No menu items!
22 C
Rio Branco
quarta-feira, outubro 21, 2020

Deputada aliada de Bolsonaro “pinta” Moro e Mandetta de preto e é acusada por racismo

Últimas

Data Control: Socorro Neri lidera pesquisa em Rio Branco com 27.2%. Minoru tem 21.1%

A atual prefeita de Rio Branco, Socorro Neri, está na preferência do eleitorado da capital acreana, segundo pesquisa de opinião pública   O Instituto Data Control...

Advogado e preso com 17 mil munições no Trevo de Senador Guiomard

O advogado Jaime Pontes Vasconcelos de 37 anos foi preso em flagrante pelo crime de porte ilegal de munição. Ele foi flagrado transportando 17...

Ditadura em Cruzeiro do Sul: enfermeira perde Chefia da Saúde da Mulher, que ocupava há 14 anos, por não apoiar o primo do prefeito...

A enfermeira Renata Barbosa usou um perfil de rede social para relatar as razões pelas quais ela foi desligada do cargo de coordenadora do...

Calote anunciado: PSL despeja tudo na campanha de Minoru e os 26 candidatos a vereador ficam sem fundo partidário

Os 26 candidatos a vereadores pelo PSL em Rio Branco não têm como tocar a campanha por falta de fundo partidário. A insatisfação foi...

Mulher assiste filme pornô gay e descobre que um dos atores é o seu marido

Uma mulher, de 26 anos, teve uma surpresa quando escolheu assistir a um filme pornô assim que seu marido foi dormir, nos Estados Unidos. Enquanto escolhia qual...

A deputada federal Bia Kicis (PSL-DF) foi acusada nas redes sociais de racismo, após publicar uma montagem com fotos dos ex-ministros Sergio Moro e Luiz Henrique Mandetta em que os ex-aliados do presidente Jair Bolsonaro aparecem com a pele pintada de preto. O texto que acompanha a imagem afirma que Moro e Mandetta “mudaram de cor para tentar emprego no Magazine Luiza”, varejista que recentemente anunciou um programa de trainee voltado exclusivamente para pessoas negras.

Após a repercussão negativa da postagem, Bia Kicis se defendeu afirmando que não houve racismo: “Cuidado, se você consegue enxergar racismo nesse post ao invés de vê-lo na atitude da Magazine Luiza, o estrago do ensino aos moldes de Paulo Freire pode ter sido muito grande na sua capacidade de interpretar textos e de compreender a vida”.
Esta semana o Ministério Público do Trabalho (MPT) de São Paulo rejeitou denúncias apresentadas contra o Magazine Luiza, acusando a varejista de racismo por ter criado o programa de trainees. Para o MPT, a iniciativa é, na verdade, uma ação afirmativa de reparação histórica.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui