No menu items!
24 C
Rio Branco
domingo, setembro 27, 2020

Deputado estuda ação judicial para barrar eleições da Aleac na próxima terça-feira

Últimas

Prepare-se: preço do arroz vai continuar subindo até março de 2021, diz presidente da Associação dos Supermercados do Acre

O empresário Aden Araújo fez uma previsão sobre os sucessivos reajuste no preço do arroz no Acre, na tarde desta sexta-feira. São projeções nada...

“Vi muitos abusos sexuais em grupos da Ayahuasca”, diz antropóloga

Carlos Minuano Colaboração para o TAB A cientista Bia Labate se diz uma vítima de condições desafiantes no Brasil. A antropóloga brasileira foi morar na Califórnia...

Quem atenta contra as normas de segurança alia-se à Covid no “ataque” à saúde pública e à Nação

Com mais de 105 mil mortes no total, cerca de mil óbitos e 45 mil novos casos por dia, a Covid-19 segue ameaçando de...

Decano do STF, Celso de Mello antecipa aposentadoria para outubro

O ministro Celso de Mello, que tinha aposentadoria agendada para novembro, comunicou à presidência do Supremo Tribunal Federal (STF) que antecipará a data para...

PF incinera quase meia tonelada de drogas em Cruzeiro do Sul

A Polícia Federal em Cruzeiro do Sul/AC incinerou, ao final da tarde de quinta-feira (23/09/20), quase meia tonelada de drogas. O montante destruído é...

O deputado Fagner Calegário disse na manhã desta sexta-feira que estuda ajuizar ação  pedindo, em liminar, que a justiça proíba a antecipação das eleições da mesa diretora da Assembléia Legislativa. Os parlamentares se reunirão na terça-feira que vem.

“Sinceramente não consigo enxergar ilegalidade mas também não vejo como legal antecipar as eleições. As pergunta que tem que ser feita é: porque ? Vão abandonar a luta contra a pandemia da Covid? Quais os interesses? Quais os medos? De quem é o interesse de que essa eleição aconteça? Estou pronto para o diálogo franco e que sobretudo não ponha em risco a independência desse poder”, afirmou.

As eleições na Aleac ocorrem somente em fevereiro de cada ano. O bloco governista entende que haveria dificuldade para reeleger o presidente após as eleições municipais de novembro, tendo em vista que não se sabe como estarão os ânimos no cenário político até lá.

“Enquanto não for construída a unanimidade entres os deputados essa eleição não terá meu apoio. Precisamos dialogar com todos a fim de se cumprirem a constituição Estadual e o regimento interno da Casa”, afirmou o deputado.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui