No menu items!
23 C
Rio Branco
quinta-feira, dezembro 3, 2020

Primeira dama Ana Paula Cameli processa cabo eleitoral de Fagner Sales por grave ofensa moral; Gladson vai à polícia

Últimas

Bocalom conseguiria governar sem contemplar vereadores com cargos na prefeitura?

O prefeito eleito Tião Bocalom acertaria em rejeitar indicações de vereadores para cargos no município. A declaração dele, segundo a qual  os parlamentares não...

Fantasmas no Mais Médicos: diretor afastado do Hospital do Juruá favoreceu estelionato, diz PF

O diretor Técnico do Hospital do Juruá teria favorecido a prática de estelionato contra a administração pública, entendeu a Polícia Federal. Marcos Melo foi...

Fraude no Mais Médicos: juiz manda sequestrar veículos, casas e outros bens; diretor do Hospital do Juruá é afastado

A Polícia Federal em Cruzeiro do Sul, no bojo da operação “Choro de Hipócrates”, identificou que na região de Cruzeiro do Sul, Rodrigues Alves, Mâncio Lima,...

Veterinário, engenheiro e agrônomo: Governo do Acre divulga e homologa resultado final do concurso do Idaf

O governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag) e do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf),...

helicóptero do governo volta em janeiro para cobrir Segurança e Saúde; Gladson vistoria manutenção

O governador Gladson Cameli esteve no hangar da empresa Líder no Aeroporto de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, vistoriando o helicóptero Esquilo B2 do...

A primeira dama Ana Paula Cameli protocolou uma ação indenizatória contra a internauta Jenyffer Nayane Silva, cabo eleitoral do candidato a prefeito de Cruzeiro do Sul, Fagner Sales. A internauta é apontada como principal responsável por disparar conteúdo falso, acusando o governador Gladson Cameli por manter no governo a ex comissionada do Deracre, Lanna Vaz, como sendo sua amante.

Lanna foi exonerada e responde a inquérito por suposto envolvimento em esquema de propina com fornecedores do governo.

O governador também formalizará ainda nesta terça-feira uma queixa-crime, numa delegacia de Rio Branco, pedindo providências contra os ataques de que vem sendo vítima. Os advogados da primeira-dama sustentam que ela, o marido e seu filho menor, Guilherme, sofrem com fake news motivados por maldade extrema e atitudes politiqueiras. O Juizado Cível dará a sentença, nos próximos dias, na ação que corre em segredo de justiça.

Trecho da ação indenizatória protocolada pelos advogados de Ana Paula Cameli

Jenyffer Nayane, que se apresenta também como funcionária do Acre Cap, usou sua rede social para dar a seguinte informação falsa:

“Um agente de Polícia Civil revelou que as investigações sobre o possível
caso de corrupção da Lanna Vaz, ex diretora do Deracre, chegou ao fim
assim que iniciou. Isso porque as primeiras pessoas ouvidas deram conta
de um esquema armado pela primeira dama Ana Paula Cameli para
incriminar Lanna Vaz. A motivação seria ciumes.
De acordo com o agente, os depósitos que seriam feitos por empresários,
na verdade partiu de uma pessoa a serviço da primeira dama do Acre.
Assim que os investigadores chegaram ao nome de Ana Paula, o trabalho
foi parado e levado ao Governador Gladson Cameli. A partir disso,
mudanças ocorreram na direção da Polícia Civil saindo o delegado
Henrique e entrando Josemar Portes, que fez a operação para abafar o
caso. Ana Paula soube da traição do marido e buscou se vingar de Lanna
Vaz. O caso teve repercussão em todo Estado, mas não teve desfecho.” (sic)

O site de notícia “Correio 68.Com”, utilizado junto com o texto que está circulando, publicou nova notícia reconhecendo que o texto anteriormente descrito se trata de uma
FakeNews. O site, aliás, fez Boletim de Ocorrência e também vai procurar os meios judicias para indenização pois foi utilizado indevidamente para propagar notícia falsa.

A primeira dama comunica,em juiza, que não tem interesse em audiência de conciliação. Ou seja, não pretende fazer acordo com a acusada. E pede que o magistrado determine, em liminar, que Nayane seja proibida de compartilhar tais notícias falsas, sob pena de multa no valor de R$ 10.000,00 (dez mil reais) por veiculação indevida.

No mérito, Ana Paula Cameli pede uma indenização por danos morais no valor de R$ 20 mil.

A reportagem apurou que esse dinheiro será doado as instituições carentes.

 




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui