No menu items!
25 C
Rio Branco
quarta-feira, novembro 25, 2020

Juiz mantém preso candidato a vereador acusado por estelionato, em Rio Branco

Últimas

Blog do Assem: MDB e Márcio Bittar foram omissos com desmandos no Depasa e todos os diretores são exonerados

Não foi por falta de aviso. Quando Sebastião Fonseca foi demitido por corrupção, os substituto deveriam seguir uma linha de gestão minimamente decente. mas se envolveram...

Governador anuncia o pagamento de prêmio de valorização dos servidores do Detran

Da Secom Honrando compromisso de valorizar os servidores públicos, o governador Gladson Cameli anunciou nesta terça-feira, 24, a regulamentação do pagamento do Prêmio Anual de...

Gladson antecipa salários de novembro; gratificação do Detran e auxílio Covid para Saúde e Segurança saem no mesmo dia

O governador Gladson Cameli autorizou a antecipação dos salários de novembro para servidores da ativa e aposentados do Estado. Todos receberão seus vencimentos na...

Gladson aciona MPE, confirma exoneração de todos os cargos políticos do Depasa e a volta da Sanacre

O governador Gladson Cameli informou há pouco que todos os cargos de natureza política do Depasa serão exonerados. A primeira leva de exonerações sairá...

O PP, que ainda recruta fiscais “voluntários”, tem campanha de R$ 4 milhões; Socorro Neri não recebeu nem R$ 470 mil

Com o aumento da transparência na divulgação dos recursos movimentados nas candidaturas, o eleitor tem acesso ao quanto de dinheiro do fundo eleitoral e...

A Justiça negou o pedido de liberdade de Airton Gabriel de Lima Verde, que pretendia ser candidato a vereador por Rio Branco. . Ele foi preso no dia 3 de outubro por investigadores da 2ª regional da Polícia Civil após uma abordagem na Estrada do Calafate. Airton Gabriel teve a prisão preventiva decretada pela acusação de estelionato, quando ainda era pré-candidato

No recurso a defesa do acusado pediu a revogação da prisão preventiva ou a concessão da liberdade provisória ou ainda a aplicação de medidas cautelares diversas da prisão. Os pedidos foram todos negados pelo juiz da 4ª Vara Criminal, Cloves Augusto Ferreira.

Na decisão o magistrado disse que as circunstâncias do delito de estelionato são graves, em decorrência da quantidade de vítimas atingidas. O candidato vendia bens alheios como se fossem dele.

Ainda na decisão foi relatado o risco de Airton Gabriel apagar vestígios, aliciar ou ameaçar testemunhas, bem como sumir com valores provenientes dos supostos golpes, podendo,ainda, fazer novas vítimas.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui