No menu items!
23 C
Rio Branco
quarta-feira, janeiro 27, 2021

Monstras: mãe e companheira são condenadas a 129 anos pela morte e esquartejamento do menino Rhuan Maycon

Últimas

Rosana Auri da Silva Cândido e Kacyla Priscyla Santiago Damasceno Pessoa foram condenadas a mais de 129 anos de prisão pela morte do menino Rhuan Maycon, de 9 anos.
A decisão foi do Conselho de Sentença do Fórum Criminal da Comarca de Samambaia, no Distrito Federal, onde o crime aconteceu.

O julgamento das acusadas foi realizado nesta quarta-feira, 22. A sessão foi finalizada por volta das 22 horas (horário de Brasília) com a leitura da sentença.
Rosana Auri da Silva, mãe da criança, recebeu a maior pena: 65 anos, 8 meses e 10 dias, enquanto sua companheira, kacyla Priscyla, foi sentenciada a 64 anos, 8 meses e 10 dias.

O casal foi considerado culpado pelos crimes de homicídio qualificado, lesão corporal gravíssima, tortura, ocultação e destruição de cadáver e fraude processual.

Durante o júri popular Rosana Auri assumiu a autoria do crime e disse que sua companheira não teve qualquer envolvimento. Mas a versão não convenceu aos jurados frente as provas apresentadas pelo Ministério Público Estadual.

O menino Rhuan Maycon foi assassinado em junho do ano passado na cidade de Samambaia, DF.  A mãe fez a criança dormir, depois praticou o crime e, com a ajuda de kacyla, esquartejou o corpo.

Os restos mortais da criança foram colocados numa mala e jogados numa vala. Rosana e kacyla foram presas em flagrantes.

O crime teve repercussão internacional.

Elas não poderão recorrer da decisão em liberdade.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui