No menu items!
27 C
Rio Branco
sexta-feira, dezembro 4, 2020

Deputados podem proibir Rocha de assumir Governo do Acre antes de 15 dias da ausência de Gladson Cameli

Últimas

Nicolau Junior parabeniza Ronald Polanco pela presidência do Tribunal de Contas do Acre

O presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Nicolau Júnior (Progressistas), em nome da mesa diretora e todos os deputados, parabenizou o novo...

Bocalom, o todo poderoso da vez, não emplaca o Produzir Para Empregar se não quiser

O jornalista Altino Machado e o ex deputado Luiz Calixto lembram o invejável rol de apoiadores de Bocalom, em comentários bem festejarmos na rede...

Ismael Tavares pode ser o novo presidente do Podemos em Rio Branco.

Filiado no PODEMOS-AC, Ismael Tavares é o preterido do Vereador eleito Arnaldo Barros para presidente do diretório municipal do partido em Rio Branco. Ele...

Inimigo da educação: Bolsonaro enfraquece Fundeb e professores ficarão sem reajuste em 2021

A Portaria interministerial 3, do governo Bolsonaro, que altera a gestão do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos...

“ Musa Fitness do crime” volta às redes sociais, cita Deus, vira ré e fica frente a frente com juiz

Presa em flagrante no dia 26 de agosto deste ano pelo crime de tráfico de drogas, Ivanna Alencar de Souza, que ficou conhecido como...

Os deputados podem aprovar nesta quinta-feira, em regime de urgência, a proibição ao vice governador Major Rocha (PSL) de assumir o Governo do Estado tão logo o titular saia do território acreano.

A mensagem que altera dispositivo da Constituição Estadual diz que o vice somente poderá assumir o governo após 15 dias de ausência do governador Gladson Cameli (PP).

A votação pode ocorrer a partir das 10 horas (horário regimental) e todos os parlamentares já estariam devidamente convocados pela mesa-diretora da Casa.

A sessão será Online e será transmitida pela plataforma YouTube.

O deputado Luiz Gonzaga, primeiro-secretário da Aleac, disse que os demais parlamentares tomarão conhecimento do inteiro teor da proposta por meio de um grupo fechado do aplicativo Whatsapp. Gonzaga presidiu a sessão desta quarta.

A história revela uma situação semelhante, ocorrida no governo Edmundo Pinto.

O governador tinha uma relação institucional bastante difícil com o seu vice, Romildo Magalhães.

Ele sentiu que a governabilidade estaria em risco e a confiança entre ambos, abalada.

Edmundo enviou o projeto à Aleac, tendo recebido aval da maioria dos deputados.

Romildo assumiu a titularidade do governo após o assassinato de Pinto num hotel de São Paulo.

 




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui