Paciente de 100 anos, o mais velho com Covid, deixa a UTI, espera alta e vira símbolo da sobrevivência no Acre

Nas próximas 24 horas deve receber alta no Hospital do Juruá, na cidade de Cruzeiro do Sul, no interior do Acre, o paciente Valderir Pacheco do Nascimento, curado de coronavírus. O idoso enfrentou o estágio mais agressivo da doença.

Com 100 anos de vida o ex-seringueiro é o paciente com idade mais avançada a ser tratado na rede pública de saúde do Estado a receber alta de uma Unidade de Tratamento Intensivo.

Ele foi internado no 7 sete do mês passado, com falta de ar, e passou três semanas na UTI respirando por aparelhos devido ao comprometimento dos pulmões.

A recuperação de seu Valderir Pacheco do Nascimento está acontecendo gradativamente, seguindo a aplicação dos protocolos do Ministério da Saúde para pacientes em estado grave de covid, conforme explicou à imprensa, nesta quinta-feira pela manhã, o diretor do hospital do Juruá, Marco Lima.

“A recuperação progressiva de seu Valderi Pacheco tem se tornado para nossa equipe hospitalar um símbolo vitorioso de nossa luta contra a covid dentro dos protocolos recomendados por nossas autoridades sanitárias”, comemorou.

Ao receber alta da UTI, no início desta semana, Valderi posou para fotos rodeado de servidores do hospital do Juruá – entre eles os médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, auxiliares e o pessoal do administrativo do hospital.

Todos registraram o momento em suas redes sociais em tom de comemoração e desejos que seu Valderir Pacheco possa voltar, logo, para casa.

Por enquanto, ele ainda permanece em observação na enfermaria para covid com previsão de alta para neste fim de semana.

“Os médicos já falaram pra gente que se ele continuar se recuperando no ritmo em que se encontra hoje, nas próximas 24 horas a gente já pode levar ele para casa”, disse um dos filhos do ex- seringueiro.

Francisco Pinho do Nascimento atribui a recuperação do pai aos cuidados recebidos da equipe médica e a fé em Deus.

” A gente rezou muito para ele sobreviver a esse momento difícil e ficamos muito agradecidos, também, à atenção da equipe do hospital que cuidou direitinho do meu pai aqui”, agradeceu.

O Estado já registra mais de 350 mortes por covid-19, todas ocorridas nos hospitais públicos, onde a grande maioria das vítimas é de pessoas de idade já bem avançada iguais ao ex-seringueiro Valderir Pacheco do Nascimento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui