No menu items!
24 C
Rio Branco
sexta-feira, outubro 23, 2020

Vice de Gedeon em Plácido de Castro é inelegível por abandono de emprego e demissão, diz MP Eleitoral

Últimas

DCE da Ufac e UMES/AC promovem debate com os candidatos a prefeito de Rio Branco

DCE da Ufac e UMES/AC promovem debate com os candidatos a prefeito de Rio Branco Estabelecer um diálogo político com a academia. Esse é o...

Dez servidores da Aleac são afastados da vida pública em operação da PF por “rachadinha”, contratação de fantasmas e fraude em contratos de publicidade

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (22), a “Operação Res Principis” na capital acreana, Rio Branco, e em Chopinzinho, no interior do Paraná, visando...

PF faz buscas na Assembleia Legislativa do Acre e apreende documentos em empresa terceirizada

A Polícia Federal amanheceu cumprindo ordens judiciais para busca e apreensão em Rio Branco. A empresa Maia e Pimentel é uma das investigadas. A...

 Prefeito petista de Xapuri manda única retroescavadeira para fazenda de amigo e município leva prejuízo de R$ 500 mil

 Uma retroescavadeira avaliada em quase meio milhão de reais, pertencente à Prefeitura de Xapuri, teria ficado inoperante ao cair de uma ponte, dentro de...

Advogado Lázaro Barbosa promete, se eleito, desmontar em 3 meses o esquema das empresas de ônibus em Rio Branco

O candidato a Vereador Lázaro Barbosa, jornalista e advogado, apresentou nas suas redes sociais uma proposta que está repercutindo bastante, destinada a baixar o...

O médico Renato Garcia, candidato a vice prefeito de Plácido de Castro na chapa encabeçada pelo atual prefeito Gedeon Barros (PSDB), é inelegível. A constatação é do Ministério Público Eleitoral, que pediu a impugnação da candidatura de Renato.

Segundo o MP, o médico  não pode ser votado nestas eleições deste ano por ter sido demitido do serviço público. Segundo a lei, o candidato somente poderá ser votado após oito anos da punição, o que não é o caso de Renato Garcia.

O médico, que é presidente do DEM naquele município, foi desligado do cargo de professor da Universidade Federal do Acre (Ufac) em 2015. O MP apurou que Garcia simplesmente abandonou a sala de aula, conforme o processo administrativo instaurado pela portaria 1.056, de 15 de abril de 2015, com decisão (demissão) publicada em 31 de junho do mesmo ano.

O médico afastou-se do clube Plácido de Castro, do qual era presidente, para disputar as eleições. Ele tem sete dias para contestar o pedido de impugnação antes de o juiz eleitoral dar a sua sentença. Ele tem o direito, inclusive, de reunir as testemunhar que lhe convier.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui