No menu items!
24 C
Rio Branco
sábado, fevereiro 27, 2021

Proposta de Minoru para reassumir saneamento quebraria a Prefeitura de Rio Branco; Estado banca o sistema com R$ 60 milhões e só 45% pagam a conta de água em dia

Últimas

Minoru Kimpara é o único dos sete candidatos à prefeitura de Rio Branco que defende o sistema de água e esgoto como responsabilidade do município. O tucano segue a bandeira central do PSDB, a da privatização. Assimilou rápido a plataforma programática do partido, mesmo o tucano tendo origens e DNA petistas.

Acontece que Minoru não diz como como faria isso.

Talvez por que não saiba o tamanho do problema.

E tenta barganhar votos com proposta absurda.

No último debate, jogou pra platéia, como se nada tivesse a dizer sobre a questão.

Ele quebraria a prefeitura, certamente, ou, simplesmente, teria que arcar com a acusação de ter feito uma proposta inexequível.

Senão, vejamos os indicadores somente na capital:

Pra começar, o Governo do Estado faz um aporte anual de R$ 60 milhões para socorrer o sistema somente em Rio Branco.

A prefeitura tem cabedal para isso?

E olhe que na capital apenas 45% dos 157 mil usuários cadastrados pagam a conta e dia

Ou seja, mensalmente, o Depasa emite 6 milhões em faturas de serviços, mas a média de arrecadação é de apenas R$ 4 milhões.

No momento em que foi elaborado o atual plano diretor de água e esgoto, o primeiro distrito de Rio Branco correspondia a 85% do município, e o segundo distrito, 15%. Hoje, a proporção é praticamente 50%.

No primeiro distrito da cidade, o crescimento ocorreu conforme as projeções. Do outro lado da cidade, o crescimento populacional foi além do esperado A construção da Cidade do Povo não foi prevista no Plano Diretor 2000/2020.

Atualmente, no Acre, 62% da população tem água (Fonte SNIS2019)
Na capital, do universo de 407.319 habitantes, a população total atendida com abastecimento de água é de 211.260 (Fonte SNIS 2018)
A cobertura com rede de esgoto é de 13%.
18% do esgoto coletado é tratado.
O que mais pesa para manter o sistema são gastos com energia, produto químico e folha de pagamento.

É óbvio que a arrecadação não faz frente às despesas

Há necessidade de investir na modernização do sistema, aquisição de novos equipamentos e ampliação da rede de distribuição.

Minoru teria apoio para isso?

Os indicadores foram fornecidos pela Assessoria de Imprensa do Depasa




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui