No menu items!
30 C
Rio Branco
quarta-feira, abril 14, 2021

Onze herdeiros do Grupo Monte Mário acusam irmão, dono do Posto Amapá, de sumir com R$ 8 milhões; Polícia é acionada

spot_img

Últimas

Onze herdeiro da fábrica de água mineral Monte Mário, em Rio Branco, acusam um dos irmãos de “sumir” com R$ 8 milhões que seriam do grupo. O patriarca da família, Cassen Magid Masturb, o “Jacaré”, pioneiro no ramo, faleceu há 9 meses.

Nesta segunda-feira, os herdeiros chamaram a polícia e houve confusão no pátio da empresa. Eles argumentam que desde a morte do pai não há prestação de contas de receitas e despesas do grupo.

O inventariante é José Magid kassem Mastub, o filho mais velho, proprietário do Posto Amapá, no Segundo Distrito da cidade, principal acusado pelo que os irmãos chamam de “fraude”.

A reportagem tentou contato com Magid no Posto Amapá. Uma funcionária disse que “o Magid foi embora para Maringá (PR) e retorna esporadicamente ao Acre”.

O advogado Romano Fernandes Gouvea, que representa os herdeiros, confirma haver uma ação judicial em curso, pedindo a destituição do filho inventariante e que a prestação de contas seja apresentada aos demais herdeiros.

No áudio acima, o advogada relata o caso de família que envolve muitos milhões.

No vídeo abaixo, o acjornal conversou com dois dos 11 irmãos herdeiros. Eles relatam que aguardam ordem judicial para fechar a fábrica e que a justiça indique um inventariante. Há fazendas, terrenos, postos de gasolina e outros bens sendo reivindicados.

 




- Advertisement -spot_img

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui