Alan Rick intervém por melhorias na Delegacia de Repressão ao Narcotráfico do Acre

O deputado federal Alan Rick (DEM) esteve na tarde desta terça-feira, 08 de setembro, com o secretário substituto da Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas, Diogo Soriano, e a Coordenadora-Geral de Políticas Públicas da Diretoria de Articulação Institucional da SENAD, Paula Brisola, para tratar do projeto de reestruturação e fortalecimento da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico – DENARC, do estado do Acre.
Alan Rick recebeu solicitação de apoio ao projeto da delegada Márdhia El Shawa que realiza um importante trabalho, juntamente com a equipe da SEJUSP/AC, na repressão ao tráfico de drogas, apreensão de veículos, equipamentos e bens oriundos do tráfico no Estado que são, posteriormente, levados a leilão.
“Fiquei muito feliz em ouvir do secretário  Diogo Soriano, e da coordenadora Paula Brisola, que o projeto da DENARC do Acre será colocado como prioridade na Secretaria e que é grande a possibilidade de celebrar o convênio com o estado do Acre antes de dezembro deste ano”, destaca Alan Rick.
De acordo com a delegada Márdhia El Shawa, o Acre é o único estado brasileiro a fazer fronteira com Peru e Bolívia, países responsáveis por 30% de toda a produção mundial de cocaína. Essa posição estratégica do estado se tornou um ímã para facções criminosas do Rio de Janeiro e de São Paulo, que se estabeleceram em território acreano.
“Esse projeto, defendido pelo deputado Alan Rick junto a SENAD, visa o fortalecimento da Denarc e, consequentemente, o fortalecimento da segurança pública estadual, pois irá aparelhar a Delegacia responsável pela investigação do tráfico de drogas em nosso Estado”, destaca a delegada.
Segundo Alan Rick, a celeridade na disponibilidade dos bens apreendidos do tráfico de drogas é fruto da aprovação da Medida Provisória 885/19, em outubro de 2019, que permitiu a desburocratização do acesso aos bens apreendidos do narcotráfico.
Para que o trabalho possa avançar, a DENARC precisa ser reestruturada com a aquisição de equipamentos de inteligência e computadores, scanner gerador de imagem para fiscalização de veículos, viaturas táticas dissimuladas, viaturas para o trabalho de inteligência e veículo tipo van, entre outros equipamentos e recursos para possibilitar o avanço das ações policiais de enfrentamento ao narcotráfico e aperfeiçoamento dos métodos investigativos no estado. Ao todo o custo do projeto é de R$ 4 milhões.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui