destaque2

No Acre, fascistas atacam mural com pinturas de Mariele Franco e outras mulheres negra

Published

on

Com a chegada de Bolsonaro no Poder, o Brasil vive uma onda extremista e é cada vez mais nítido o surgimento de células fascistas no país, coisa distante de cotidiano até há bem pouco tempo.
Conhecido historiador e poeta de Rio Branco, Cesar Augusto (O Cesinha do Cantoria), usou um perfil de rede social para externar sua indignação com a ação de vândalos de Rio Branco.
Na postagem, o Poeta diz estranhar o silêncio diante do ataque a um dos cartões postais mais bonitos da paisagem urbana da capital.
“Eu não acredito em coincidência ideológica passar tinta branca na arte dos grafiteiros em Rio Branco, centro da cidade, bem na avenida Ceará. Mas não estragaram tudo, apagaram justamente o Grafite de homenagem a Marielle e o das mulheres negras. E na cidade…um silêncio dos cemitérios, isso não é manifestação política, é terrorismo político, fascismo fingindo-se de democracia”, desabafou Cesinha.
O Monumento faz parte de uma das muitas artes espalhadas pela cidade, fruto de uma ação cultural apoiada pela Fundação de Cultura Garibaldi Brasil durante o Festival Nacional de Grafite, realizado há 3 anos atrás em Rio Branco.
De forma geral, o fascismo é um regime autoritário com concentração total do poder nas mãos do líder do governo. Esse líder deveria ser cultuado e poderia tomar qualquer decisão sem consultar previamente os representantes da sociedade. Além disso, o fascismo defende uma exaltação da coletividade nacional em detrimento das culturas de outros países.
Vale lembrar que o Acre é o estado mais Bolsonarista do Brasil e seus apoiadores estão diminuindo, embora cada vez mais extremistas e fiéis às bandeiras conservadoras e reacionárias defendidas pelo presidente.
Tentamos contato com presidente da Fundação Garibaldi Brasil, Pedro Henrique, mas não obtivemos sucesso.
O mural pinchado fica bem centralizado, e com ajuda de câmeras de segurança de estabelecimentos próximos a polícia pode chegar aos criminosos.
 

Leia Também:  Patricinha do tráfico é presa em Rio Branco durante operação da Polícia Civil

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

destaque2

Lei que proíbe uso de fogos de artifício barulhentos em eventos no Acre é aprovada

Published

on

Com o objetivo de preservar tanto pessoas idosas, autistas e até o mesmo os animais, a lei que proíbe a venda e uso de fogos de artifícios barulhentos em eventos no Acre foi aprovada na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) nesta terça-feira (12).

O PL, de autoria do deputado estadual Pedro Longo em coautoria com a deputada Meire Serafim, foi apresentado na semana passada e apreciado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e em seguida levado a plenário.

“Esse projeto atende a demanda de muitas famílias que têm pessoas autistas, enfermos e também daquelas entidades que fazem o resgate de proteção aos animais, já que além das pessoas com maior sensibilidade, os animais também sofrem muito com estes fogos com estampido, acabam fugindo, se sequelando e muitas vezes morrendo. Então, é um projeto com uma grande relevância social e, agora, esperamos que rapidamente o governador Gladson Cameli sancione para que se torne lei”, disse o deputado.

Na lei aprovada, é dado um prazo de 60 dias para os comerciantes que trabalham neste ramo se adequarem à nova lei assim que ela for sancionada.

Leia Também:  Sindicalistas pelegos atacam Sinteac, defendem governo e não cobram segurança nas escolas

Por G1

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI