No menu items!
22.3 C
Rio Branco
segunda-feira, junho 14, 2021

A maldade de Jorge Viana que mandou para UTI os pais de Orleir e tirou o governador da reeleição. Mas 2022 será diferente

spot_img

Últimas

Jorge Viana e o PT já usaram a tática uma vez e deu certo. Agora tentam repetir o golpe visando as eleições de 2022. A dúvida é: vai funcionar desta vez?

Qual golpe?

Explico:

Em 1997, depois de uma fragorosa derrota para o PMDB na prefeitura de Rio Branco e várias prefeituras no interior, Jorge Viana e o PT tinham um alvo certo: o Palácio Rio Branco.

Mas esbarravam em uma pedreira difícil de ser vendida: o popular governador Orleir Cameli.

Jorge Viana era o candidato natural do partido, mas decidiu que não tinha condições de concorrer com Cameli, pois a probabilidade de ser eleito era muito pequena.

Montou-se então uma estratégia de ataque que visava tirar Orleir do páreo. A história todos conhecem: o PT  desencadeou um verdadeiro massacre público contra o ex-governador, sem poupar sequer seus filhos, seus irmãos e até mesmo seus pais, Marmud Cameli e Marieta Messias Cameli, ambos sexagenários na época.

No auge dos ataques, em que a família chegou a ser acusada  de ter envolvimento até com tráfico, o que depois se provou se tratar de uma grande injustiça, Marmud e Marieta Cameli foram parar na UTI.

Orleir, pressionado pela família, abriu mão da candidatura à reeleição.

Jorge Viana então montou uma nova estratégia de aproximação com Cameli, que resultou em um acordo de não agressão.

Falo por que EU VI e ouvi a conversa num dos suntuosos cômodos da famigerada Companhia de Selva, ali próximo ao Campo do Vasco.

Viana foi eleito, Cameli abandonou a politica e seu irmão mais novo, Eládio, com esposa Linda e os filhos Gladson , Gledson e Júnior, foram morar em Manaus.

Gladson, porém, não desistiu da política, apesar da resistência familiar. Foi eleito e reeleito deputado federal, senador e governador.

Eleito governador, aliás, por conta do acordo de Orleir, aliados comentavam: um Cameli entregou a faixa pro PT e outro Cameli pegou de volta.

Extremamente popular, assim como seu tio, voltou a ser alvo dos ataques do PT e de Jorge Viana.

Quase 30 anos depois a história se repete: Viana, depois de uma derrota avassaladora em 2018 para o Senado, quer voltar ao poder e já escolheu seu alvo: o popular governador Gladson Cameli.

Mas Viana sabe que disputar o governo contra um Cameli é um risco alto demais. Daí porque reluta em ser candidato ao Palácio Rio Branco enquanto centra suas metralhadoras contra o atual ocupante usando a mesma estratégia do passado, com uma diferença: Gladson não é Orleir e sua probabilidade de desistir da reeleição hoje é menor que zero.

A pergunta que fica é: conseguirá Jorge Viana e o PT serem bem sucedidos dessa vez?

 




- Advertisement -spot_img

Mais notícias