No menu items!
24 C
Rio Branco
domingo, setembro 27, 2020

Da cela para o gabinete: tenente Farias assume Batalhão Ambiental, onde ficou preso por 11 meses

Últimas

Prepare-se: preço do arroz vai continuar subindo até março de 2021, diz presidente da Associação dos Supermercados do Acre

O empresário Aden Araújo fez uma previsão sobre os sucessivos reajuste no preço do arroz no Acre, na tarde desta sexta-feira. São projeções nada...

“Vi muitos abusos sexuais em grupos da Ayahuasca”, diz antropóloga

Carlos Minuano Colaboração para o TAB A cientista Bia Labate se diz uma vítima de condições desafiantes no Brasil. A antropóloga brasileira foi morar na Califórnia...

Quem atenta contra as normas de segurança alia-se à Covid no “ataque” à saúde pública e à Nação

Com mais de 105 mil mortes no total, cerca de mil óbitos e 45 mil novos casos por dia, a Covid-19 segue ameaçando de...

Decano do STF, Celso de Mello antecipa aposentadoria para outubro

O ministro Celso de Mello, que tinha aposentadoria agendada para novembro, comunicou à presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) que antecipará a data para...

PF incinera quase meia tonelada de drogas em Cruzeiro do Sul

A Polícia Federal em Cruzeiro do Sul/AC incinerou, ao final da tarde de quinta-feira (23/09/20), quase meia tonelada de drogas. O montante destruído é...

O tenente Josemar Barbosa Farias, um dos alvos da Operação Sicário, comandará pelos próximos 30 dias o Batalhão de Policiamento Ambiental, onde ficou preso por quase 11 meses.
A confirmação foi feito pelo Comandante da Policia Militar, Coronel Ulysses Araújo.
O ex-oficial do Bope assumiu o Batalhão Ambiental, onde serve atualmente, porque é terceiro da hierarquia militar.
O comandante e o sub-comandante da unidade estão afastados.
O tenente Farias foi preso no dia 27 de Dezembro de 2018, durante a Operação Sicário deflagrada pela Polícia Civil.
O oficial foi acusado manter contato com membros de uma facção criminosa.
O agora comandante do Batalhão de Policiamento Ambiental foi denunciado por quatro crimes: corrupção passiva, peculato e prevaricação e também organização criminosa.
Dos crimes de peculato, corrupção passiva prevaricação o Juíz Alesson Bras da 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditória Militar, considerou que as provas apresentadas pelo Ministério Publico não eram suficientes para o recebimento da denúncia.
Já o processo de organização criminosa tramita na 3º Vara Criminal sob a condução de um colegiado de magistrados.
O advogado Mario Rosas, que defende o policial, disse que não existe nenhum impeditivo legal para o Tenente Farias assumir o posto. “ Ele tem mais de 30 anos como militar e tem todas as condições técnicas e operacionais para assumir o comando”, disse o advogado.
Farias aguarda sentença em liberdade desde o dia 27 de outubro do ano passado.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui