No menu items!
30 C
Rio Branco
quarta-feira, outubro 21, 2020

Bolsonaro anuncia Carlos Alberto Decotelli como novo ministro da Educação

Últimas

Caso Jonhliane: Ícaro e Alan viram réus, irão a júri popular e podem pegar até 30 anos cada

O fisioterapeuta Ícaro José da Silva Pinto e o estudante Araújo de Lima passaram da condição de acusados para réus no processo que apura...

Médico diz pra Rocha pedir pra “cagar”, renunciar e largar os privilégios do governo. “Quer enganar a quem”?

O médico Luciano Carioca perdeu a paciência com o vice-governador Major Rocha. Ele se sentiu incomodado com os ataques do militar ao governo e...

Coação e constrangimento: Estação Vip penaliza vigilantes e ameaça demitir quem não votar no candidato do coronel Ulisses

Os 250 vigilantes que trabalham na Estação Vip estão intimados a votar no instrutor de tiros Júlio Veras, candidato a vereador da capital. A...

Cruzeiro do Sul: sargento Adonis assume compromisso com taxistas

O candidato pela coligação “A Verdadeira Mudança”, Sargento Adonis, reuniu-se com taxistas na sede do sindicato, no Bairro da Baixa, na noite desta terça-feira...

Bolsonaro, Ciro Gomes, Dória e Lula apadrinham campanhas Brasil afora, mas nenhum deles vem ao Acre

O Blog do Assem apurou que os candidatos Bocalom (PP), Minoru Kinpara (PSDB) e Roberto Duarte (MDB) tentam em vão o apoio presencial de...

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou na tarde desta quinta-feira (25/06), por meio de suas redes sociais, que o novo ministro da Educação será o professor Carlos Alberto Decotelli da Silva.

Cerca de 20 minutos após o anúncio do presidente, a nomeação de Decotelli foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU).

O professor assume o cargo uma semana após o ex-ministro da pasta Abraham Weintraub anunciar que deixaria o governo, para assumir um cargo de diretor representante do Brasil no Banco Mundial, em Washington (EUA).

Oficial da Marinha, Carlos Alberto Decotelli da Silva presidiu o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) entre fevereiro e agosto do ano passado

De acordo com um levantamento do Metrópoles, feito à época, durante os 169 dias que ficou à frente do órgão, o agora novo ministro da Educação esteve ausente do FNDE 38 vezes, um total de 23% do tempo.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui