Refém diz que viatura resgatou bando que usava farda da COE, rendeu sete da mesma família e levou dois carros importados

Sete pessoas da mesma família passaram cinco horas sob a mira de pistolas, no Ramal Samaúma, entre os municípios de Plácido de Castro e Acrelândia, neste domingo. Cinco homens que usavam fardamento da COE – Companhia de Operações Especiais da Polícia Militar- se esconderam sob uma ponte, esperaram o momento certo e renderam as vítimas, que estavam a caminho de Rio Branco, numa caminhonete importada, por volta de 14 horas.

Os criminosos levaram as sete pessoas para dentro da mata, e tomaram celulares, dinheiro e jóias. Três deles ficaram no local, apontando armas e exigindo silêncio absoluto, enquanto outros dois voltaram à propriedade da família para render outro casal. Eles voltaram com um Corolla, também pertencente á família. Os dois carros seguiram por direção ignorada e até o fechamento desta reportagem, por volta de 10:15 h, ainda não haviam sido recuperados. A família cria gado, tem um dos maiores laranjais da região e também revende grande quantidade de leite e seus derivados.

O mais curioso de toda essa história vem a seguir:

“Três deles foram embora nos dois carros. Dois ficaram com a gente, na mata, até escurecer completamente. Eles diziam que uma pessoal estava vindo buscar eles. E que iam libertar a gente. mas se a gente chamasse a polícia eles voltariam pra matar todo mundo. Por volta de 7 horas da noite passou uma viatura da polícia com aquelas luzes todas, e parou na beira do ramal. Foi quando eles saíram e mais uma vez disseram  pra gente não ligar pra polícia. Daí eles sumiram na escuridão”, relatou um dos reféns. Seu nome será preservado, a pedido dele.

As buscas pelos criminosos foram feita pelas polícias dos dois municípios com auxílio da delegacia de Campinas.

A Secretaria de Segurança não se pronunciou.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui