destaque2

Veja os efeitos colaterais da dose de reforço da Janssen

Published

on

Junto com a chegada das novas doses do imunizante Janssen para o reforço de quem já tinha tomado uma dose desta vacina, também cresceram as dúvidas da população sobre as reações dessa nova dose. A vacina da Janssen era prescrita como dose única e não teve muitas doses aplicadas no Brasil.
As pessoas que foram vacinadas com a Janssen em Santa Catarina devem tomar a dose de reforço do mesmo imunizante. A exceção é para as gestantes, que podem completar a vacinação da Janssen com a dose de reforço da Pfizer
Em outros estados, a dose de reforço está sendo realizada com outros imunizantes, como é o caso de São Paulo, que aplica a segunda dose com o imunizante da Pfizer em todos os casos.
No estado de SC, até o momento, foram vacinadas com o imunizante da Janssen 258.345 pessoas De acordo com a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), no dia 20 de setembrou chegou a última remessa com esses imunizantes, ao todo foram 750 doses.
Conforme indicado pela bula do imunizante Janssen, as reações da dose de reforço podem ser diferentes em cada pessoa, podendo ser mais notável ou não. A vacina da Covid-19 (recombinante) pode causar efeitos secundários. A maioria dos efeitos colaterais ocorre em 1 ou 2 dias após a vacinação. Veja os efeitos colaterais mais relatados.
Efeitos colaterais muito comuns, que podem afetar mais de 1 em 10 pessoas:

  • Dor de cabeça
  • Náusea
  • Dores musculares
  • Dor no local da injeção
  • Sensação de muito cansaço
Leia Também:  Sexta é ponto facultativo para servidores do Estado do Acre, mas serviços essenciais não param

G1

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

destaque2

Lei que proíbe uso de fogos de artifício barulhentos em eventos no Acre é aprovada

Published

on

Com o objetivo de preservar tanto pessoas idosas, autistas e até o mesmo os animais, a lei que proíbe a venda e uso de fogos de artifícios barulhentos em eventos no Acre foi aprovada na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) nesta terça-feira (12).

O PL, de autoria do deputado estadual Pedro Longo em coautoria com a deputada Meire Serafim, foi apresentado na semana passada e apreciado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e em seguida levado a plenário.

“Esse projeto atende a demanda de muitas famílias que têm pessoas autistas, enfermos e também daquelas entidades que fazem o resgate de proteção aos animais, já que além das pessoas com maior sensibilidade, os animais também sofrem muito com estes fogos com estampido, acabam fugindo, se sequelando e muitas vezes morrendo. Então, é um projeto com uma grande relevância social e, agora, esperamos que rapidamente o governador Gladson Cameli sancione para que se torne lei”, disse o deputado.

Na lei aprovada, é dado um prazo de 60 dias para os comerciantes que trabalham neste ramo se adequarem à nova lei assim que ela for sancionada.

Leia Também:  Prefeitura de Rio Branco reforça medidas para sair da faixa de emergência da pandemia

Por G1

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI