No menu items!
24 C
Rio Branco
quarta-feira, março 3, 2021

Editorial: Acre não pode flexibilizar decreto e Bandeira Preta seria o mais sensato. Desobediência não é culpa do estado, mas caso de polícia

Últimas

As atividades consideradas não essenciais precisam continuar suspensas entre 22h e 6h no Acre. É a orientação mais sensata que se faz ao governador Gladson Cameli, a quem caberá decidir, nesta segunda-feira, se mantém a bandeira vermelha (Emergência) ou institui a preta (Lockdown).

Voltar ao estágio de alerta (Laranja) é regredir no tempo, no espaço, no bom senso, e jogar na lata do lixo todo esforço feito até então para salvar vidas. Não se admite retrocesso em tempos de pandemia de Covid, epidemia de Dengue e às vésperas de uma enchente históricas. 

Não alivie, governador ! Não recue !

Pressões de comércios e comerciantes não podem vingar num ambiente de altíssimo risco, onde faltam leitos de UTI, há filas de pacientes graves, as internações explodiram, continua gente morrendo e o povo permanece desafiando a própria sorte. Pra completar, imigrantes infectados foram lançados em território acreano, misturados a brasileiros, como um vírus mortal a ameaçar cada um de nós.

O acjornal faz um apelo público ao governo: mantenha as regras. Endureça ainda mais a contenção à Covid. A desobediência civil não é culpa do Estado, mas problema para a polícia resolver. 

Bom senso é como caldo de galinha.   

O novo decreto deve ser publicado na segunda-feira estabelecendo as diretrizes, que devem valer até 1º de março. É bom que as forças da segurança pública já estejam estão mobilizadas para coibir o descumprimento.

No serviço público, apenas áreas da saúde, segurança, ordem pública e atividades de fiscalização atuam com 100% das equipes. Demais serviços atuam com, no máximo, 25% dos trabalhadores presencialmente.

Aulas presenciais nem pensar.

Veja abaixo as principais mudanças com a bandeira preta:

  • Educação: A educação infantil em creches e pré-escolas, ensino fundamental, ensino médio, ensino técnico e ensino superior (incluindo graduação e pós-graduação) só podem ocorrer de forma remota. O ensino presencial é permitido, com restrições, atendimento individualizado e sob agendamento, apenas para atividades práticas essenciais para conclusão de curso;
  • Restaurantes: Nos serviços em geral, restaurantes (à la carte ou com prato feito) podem funcionar apenas com tele-entrega e pague e leve e 25% da equipe de trabalhadores. Essa definição também vale para lanchonetes, lancherias e bares. Salões de cabeleireiro e barbeiro permanecem fechados, assim como serviços domésticos;
  • Comércio: Comércios atacadista e varejista de itens essenciais, seja na rua ou em centros comerciais e shoppings, podem funcionar de forma presencial, mas com restrições. Equipes de no máximo 25% dos trabalhadores são permitidas. O comércio de veículos, o comércio atacadista e varejista não essenciais, tanto de rua como em centros comerciais e shoppings, ficam fechados;
  • Cursos: Dança, música, idiomas e esportes também não têm permissão para funcionar presencialmente;
  • Lazer: Parques temáticos, zoológicos, teatros, auditórios, casas de espetáculos e shows, circos, cinemas e bibliotecas são proibidos. Demais tipos de eventos, seja em ambiente fechado ou aberto, não devem ocorrer;
  • Academias: Academias, centros de treinamento, quadras, clubes sociais e esportivos também devem permanecer fechados;
  • Condomínios: Todas as áreas comuns de lazer dos condomínios devem permanecer fechadas, incluindo academias;
  • Locais públicos abertos: Parques, praças, faixa de areia e mar devem ser utilizados somente para circulação, respeitado o distanciamento interpessoal e o uso obrigatório e correto de máscaras. É proibida a permanência nesses locais;
  • Eventos religiosos: Missas e serviços religiosos podem operar sem atendimento ao público, com 25% dos trabalhadores, para captação de áudio e vídeo das celebrações;
  • Bancos e lotéricas: Podem realizar atendimento individual, sob agendamento, com 50% dos funcionários;
  • Transporte coletivo: No transporte coletivo municipal e metropolitano de passageiros, é permitido ocupar 50% da capacidade total do veículo, com janelas abertas.




- Advertisement -

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui