Carros e Motos

Bruno Baptista e Velocitta comemoram juntos 10 anos de corridas

Published

on

source
Bruno Baptista confia que pode ficar entre os melhores colocados na prova em Mogi Guaçu (SP)
Divulgação

Bruno Baptista confia que pode ficar entre os melhores colocados na prova em Mogi Guaçu (SP)

Em sua melhor fase no Brasileiro de Stock Car Pro Series 2022, Bruno Baptista tem bons motivos para tentar se destacar novamente na 4ª etapa do campeonato que será realizada com duas corridas, neste domingo (15), a partir das 13h20, no Velocitta, que terá transmissão ao vivo da Band e do canal SportTV 3.

No moderno e seguro autódromo de Mogi-Guaçu , interior de São Paulo, que está completando 10 anos de atividades com a Stock Car , o jovem piloto conquistou a sua primeira vitória na principal categoria do automobilismo brasileiro, em 2019. Agora, neste final de semana, justamente nele, irá comemorar também 10 anos de carreira, iniciada no kart, em 2012.

Ao contrário da maioria dos 32 pilotos que competem no brasileiro de Stock, Bruno Baptista começou tarde no kart, com 14 anos. Competiu apenas duas temporadas que foram suficientes para lhe dar experiência para se tornar, em 2014, com apenas 17 anos, o primeiro campeão da Fórmula 4 Sul-americana , certame que também tinha o aval da FIA (Federação Internacional de Automobilismo).

Porém, naquela época, é claro, sem as mesmas condições técnicas e tecnológicas da atual F4 Brasil , que coincidentemente fará as suas três primeiras corridas da sua 1ª etapa neste final de semana, no próprio Velocitta.

Duas serão no sábado, sendo a primeira às 9h40 e a segunda às 14h40, logo após o treino de classificação da Stock, às 13h25, com transmissão da SporTV. A terceira disputa da F4 Brasil acontece no domingo, às 12h10, como preliminar das duas corridas de Stock Car Pro Series (a inicial às 13h40 e a final às 14h15).

Leia Também:  Editorial: Bruno, a hipocrisia e o feminismo de ocasião

“Sem dúvida, ter sido o primeiro campeão da F4 sul-americana e estar na mais importante categoria do automobilismo brasileiro justamente na estreia da F4 Brasil, que chegou aqui pela Vicar sob o trabalho de primeira qualidade sob a liderança do seu CEO Fernando Julianelli, é motivo de muito orgulho.

Bruno Baptista em frente aos boxes da equipe que trabalha no seu Toyota Corolla de corrida
Divulgação

Bruno Baptista em frente aos boxes da equipe que trabalha no seu Toyota Corolla de corrida

Dentro do possível, é claro, posso ficar à disposição dos novos pilotos dessa categoria, que tenham interesse, para contar a minha experiência daquela época do meu título e também dos dois anos que corri lá fora na Fórmula Renault e um na própria GP3, enfrentando, inclusive, os maiores nomes dessa nova geração da F1 , como o George Russell, agora na Mercedes, o Lando Norris, da McLaren e outras feras. Mas posso adiantar como principal orientação é que o ideal é não querer pular degraus.

Não ter pressa para escolher uma boa equipe porque os pilotos europeus quase sempre levam vantagem por viverem lá e adquirem melhor experiência para chegar ainda mais novos nas escolas de formação de pilotos das próprias equipes de corridas da F1”, explica Bruno Baptista.

Depois de três anos fora do país, Bruno voltou para o Brasil após receber um convite da Hero Motorsport para correr no Campeonato Brasileiro de Stock Car 2018 com apoio da RCM Motorsport de Marcel Campos, filho do Rosinei “Meinha”, equipe com o maior número de vitórias e títulos da importante categoria.

Bruno teve como parceiro, logo no primeiro ano, o experiente Lucas Di Grassi, que chegou na Stock com a fama de ter sido campeão mundial de Fórmula E , em 2017, pela Audi, além de ter sido um dos grandes nomes da tradicional corrida de longa duração 24 Horas de Le Mans pela própria marca alemã.

Leia Também:  GM mostra vídeo da nova picape Montana, que será lançada em 2023

Bruno já foi considerado um dos pilotos revelação daquela temporada, mas foi na seguinte, tendo como parceiro Max Wilson, campeão da Stock , em 2010. Com apenas 22 anos, ficou entre os top 9 e obteve a sua primeira vitória, no Velocitta , em fins de 2019, quando passou a ser o quarto piloto mais jovem de toda a história de 40 anos da Stock, naquele momento.

Novo visual do carro de Bruno Baptista aparece pela primeira vez na 4ª etapa do Brasileiro
Divulgação

Novo visual do carro de Bruno Baptista aparece pela primeira vez na 4ª etapa do Brasileiro

É justamente, agora no Velocitta , tendo como parceiro nos últimos dois anos outro experiente piloto, Ricardo Zonta, com boa passagem até no circo da F1, que Bruno Baptista, com 2 vitórias, uma pole-position e 8 pódios (o último com um 2º lugar na veloz pista do Galeão, no Rio de Janeiro), irá tentar mais um bom resultado na principal categoria do automobilismo brasileiro.

“É muito difícil subir no pódio por duas vezes consecutivas em etapas da Stock Car. O desafio é grande diante do nível técnico e qualidade dos pilotos. Mas quanto maior o desafio, mais motivado fico para conquistar outros importantes resultados para chegar no meu principal objetivo de terminar o ano entre os cinco melhores do campeonato”, finaliza Bruno Baptista, que tem apoio das empresas XP Private, Cobra Automotiva, Loctite, Teroson, NGK e VOLT.

*PROGRAMAÇÃO DA 4ª ETAPA DA STOCK CAR NO VELOCITTA*

*Sexta-feira, 13 de maio* 08h20 – Shakedown 11h05 – Treino de Rookie 14h10 – 1º Treino – 1º Grupo 14h50 – 1º Treino – 2º Grupo

*Sábado, 14 de maio* 10h30 – 2º Treino – 1º Grupo 11h10 – 2º Treino 2º Grupo 13h25 – Classificação

*Domingo, 15 de maio* 13h40 – Corrida 1 (30 minutos + 1 volta) 14h15 – Corrida 2 (30 minutos + 1 volta)

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

Carros e Motos

A ligação do automobilismo brasileiro com o mês de maio

Published

on

source
Ayrton Senna na sua estreia na Fórmula Ford em Crystal Park, na Inglaterra
Reprodução

Ayrton Senna na sua estreia na Fórmula Ford em Crystal Park, na Inglaterra

Maio parece ser predestinado para o automobilismo brasileiro. Este mês marca a perda de Ayrton Senna, o maior ídolo mundial do esporte a motor. Tive a oportunidade de conhecê-lo, bem jovem, quando esteve no escritório da Ford para um pedido simples: saindo do kart, iria para a Inglaterra iniciando sua carreira na corrida de monoposto da Fórmula Ford inglesa.

Humilde, gentil e carismático, Ayrton não pediu patrocínio: apenas uma carta de apresentação da filial brasileira para a inglesa da marca. A partir da Fórmula Ford , começa uma uma grande história de sucesso até chegar ao tricampenato na F1.

Mas falando de história, no dia 15 de maio de 1983, a três maiores gerações de pilotos brasileiros, Chico Landi, Emerson Fittipaldi e Ayrton Senna, se encontraram uma única vez na prova Desafio dos Campeões, em Interlagos. Foram homenageados durante a etapa paulista do campeonato brasileiro da Fórmula Ford .

Leia Também:  Advogada diz que Bruno Borges foi "irresponsável e moleque". Médico defende estudante desaparecido

A foto da Folha da Manhã registra esse marco histórico, há quase 40 anos. Chico Landi foi um precursor na década 50 correndo nas pistas de rua em São Paulo e Rio de Janeiro, empolgando o público que aprendia gostar do automobilismo ainda incipiente no Brasil.

Emerson Fittipaldi ao volante de um Fórmula Ford, em 1970, antes de seguir para a Fórmula 1
Divulgação

Emerson Fittipaldi ao volante de um Fórmula Ford, em 1970, antes de seguir para a Fórmula 1

O bicampeão da Fórmula 1 , Emerson Fittipaldi, hoje aos 75 anos, é um “embaixador” do automobilismo brasileiro. Vi de perto sua emocionante vitória no Torneio Internacional BUA de Fórmula Ford, em 1970, lançando a categoria no Brasil.

Interessante que também num 1º de maio, há exatos 50 anos, Fittipalidi conquistava a primeira vitória na temporada de 1972 da F1, ano do seu primeiro título mundial, com a Lotus-Ford .

Agora, na semana retrasada, dia 4 de maio, ele foi mais uma vez protagonista fazendo a volta inaugural do Grande Prêmio de Fórmula 1 de Miami, nos EUA. Pois é, vários acontecimentos num mesmo mês de maio ao longo dos anos podem ser coincidência. Mas, mostram páginas de belas histórias de ídolos brasileiro.

Leia Também:  Expoacre vem aí: Wesley Safadão tem cachê de R$ 600 mil e Bruno e Marrone, R$ 350 mil

Mais uma coincidência deste mês, o movimento Maio Amarelo foi criado no mundo para chamar a atenção da sociedade dos altos índices dos acidentes de trânsito. Pilotar em alta velocidade é só nas pistas de corrida com total segurança e com pilotos habilitados. Não nas vias públicas.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI