética, com compromisso e sem proselitismo, sem ódio, sem exigir alinhamento ideológico, sem panelinhas. É esse horizonte que se descortina e que as passadas e derrotadas lideranças de ódio do PT não conseguem mais enxergar.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui