BRASIL

PF identificou donos de 176 veículos em ato de 7 de setembro de 2021

Published

on

Caminhão usado na manifestação de 7 de setembro
Reprodução/YouTube Denilso Castro 14.08.2022

Caminhão usado na manifestação de 7 de setembro

Investigação da Polícia Federal e da Procuradoria-Geral da República (PGR) identificou os donos de caminhões, ônibus e carros que participaram dos atos antidemocráticos do 7 de setembro do ano passado, em Brasília.

No total, foram 176 veículos, dos quais 64 eram caminhões, quatro tratores e 91 carros comuns, além de ônibus alugados. Desse número, 59 pertenciam a empresas, e o restante, a pessoas físicas. Dentre os proprietários, há empresários bolsonaristas de setores como agronegócio e indústria, e até um deputado estadual do PL de Goiás — que afirma estar organizando novo ato para este ano.

Os dados foram levantados pela Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, responsável pela fiscalização do evento, que registrou as placas dos veículos e seus proprietários. A documentação consta do inquérito sigiloso sobre os atos antidemocráticos do 7 de setembro e foi obtida com exclusividade pelo GLOBO.

No despacho que determinou a obtenção dos dados, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes escreveu que a atuação dos organizadores do ato do dia 7 de setembro de 2021 “culminou na interdição, por caminhões, da Esplanada dos Ministérios, em tentativa clara de intimidação dos ministros desta Suprema Corte e em ameaça ao regular exercício do Poder Judiciário”. O ato realizado em Brasília foi marcado por  ataques ao STF.

Leia Também:  Censo 2022 começa em territórios indígenas

Moraes aponta que a investigação deveria se aprofundar nesse ponto. “Assim, a identificação dos proprietários dos veículos que causaram os transtornos ilegítimos do período supracitado é de fundamental importância ao objeto desta investigação, eis que se relaciona diretamente com a incitação de atos de violência sob análise e pode indicar, de uma forma ou de outra, o modus operandi utilizado na hipótese, inclusive com eventuais conexões com o financiamento dos supostos ‘protestos’”, escreveu o ministro.

A PF, então, realizou um cruzamento de dados para verificar se os veículos tinham alguma relação direta com os alvos da investigação sobre a organização dos atos antidemocráticos, mas não encontrou vínculos. A lista incluía outros empresários e bolsonaristas, que não apareciam como investigados no inquérito. Os dados foram enviados à PGR em fevereiro para definição dos próximos passos da investigação. Até o momento, entretanto, a vice-procuradora-geral da República, Lindôra Araújo, ainda não tomou nenhuma providência concreta sobre isso.

Como a investigação ainda não realizou diligências sobre os proprietários dos veículos, nenhum deles é formalmente investigado no inquérito.

Carro de deputado

Deputado estadual por Goiás, filiado ao PL e apoiador de Bolsonaro, Paulo Cezar Krauspenhar, conhecido como Paulo Trabalho, entrou na lista porque estava com seu carro na manifestação. Em uma rede social, o parlamentar postou vídeos e fotos no ato em Brasília.

Leia Também:  Empresa argentina vai fabricar veículos elétricos em Minas Gerais

Em um deles, defende que nenhum caminhão deveria ser retirado da Esplanada. Também publicou uma foto ao lado de uma faixa com a frase: “Deputado Paulo Trabalho apoia a intervenção federal no STF”. Essa medida é inconstitucional. Procurado, o deputado admitiu sua atuação e afirmou que já participa da organização de um novo ato na Esplanada neste ano.

“Temos vários grupos já formados e vamos em um número ainda maior de pessoas do que no último 7 de setembro. (O ato) Será focado no STF mesmo”, afirmou.

Dois grupos empresariais se destacaram no fornecimento de veículos: a Grão Dourado Indústria e Comércio, empresa do agronegócio comandada por Nilton, Ivan e Jonas Pinheiro de Melo; e o grupo do empresário Marlon Bonilha, dono da Pro Tork, fábrica de motopeças.

Os grupos tiveram seis veículos cada no ato na Esplanada dos Ministérios. No caso da Grão Dourado, foram três caminhões e três tratores, enquanto Bonilha tinha seis caminhões no evento. Procurada, a Pro Tork afirmou que não iria se manifestar. A Grão Dourado não respondeu.

A diretoria da Pro Tork foi recebida pelo presidente Jair Bolsonaro no Planalto, em junho de 2021, com fotos registradas nas redes sociais. Marlon Bonilha foi um dos participantes. Ele também é amigo do  empresário bolsonarista Luciano Hang, da Havan.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Nacional

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

BRASIL

TV Brasil conquista reconhecimento no Prêmio Sebrae de Jornalismo/RJ

Published

on

O programa jornalístico Caminhos da Reportagem, atração dominical da TV Brasil, foi agraciado com o 2º e 3º lugar na etapa Rio de Janeiro do 9º Prêmio Sebrae de Jornalismo (PSJ). O anúncio ocorreu durante solenidade na noite desta quinta (29) na capital fluminense.

As edições “Gastronomia da Solidariedade” e “Negócios de Impacto” foram classificadas na categoria Jornalismo em Vídeo e selecionadas para a decisão estadual. Com reportagem de Aline Beckstein, as duas matérias especiais reconhecidas entre as melhores produções na final foram realizadas pela equipe da emissora pública no Rio de Janeiro.

A premiação valoriza o trabalho da imprensa em prol do fortalecimento dos pequenos negócios. O objetivo é ratificar a relevância da cobertura e de notícias que conferem visibilidade à cultura empreendedora. O tema central deste ano é “A importância dos pequenos negócios para a economia do país”.

Apresentado originalmente em 13 de março de 2022, o episódio “Gastronomia da Solidariedade” garantiu a segunda colocação no prêmio. Com o título “Negócios de Impacto“, a outra pauta teve exibição na telinha em 14 de novembro de 2021. Os conteúdos estão disponíveis no app TV Brasil Play. O público também pode conferir as reportagens no site do canal e em suas redes sociais.

Leia Também:  Rodízio de veículos em Rio Branco: dias pares, final de placa par. Dias ímpares, final da placa ímpar. Veja o decreto na íntegra

Sobre o prêmio

O Prêmio Sebrae de Jornalismo (PSJ) distingue as melhores notícias veiculadas em diferentes canais da mídia brasileira ou novas plataformas digitais sobre empreendedorismo e pequenos negócios. A iniciativa reforça o papel fundamental da imprensa para fortalecer e dar visibilidade aos pequenos negócios.

A nona edição do concurso recebeu mais de 1.100 inscrições. Conteúdos jornalísticos veiculadas entre os dias 1° de setembro de 2021 e 29 de junho de 2022 disputam a premiação.

Os trabalhos inscritos nas categorias de texto, áudio, vídeo e foto concorreram na etapa estadual. Os contemplados seguem no páreo em busca da vitória nas etapas regional e nacional.

As inscrições voltadas aos prêmios especiais têm apenas a seleção na etapa nacional. Os finalistas devem ser anunciados próximo à data da cerimônia nacional do 9º Prêmio Sebrae de Jornalismo (PSJ) que está prevista para ocorrer no dia 6 de dezembro, em Brasília.

Edição: Lílian Beraldo

Fonte: EBC Geral

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI