No menu items!
23 C
Rio Branco
quinta-feira, dezembro 3, 2020

Passagem de ônibus: atuais vereadores de Rio Branco encerram mandato como “covardes e traidores do povo”, critica DCE

Últimas

Nicolau Junior parabeniza Ronald Polanco pela presidência do Tribunal de Contas do Acre

O presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Nicolau Júnior (Progressistas), em nome da mesa diretora e todos os deputados, parabenizou o novo...

Bocalom, o todo poderoso da vez, não emplaca o Produzir Para Empregar se não quiser

O jornalista Altino Machado e o ex deputado Luiz Calixto lembram o invejável rol de apoiadores de Bocalom, em comentários bem festejarmos na rede...

Ismael Tavares pode ser o novo presidente do Podemos em Rio Branco.

Filiado no PODEMOS-AC, Ismael Tavares é o preterido do Vereador eleito Arnaldo Barros para presidente do diretório municipal do partido em Rio Branco. Ele...

Inimigo da educação: Bolsonaro enfraquece Fundeb e professores ficarão sem reajuste em 2021

A Portaria interministerial 3, do governo Bolsonaro, que altera a gestão do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos...

“ Musa Fitness do crime” volta às redes sociais, cita Deus, vira ré e fica frente a frente com juiz

Presa em flagrante no dia 26 de agosto deste ano pelo crime de tráfico de drogas, Ivanna Alencar de Souza, que ficou conhecido como...

Uma sequência de fotografias de vereadores de Rio Branco é seguida de textos críticos, e um alerta: não vote em quem se acovardou.

Covardia e traição, aliás, são termos usados pelo presidente licenciado do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Richard Brilhante, ao lembrar que a atual mesa-diretora da Câmara Municipal, ao atender ao então prefeito Marcus Alexandre, em 2017, “se isentou de defender os direitos dos cidadãos”.

O presidente da Câmara, Antônio Moraes, candidato à reeleição, não estabeleceu o proximidade com a parte mais pobre da capital. A omissão pode custar caro, uma vez que, em seis meses, dois aumentos foram “empurrados goela abaixo do usuário” sem que o parlamento dissesse um “ai” sequer.

A lei proposta por Marcus Alexandre, no final de 2017 e aprovada no início de 2018 (ano eleitoral) mudou para pior: foi aprovada pela câmara dando soberania irrestrita a uma tal “câmara técnica” do Conselho Tarifário, composto em sua maioria por representantes de grupos intimamente ligados aos empresários de ônibus ou que têm interesse no reajuste- Conselho Regional de Contabilidade do Acre (CRC/AC), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Acre (CREA/AC), Sindicato das empresas permissionárias de transportes coletivos (Sindcol), Federação das Indústrias do Acre (Fieac), Federação do Comércio do Acre (Fecomércio-AC), Sindicato dos Trabalhadores de Transporte de Passageiros e Cargas do Acre (SINTTPAC), Sindicato dos Motoristas, Mototaxistas e Condutores Autônomos do Estado (Sindcac).

Foram contra o reajuste apenas o DCE da Ufac, Umarb (União Municipal das Associações de Moradores de Rio Branco) e Ssermurb (sindicato dos servidores de Rio Branco) são contrários

O reajuste para R$ 4,00 em vigor ainda está engasgado. O riobranquense paga a décima tarifa mais cara entre as 27 capitais do país.

E um novo aumento está pronto, só esperando passar a eleição do próximo domingo, para ser levado à pauta do famigerado conselho.

Além do presidente Antônio Moraes, os políticos que compõem a mesa-diretora são apontados como culpados, e que poderiam ter derrubado a indicação do ex-prefeito. Com que cara esses vereadores pedem voto se dizendo representantes do povo?

“Foi uma covardia. Não se vê legitimidade num político que foge de sua responsabilidade”, afirma Richard. Ele é candidato a vereador e, entre outras bandeiras, defende que a última palavra volte a ser dada pelo parlamento, “que paga muito bem os vereadores para representar seu povo”.

A internauta Fernanda Carvalho puxa a campanha contra os parlamentares municipais que hoje têm mandato, e que deram, segundo ela, mau exemplo fugindo de suas responsabilidades e legislando em favor dos empresários.

A data base para apresentar o novo aumento passou para fevereiro, o mês em que os novos eleitos irão assumir.

Deixou de ser um presente de Natal para um samba de crioulo doido em pleno Carnaval

Dessa crítica só escapam os de oposição, que

 

 




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui