BRASIL

Agência Brasil explica o que são as estações do ano

Published

on

A primavera começa hoje (22) no Hemisfério Sul, às 22h04, e, assim, deixamos o inverno para trás. Esse é o momento que marca a saída de um período de seca na região central do Brasil, que começa a experimentar dias mais chuvosos e úmidos. As outras regiões também são afetadas pelo início do transporte de umidade vinda da Amazônia, explicando a incidência de chuvas no Sudeste, Centro-Oeste e Norte do país.

Mas o que são as estações do ano e como ocorrem? A explicação tem origem na inclinação da Terra em relação ao sol. A Terra faz dois movimentos, de rotação e translação. A rotação é um movimento do planeta em torno do próprio eixo e dura 24 horas. Já a translação é um movimento em torno do sol e dura 365 dias.

Essas movimentações do planeta provocam fenômenos como dias mais longos e dias mais curtos, além da mudança das estações do ano: primavera, verão, outono e inverno. Mas isso só ocorre devido à posição inclinada da Terra. Se ela não fosse inclinada em seu eixo, não haveria mudança de estações e todos os dias teriam 12 horas de luz e 12 horas de escuridão.

E são a rotação e a translação que permitem o cálculo do dia e hora exatos para mudança das estações.

Primavera

As estações variam de acordo com a inclinação dos raios solares e a posição da Terra em relação ao sol. Quando a movimentação da Terra posiciona o Polo Sul em direção ao sol, o Hemisfério Sul (onde estão América do Sul e Austrália, por exemplo), fica mais aquecida, trazendo o verão. Ao mesmo tempo, é inverno no Hemisfério Norte (onde estão Estados Unidos e Europa, por exemplo). Seis meses depois, a posição dos polos se inverte e é a vez do Polo Norte receber mais luz e calor, levando o verão aos países mais ao norte. Nesse momento, o Hemisfério Sul experimenta o inverno.

Leia Também:  CRA debate expansão da cultura do trigo no Brasil

A primavera, que começa hoje, marca o fim do inverno, sendo a estação de transição até o verão, previsto para começar no Hemisfério Sul em 21 de dezembro. A data de início da primavera acontece quando temos a mesma quantidade de luz do sol nos dois hemisférios, Sul e Norte, e o dia e a noite têm a mesma duração.

Tradicionalmente, a primavera traz a volta de dias mais longos e quentes, mas não tão quentes quanto o verão. Costuma ser uma época de temperatura moderada. É nesse período que animais se reproduzem e alguns insetos voam em busca do néctar das flores.

Este ano, porém, o início da primavera não será tão agradável. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), uma frente fria está chegando na Região do Sul do país e nos estados do Mato Grosso do Sul e São Paulo, o que diminui as temperaturas e aumenta a quantidade de chuvas.

Segundo explicou Heráclio Mendes, meteorologista do Inmet, o final de semana chega com muito frio no sul do país. “Com o avanço dessa frente fria entre quinta e sexta-feira, já aumenta a chance de temperatura bem mais baixa no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, até com chance de formação de geada”, disse ele à Rádio Nacional. Ele acrescentou, no entanto, que esse cenário vai se modificando à medida que o verão se aproxima, na segunda metade de dezembro.

Outras estações

No verão, a temperatura é mais alta e os dias mais longos, sobretudo nos países mais afastados na linha do Equador. As árvores estão mais frutíferas e há a incidência de chuvas devido à vaporização das águas. Por isso, às vezes, o céu fica nublado, graças ao acúmulo de águas dos rios e dos mares transportadas para a atmosfera em forma de vapor. No Hemisfério Sul, o verão inicia em 21 de dezembro e termina em 21 de março.

Leia Também:  EUA querem eleições 'limpas' no Brasil, diz secretário americano

O outono marca o período das colheitas. Os dias ficam mais curtos e frescos, e os frutos e folhas estão bem maduros e começam a cair. Uma paisagem típica de outono traz árvores com folhas amareladas ou avermelhadas, e o chão também repleto delas. No Hemisfério Sul, o outono tem início por volta de 21 de março e vai até 21 de junho.

Por fim, o inverno é o período mais frio, onde o hemisfério tem menos contato direto com o sol. Os dias são bem mais curtos, sobretudo em países mais afastados da linha do Equador, e as noites são mais frias. No sul do Brasil, não é rara a ocorrência de neve e geadas. É nessa estação que alguns animais entram em hibernação e se recolhem. No Hemisfério sul, o inverno começa por volta 21 de junho e termina por volta de 21 de setembro.

Solstício e equinócio

Outros fenômenos relacionados às movimentações da Terra são o solstício e o equinócio. O solstício de verão representa um dia mais longo que os demais. Isso ocorre graças ao posicionamento de um dos hemisférios, mais voltado para o Sol. Dessa forma, ele fica mais iluminado e por mais tempo, fazendo esse dia alcançar o pico de duração em todo o ano.

Enquanto um hemisfério experimenta o solstício de verão, o outro experimenta o solstício de inverno, quando a luz solar está no ponto mais distante do ano. Existe ainda o equinócio, o ponto intermediário dos dois solstícios. No equinócio, os dois hemisférios da Terra estão igualmente iluminados. Ele marca o início oficial do outono em um hemisfério e da primavera em outro.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

BRASIL

Governo altera regras sobre limite de vagas em certames públicos

Published

on

O presidente Jair Bolsonaro assinou decreto que permite a prorrogação da validade de concursos públicos sem autorização do Ministério da Economia.

A medida foi publicada hoje (27) no Diário Oficial da União e vale para órgãos da administração pública federal direta, além de autarquias e fundações.

Os concursos públicos têm validade máxima de dois anos, contados da data da homologação, e podem ser prorrogados uma vez, por igual período, de acordo com a previsão do edital. Durante esse prazo, os órgãos podem continuar convocando os aprovados no certame.

O decreto desta terça-feira também altera o limite de candidatos aprovados em concursos públicos com duas etapas, como aqueles com curso de formação como parte integrante do processo. De acordo com o texto, para cada vaga prevista no edital, seis candidatos podem ser aprovados. Os números conforme as vagas previstas de 2 até 29. A partir de 30 vagas previstas em edital, poderá ser aprovado o triplo de candidatos.

No caso de concursos com apenas uma etapa, o limite de aprovados varia de 5 para cada vaga prevista até o dobro destas, caso a quantidade seja a partir de 30 vagas.

Leia Também:  Escola pioneira no Espírito Santo vai formar 12 fotógrafos cegos

O texto prevê ainda que, no caso de concursos que tenham curso ou programa de formação, o número de participantes não pode ser superior ao número de vagas, exceto quando o Ministério da Economia autorizar a nomeação de candidatos aprovados e não convocados, que ultrapassem em até 25% o quantitativo original de vagas.

Em nota, a Secretaria-Geral da Presidência da República explicou que “a alteração não gera regra aplicável diretamente aos certames públicos, mas é um comando dirigido às autoridades que formulam os editais de concurso público”.

“Espera-se que, com a medida, seja possível racionalizar o aproveitamento de candidatos em concursos públicos com curso de formação, em especial os envolvendo pessoal da Polícia Federal e Pessoal da Polícia Rodoviária Federal”, diz a nota.

Edição: Nádia Franco

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI