BRASIL

Caso do aborto negado à criança repercute na imprensa internacional

Published

on

source
Caso do aborto negado à criança repercute na imprensa internacional
Reprodução – 21/06/2022

Caso do aborto negado à criança repercute na imprensa internacional

A conduta da juíza Joana Ribeiro Zimmer, que, durante uma audiência sobre medida protetiva, tentou convencer uma criança de 10 anos,  vítima de estupro, a seguir com a gestação indesejada, repercutiu na imprensa internacional. A decisão de impedir o procedimento apesar do respaldo legal foi assunto em sites dos Estados Unidos e de países europeus e da América Latina.

A revista americana “Newsweek” destacou uma reportagem em seu site. A matéria ressalta que “o caso atraiu críticas generalizadas no país majoritariamente católico, com especialistas dizendo que não há base legal para a situação, nem em relação à postura que o hospital adotou, nem à decisão do juiz”.

Ainda nos EUA, o “The New York Post” lembrou que os médicos se recusaram a fazer um aborto na menina porque ela já estava com 22 semanas e dois dias de gravidez. E foi alegado que o procedimento poderia ser feito se a garota tivesse no máximo 20 semanas de gestação.

Leia Também:  MPF aciona PF e Marinha por buscas a jornalista inglês e indigenista

Na Inglaterra, o jornal “The Independent” chamou a atenção para o fato de que a maioria dos abortos no Brasil são realizados em condições médicas que colocam as mulheres em risco, em clínicas ilegais ou outros locais clandestinos.

O “Daily Mail”, também da Inglaterra, publicou duas reportagens sobre o caso. Na primeira noticiou a “indignação no Brasil” com negativa que a família da menina recebeu da Justiça para realização do aborto legal. Na segunda, escreveu em letras maiúsculas que a juíza Joana Ribeiro Zimmer foi promovida após negar o procedimento para a vítima.

O jornal italiano “Il Fatto Quotidiano” afirma que a “mãe da vítima de violência teve sua filha roubada para impedi-la de realizar um aborto”. A publicação se referia ao fato de que a menina foi mantida em abrigo para que o procedimento não fosse realizado.

A agência de notícias argentina Telam ressaltou que, além de negar o aborto, a juíza Joana Zimmer encorajou a menina a escolher o nome do bebê. A rede de televisão portuguesa Sic Notícias lembrou que a magistrada tentou persuadir a vítima a levar a gestação adiante.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

BRASIL

Aplicativo já permite realizar compras públicas de forma 100% digital

Published

on

Acesso fácil e eficiente para que os empreendedores participem das compras públicas do Governo Federal por meio de tablet e celular, com todo o processo 100% digital na modalidade dispensa de licitação. É o que traz o aplicativo Compras.gov.br. A ferramenta totalmente digital torna o processo mais ágil e prático e é mais um passo da desburocratização e transformação digital do Governo Federal.

O Compras.gov.br foi desenvolvido pelo Ministério da Economia em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e passou por atualização. Em maio deste ano, a funcionalidade de apresentação de propostas foi implementada no aplicativo Compras.gov.br.

“A nova versão do aplicativo Compras.gov.br permite que o processo de compra na modalidade dispensa de licitação seja feito de forma 100% digital, em dispositivos móveis. Isso faz com que empresas pequenas e mesmo pessoas físicas possam atuar como fornecedores do Governo de forma mais facilitada. Isso aumenta a competitividade e diminui o custo de aquisição do Governo Federal, gerando economia para os cofres públicos”, disse o Secretário de Gestão da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Caio Castelliano.

Leia Também:  Inmet emite alerta de perigo devido a temporais no litoral do Nordeste

Na última semana, o sistema registrou os primeiros vencedores que realizaram o processo de compra pública 100% no aplicativo. De acordo com o Ministério da Economia, a partir do segundo semestre deste ano, o fornecedor poderá participar também da etapa de lances para dispensa eletrônica.

O Compras.gov.br aproxima empreendedores e empresas de todos os portes do mercado das compras públicas que, em 2021, movimentou cerca de R$ 150 bilhões. É possível receber diariamente as oportunidades de licitações disponíveis. Após o cadastro, o licitante recebe as notificações do certame que está participando, como avisos, esclarecimentos e os eventos do processo, como homologação de item e convocação.

A empresária Tatiane Reis é proprietária de um bar e mercearia em Ribeirão Pires, interior de São Paulo. Por 30 anos, o pai dela esteve à frente do negócio e há 3 anos passou o bastão para Tatiane que segue com o empreendimento com a ajuda da filha e do marido. A família resolveu inovar para dar novo fôlego ao negócio.

“Resolvemos inovar e encontramos o ramo de licitações públicas. Foi algo prático, cadastramos nossa empresa e, com um friozinho na barriga, fomos participar da primeira dispensa eletrônica e fomos campeões. Foi algo que nos destravou para esse ramo e agora estamos participando de outras dispensas. Vamos estudar, buscar conhecimento, nosso sonho e desejo é participar de outros pregões e licitações maiores”, contou Tatiane Reis. 

Leia Também:  INSS garante mais tecnologia para agilizar o atendimento ao cidadão

Como participar

Os interessados em vender para a administração pública precisam de somente três passos para se credenciar no sistema de compras do Governo Federal: fazer o download do aplicativo que está disponível para Android e IOS, entrar com o login utilizando as credenciais do gov.br e inserir o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) ou Cadastro de Pessoa Física (CPF). Uma vez credenciado, já é possível participar.

[LINK Compras.gov.br: https://www.gov.br/compras/pt-br/sistemas/conheca-o-compras/aplicativo-compras]

Fonte: Brasil.gov

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI