No menu items!
27 C
Rio Branco
quinta-feira, outubro 1, 2020

Fachin vota pela cassação definitiva e deputados Manoel Marcos e Doutora Juliana podem ser expulsos da política na 3ª feira

Últimas

Menor contratado por empresa de Internet morre eletrocutado na BR 317

Vanderson de Assis, um jovem de 16 anos, morreu eletrocutado no início da tarde desta quarta feira na Comunidade Campi Novo, km 105 da BR...

Presidente Nicolau Júnior anuncia que emendas parlamentares serão liberadas a partir dessa semana

O presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Nicolau Júnior (PP), informou durante sessão desta quarta-feira (30) que a partir dessa semana já...

Presidente do Sindicato das Olarias, ligado à Fieac, é denunciado por esmurrar a sogra

O empresário Márcio Valter Agiolfi, presidente do Sindicato de Olarias do Acre, foi denunciado pela promotora Joana D´Arc Dias Martins, por lesão corporal. A...

Porto Acre: com início das chuva, produtor rural faz apelo ao governo do estado

O produtor rural e atualmente candidato a vereador pelo município de Porto Acre, Jornalista Salomão Matos (MDB), fez um apelo na tarde desta segunda...

Professor Coelho, coordenador da campanha de Bocalom, nega que Bestene tenha atacado Gladson: “não vi isso”

O professor Coelho, coordenador da campanha de Tião Bocalom, candidato à Prefeitura de Rio Branco, deu um testemunho ao acjornal desmentindo que o deputado...

Uma sessão do Pleno do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) prevista para a próxima terça-feira (22) deve encerrar o processo que pede a cassação dos deputados Manoel Marcos (federal) e Doutora Juliana (estadual), ambos do PRB. Os parlamentares já tiveram os diplomas cassados pela Justiça Eleitoral do Acre.

O ministro Edson Fachin, vice-presidente do TSE, opinou pela cassação. Ele é relator e seu voto será avaliado em sessão Online, ao vivo, marcada para às 19 horas.

Fachin contraria o entendimento dos juízes e desembargadores eleitorais acreanos. Ele entende que os votos dados a Manoel Marcos e Doutora Juliana devem permanecer na coligação que elegeu os parlamentares. Aliás, esse entendimento é resguardado numa jurisprudência de 30 anos, ainda em vigor, segundo a qual os votos obtidos não poderão ser anulados.

O vereador Railson Correia (Podemos), na condição de suplente, foi admitido nos autos do processo como interessado em recente decisão de Edson Fachin. O ministro trabalha no voto que será submetido ao Plenário do TSE (ou sessão remota).

A Justiça Eleitoral do Acre já condenou Marcos e Juliana nas penas de inelegibilidade, multa e cassação de diploma pela prática de abuso de poder econômico. A permissão para que os parlamentares permaneçam investidos no mandato gerou polêmica.

“De nossa parte, temos reiteradamente apresentado ao Tribunal razões para que sejam mantidas as condenações impostas aos réus, com a consequente cassação dos mandatos obtidos em afronta à lei”, reafirma a advogada Soraia Mendes, que representa Railson.

A defesa tenta um último suspiro a fim de evitar a cassação dos mandatos, já que os argumentos de inocência não vingaram no julgamento do Acre diante das fartas provas de corrupção eleitoral apresentadas pelo Ministério Público.

O Podemos pede que seja reformada a decisão do TRE Acre que determinou a nulidade dos votos, impedindo seu aproveitamento pela legenda, “pois isso está em total desconformidade com a jurisprudência consolidada no próprio TSE”, anima-se a advogada.

Se a decisão do T R E do Acre for reformada e os votos devolvidos à coligação, o vereador Railson Correia assumirá cadeira na Câmara Federal. O empresário André da Droga Vale, do mesmo partido, seria o substituto de Juliana na Aleac.

O professor Tião Bocalom perdeu o direito de pleitear a vaga de deputado federal quando deixou o PSL e filiou-se ao PP.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui