No menu items!
24 C
Rio Branco
sexta-feira, outubro 23, 2020

Faccionados que promoveram tiroteio em velório de rival são condenados, em Rio Branco

Últimas

DCE da Ufac e UMES/AC promovem debate com os candidatos a prefeito de Rio Branco

DCE da Ufac e UMES/AC promovem debate com os candidatos a prefeito de Rio Branco Estabelecer um diálogo político com a academia. Esse é o...

Dez servidores da Aleac são afastados da vida pública em operação da PF por “rachadinha”, contratação de fantasmas e fraude em contratos de publicidade

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (22), a “Operação Res Principis” na capital acreana, Rio Branco, e em Chopinzinho, no interior do Paraná, visando...

PF faz buscas na Assembleia Legislativa do Acre e apreende documentos em empresa terceirizada

A Polícia Federal amanheceu cumprindo ordens judiciais para busca e apreensão em Rio Branco. A empresa Maia e Pimentel é uma das investigadas. A...

 Prefeito petista de Xapuri manda única retroescavadeira para fazenda de amigo e município leva prejuízo de R$ 500 mil

 Uma retroescavadeira avaliada em quase meio milhão de reais, pertencente à Prefeitura de Xapuri, teria ficado inoperante ao cair de uma ponte, dentro de...

Advogado Lázaro Barbosa promete, se eleito, desmontar em 3 meses o esquema das empresas de ônibus em Rio Branco

O candidato a Vereador Lázaro Barbosa, jornalista e advogado, apresentou nas suas redes sociais uma proposta que está repercutindo bastante, destinada a baixar o...

Quatro integrantes de uma organização criminosa foram condenados a mais de 40 anos de prisão por promover um tiroteio durante o sepultamento de um ex presidiário. A decisão é do Juiz Robson Aleixo,  da Vara de Delitos e Organizações Criminosas.

Na época vídeos foram divulgados nas redes sociais mostrando os réus sacando armas e atirando para o alto. Daiane de Paula Rodrigues, a Pantera, foi condenada a 11 anos, 2 meses e 22 dias; Célia Maria Lima Neri recebeu pena de 11 anos e 1 mês; Anderson dos Santos Lopes, o Jonhrey, foi sentenciado a 9 anos, 7 meses e 15 dias. Já Mateus Costa Albuquerque foi condenado a 11 anos, 2 meses e 22 dias.

O grupo foi considerado culpado por promover um tiroteio no dia 13 de fevereiro deste ano durante o enterro de Adriel da Silva, que havia sido morto no dia anterior durante um confronto com o BOPE. Na mesma decisão o Juiz negou aos réus o direito de recorrer da sentença em liberdade.

 




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui