No menu items!
23 C
Rio Branco
segunda-feira, março 1, 2021

Contra medidas do governo, funcionários do BB fazem greve nesta quarta

Últimas

Os trabalhadores protestam contra programa de reestruturação que propõe o fechamento de 112 agências e o desligamento de 5 mil funcionários

Os funcionários do Banco do Brasil aprovaram a decretação de uma greve nacional, por meio de assembleia on-line, contra medidas impostas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A paralisação será feita nesta quarta-feira (10/2) e, com isso, serviços serão interrompidos em agências de todo o país.

Os trabalhadores do BB querem assegurar junto à direção do banco a abertura de diálogo e de negociação acerca das medidas que compõem o plano de reestruturação, anunciado em 11 de janeiro. Com a medida, o governo prevê fechar 112 agências e desligar 5 mil funcionários.

“Com a paralisação do dia 29 de janeiro e com a decretação agora do estado de greve, os bancários e bancárias do BB demonstram disposição de resistir e lutar, apesar de toda pressão, ameaças e perseguição da direção do banco”, diz o presidente do Sindicato dos Bancários no DF, Kleytton Morais.

“Os trabalhadores não sucumbem diante da instauração do terror com descomissionamentos e descensos. E mostram que, com unidade, é possível vencer o medo e derrotar a política do atraso implementada pelo governo da dupla Guedes-Bolsonaro”.

Bolsonaro chegou a avaliar demitir o presidente do banco, André Brandão, devido à repercussão da medida, mas recuou após pedido do ministro da Economia, Paulo Guedes.

De acordo com o presidente do sindicato, a expectativa é de que o banco se disponha a discutir a reestruturação com as representações dos funcionários, ainda esta semana, em reunião mediada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT).

“Estamos jogando nossas forças no processo de mobilização e vamos travar uma luta sem tréguas, com nova paralisação e um calendário de atividades para os próximos dias. E vamos seguir com iniciativas que coloquem a sociedade e suas representações, inclusive as institucionais, como MPT, no nosso campo de luta, ao nosso lado, em defesa do BB e dos seus trabalhadores”, pontuou Marianna Coelho, secretária de Assuntos Jurídicos do Sindicato e integrante da Comissão de Empresa dos funcionários do BB.

Fonte: Jornal Metropoles




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui