No menu items!
31 C
Rio Branco
segunda-feira, outubro 26, 2020

Em 8 meses, 2020 tem segundo maior volume de maconha apreendido da história

Últimas

Suposta amante do prefeito de xapuri que recebe salários sem trabalhar exclui rede social e some do mundo da ostentação

Poucos minutos após a publicação da reportagem do Acjornal, na noite da última sexta-feira, dando conta do andamento de uma investigação secreta da Delegacia...

Debate de uma nota só – Por Socorro Camelo

  O primeiro debate entre os candidatos à prefeitura foi, já à primeira vista, muito didático, em relação aos paradoxos da nossa sociedade. Enquanto as mulheres...

Justiça eleitoral de Cruzeiro do Sul, caça candidatura do vereador Romário Tavares (MDB), um dos mais fortes da chapa de Fagner Sales

Concluindo o 5º mandato de vereador seguidos, Romário Tavares foi enquadrado no crime de improbidade administrativa no período em que esteve como presidente da...

Carreirista, Roberto Duarte não decola e perde tempo atacando Socorro Neri

Depois que a prefeita Socorro Neri (PSB) ultrapassou os adversários na última pesquisa, o nível de ataques de alguns adversários vem aumentando contra a...

Jarbas Soster reúne milhares de apoiadores em arrastão no Calafate e carreata no Centro de Rio Branco

Na manhã deste sábado, 24, o candidato a prefeitura de Rio Branco, Jarbas Soster, reuniu centenas de pessoas em uma caminhada pelo bairro Calafate....

A apreensão de maconha no Brasil feita pela Polícia Federal bateu recorde este ano. Entre janeiro e agosto, a droga apreendida é o segundo maior volume da série histórica iniciada em 1995.

Em 2020, a corporação recolheu 286 toneladas de maconha em apenas oito meses. O índice só fica atrás do registrado em 2017, quando foram apreendidas 353,9 toneladas em 12 meses.

Os dados foram obtidos pela agência de dados públicos Fiquem Sabendo, que promove o uso da Lei de Acesso à Informação e envolve cidadãos, jornalistas e pesquisadores.

Para se ter dimensão do volume, em todo o ano passado foram 265 toneladas. Em 2018, a quantidade chegou a 268 toneladas.

Pelo país, o Mato Grosso do Sul lidera o ranking de apreensões. Lá, foram 133 toneladas até agosto, de acordo com cálculos da Polícia Federal. O estado, aliás, se tornou palco da maior operação já realizada no país. No dia 26 de agosto deste ano, policiais federais encontraram um caminhão que transportava 33,3 toneladas de maconha.

O caso aconteceu na cidade de Maracaju (MS). Em nota divulgada nas redes sociais, o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) classificou a apreensão como a “maior do Brasil”.

Em segundo lugar, aparece o Paraná, com 93,8 toneladas de maconha apreendida. São Paulo, com 21,6 toneladas, ocupa a terceira posição na lista.

No Distrito Federal, de acordo com os dados divulgados nesta segunda-feira (5/10), a Polícia Federal recolheu 36,5 quilos da droga.

Plantas e mudas

Além da droga pronta para uso, as autoridades de segurança pública apreenderam também pés de maconha. Até agosto, foram destruídos 1,7 milhão de pés de maconha e 259 mil mudas da planta.

Pernambuco, com 937 mil pés, e Pará, com 406 mil, foram as unidades da federação com mais pés de maconha destruídos. Os mesmos estados também lideram a produção de mudas, com 124 mil e 73 mil unidades, respectivamente.

Já no primeiro semestre de 2020, relatório da PF apontou ter crescido 56,5% a apreensão de maconha pela corporação durante a pandemia do novo coronavírus. Entre janeiro e abril deste ano, foram 64,5 mil quilos, contra 41,2 mil no mesmo período no ano anterior — do volume apreendido em 2020, 62,8%, ou 40,5 mil, foram interceptados apenas em abril. Somam-se a estes números 29,5 mil mudas de maconha e 90,9 mil unidades da planta.

Fonte: Metrópoles




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui