No menu items!
27 C
Rio Branco
quinta-feira, dezembro 3, 2020

Irresponsabilidade: presidente do Sintesac anuncia “greve na saúde” sem deliberação dos trabalhadores

Últimas

Nicolau Junior parabeniza Ronald Polanco pela presidência do Tribunal de Contas do Acre

O presidente da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Nicolau Júnior (Progressistas), em nome da mesa diretora e todos os deputados, parabenizou o novo...

Bocalom, o todo poderoso da vez, não emplaca o Produzir Para Empregar se não quiser

O jornalista Altino Machado e o ex deputado Luiz Calixto lembram o invejável rol de apoiadores de Bocalom, em comentários bem festejarmos na rede...

Ismael Tavares pode ser o novo presidente do Podemos em Rio Branco.

Filiado no PODEMOS-AC, Ismael Tavares é o preterido do Vereador eleito Arnaldo Barros para presidente do diretório municipal do partido em Rio Branco. Ele...

Inimigo da educação: Bolsonaro enfraquece Fundeb e professores ficarão sem reajuste em 2021

A Portaria interministerial 3, do governo Bolsonaro, que altera a gestão do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos...

“ Musa Fitness do crime” volta às redes sociais, cita Deus, vira ré e fica frente a frente com juiz

Presa em flagrante no dia 26 de agosto deste ano pelo crime de tráfico de drogas, Ivanna Alencar de Souza, que ficou conhecido como...

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde (Sintesac), Gean Lunier, apesar de tantos anos no meio sindical, deu provas de que não tem capacidade para o cargo. No início da noite desta sexta-feira, por meio de sua rede social, ele anunciou uma “greve”, afirmando que a categoria estaria contrariada pelo não pagamento do auxílio emergencial de R$ 420,00 aos servidores da linha de frente do combate à pandemia de Covid-19. A Assessoria de Imprensa do sindicato informou que o tal atraso seria referente a outubro.

Mas Os quase 5 mil servidores já teriam recebido o benefício de outubro (veja os print´s abaixo), em duas parcelas depositadas diretamente na conta do servidor. O comprovante foi enviado por um trabalhador.

O calendário de pagamento referente a novembro sequer foi anunciado.

Além disso, os trabalhadores não foram sequer convocados para discutir o assunto.

Greve, como se sabe, só é legitimada por decisão coletiva, em assembléia geral dos trabalhadores e com ata deliberativa – o que não aconteceu.

Questionada, a assessoria do Sintesac disse que “é uma questão de tempo” e admitiu o erro.

O sindicalista emitiu nota pública cometendo outro deslize:  Jean Lúnier alerta sobre revolta dos servidores da saúde, e que “a qualquer momento podem cruzar os braços”.

O Projeto de Lei de Auxílio Temporário de Emergência em Saúde (ATS) apresentado pelo Governo do Estado beneficiará quase cinco mil servidores expostos ao vírus. É um tipo de insalubridade que o governador Gladson Cameli entende ser direito dos trabalhadores.

Os profissionais da área de Segurança Pública e também do Procon foram contemplados com o valor de R$ 420,00, que começou a ser pago por três meses em junho e foi estendido enquanto durar a pandemia.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui