No menu items!
27 C
Rio Branco
quinta-feira, dezembro 3, 2020

Coação e constrangimento: Estação Vip penaliza vigilantes e ameaça demitir quem não votar no candidato do coronel Ulisses

Últimas

Nicolau Junior parabeniza Ronald Polanco pela presidência do Tribunal de Contas do Acre

O presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Nicolau Júnior (Progressistas), em nome da mesa diretora e todos os deputados, parabenizou o novo...

Bocalom, o todo poderoso da vez, não emplaca o Produzir Para Empregar se não quiser

O jornalista Altino Machado e o ex deputado Luiz Calixto lembram o invejável rol de apoiadores de Bocalom, em comentários bem festejarmos na rede...

Ismael Tavares pode ser o novo presidente do Podemos em Rio Branco.

Filiado no PODEMOS-AC, Ismael Tavares é o preterido do Vereador eleito Arnaldo Barros para presidente do diretório municipal do partido em Rio Branco. Ele...

Inimigo da educação: Bolsonaro enfraquece Fundeb e professores ficarão sem reajuste em 2021

A Portaria interministerial 3, do governo Bolsonaro, que altera a gestão do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos...

“ Musa Fitness do crime” volta às redes sociais, cita Deus, vira ré e fica frente a frente com juiz

Presa em flagrante no dia 26 de agosto deste ano pelo crime de tráfico de drogas, Ivanna Alencar de Souza, que ficou conhecido como...

Os 250 vigilantes que trabalham na Estação Vip estão intimados a votar no instrutor de tiros Júlio Veras, candidato a vereador da capital. A coação foi explícita pelos diretores da empresa, que chamaram todos os vigilantes, inclusive os que estavam de folga, para a apresentação do candidato.

O primeiro encontro foi nesta terça-feira, quando a diretoria da empresa deixou claro as sanções administrativas contra aqueles que tiverem pensamento diferente, ou seja, que não votarem no instrutor de tiros oficial da VIP.

Nesta quarta, outra reunião está programada (veja a convocação acima). O coronel Ulisses, que tem dito que não tem envolvimento comercial na empresa (por ser gestor público), surge como padrinho político de Veras. Ele aparece ao lado da esposa, que seria a mandachuva do grupo.

Vigilantes que contrariaram a ordem do chefe foram removido do grupo de whatsapp exclusivo para os funcionários da Estação Vip. Ouça abaixo a confirmação da coação feita pelo administrador do grupo:

 

“Agora eu tô esperando minha demissão. Mas não votarei em quem não tenho afinidade nenhuma. Meu voto já estava decidido e eu não me sujeitarei a esse tipo de coisa”, disse um trabalhador ao acjornal. Ele teme represálias e, por isso, não aceitou ser identificado.

O presidente do sindicato dos Vigilantes, Nonato Souza, está afastado para concorrer a eleição também. Ele disse que, infelizmente, não pode opinar sobre a questão, devido ao seu afastamento.

A convocação seria ilegal, já que até os trabalhadores fora da escala foram obrigados a comparecer na reunião política.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui