Destaque

O plano de dominação de Márcio Bittar, o Maquiavel do Acre, que copia Jorge Viana e trai os próprios aliados

Published

on

O senador Márcio Bittar não esconde de ninguém sua repulsa – política – ao ex-senador Jorge Viana, a quem credita suas derrotas do passado, mas está cada dia mais parecido com o principal líder da extinta, mas não morta, Frente Popular do Acre, com uma pequena diferença: enquanto Viana se mantém fiel ao PT ao longo dos anos, Bittar muda de partido de acordo com a conveniência política do momento.
No mais, suas táticas de dominação e manipulação de poder são bem parecidas. Jorge Viana queria ser, e foi por um breve período, o rei do Acre, dominando prefeituras, Estado e parlamento. Para tal criou a aliança da Frente Popular que, no seu auge, chegou a ter mais de 13 partidos.
Bittar segue a mesma pegada. Senador pelos próximos cinco anos, quer garantir a eleição da esposa, ou ex-esposa, como queiram, para única vaga do Senado em disputa; do filho para uma vaga na Assembleia Legislativa (nem mesmo ele ousaria lançá-lo a deputado federal, projeto já preparado para 2026), além de uma vaga na Câmara dos Deputados que está destinada a um dos aliados mais fiéis.
Mas não é só isso. Bittar segue Viana na obsessão por um vaga na Esplanada dos Ministérios. Nisso leva vantagem. Enquanto Viana foi, literalmente, deixado para trás, por conta da força política, à época, da senadora Marina Silva (ministra do meio ambiente de Lula), Bittar já tem um acordo firmado e assinado com o presidente Bolsonaro para assumir a pasta da Casa Civil ou Ministério do Desenvolvimento Regional, a partir do próximo ano.
Para ter o aval do presidente, além de lançar a mulher Márcia como candidata ao Senado, Bittar precisava fazer sua candidatura forte. Para isso trouxe para o seu grupo seis partidos políticos de média densidade eleitoral e tenta seu golpe fatal ao garantir, para si, a direção regional do novo partido que vai ser formado com a fusão do DEM com o PSL.
Essa aliança (seria a Frente Popular de direita?) emparedou, empalou e deixou à margem da disputa de 2022 o atuante deputado federal Alan Rick,  uma vez que seu partido, DEM, está agora sob a guarda de Bittar.
Não custa lembrar: Alan é o mais fiel e leal dos parlamentares federais ao governador Gladson Cameli (PP).
Márcio quer quebrar o estigma de que a ex-mulher não tem chances, nem aliados.
Bittar trabalha nos bastidores para tirar de Alan Rick o que ele tinham de mais precioso: os partidos que dirigiam e que tem tempo de TV e Fundo Partidário. Hoje o Solidariedade, de Vanda Milani, outra postulante ao senado, também está nas mãos dos Bittar, inclusive com apoio, pasmem, do ex-aliado-mor de Jorge Viana, o ex-deputado Moisés Diniz, outrora comunista, hoje Bittar desde criancinha.
Ou Seja, Bittar empalou os ex-aliados e agora adversários do seu projeto de poder, colocou Vanda Milani no paredão com a ex-deputada Antônia Lúcia na sua cola em busca do mandato.
Mas Alan, pelo legado político que conquistou, sendo a grata surpresa dentre os novas figuras públicas da República, não deve deixar barato.
Não é correto afirmar que o deputado ficará subserviente ao senador.
É prudente que Rick busque uma sigla forte para disputar a reeleição em 2022, afinal se submeter aos caprichos de Bittar não será uma decisão inteligente.
Logo ele que foi por diversas vezes ameaçado de demissão por ser fiel aos princípios da liberdade de expressão enquanto apresentador de TV, e teve até a irmã, Mirla Miranda, demitida da TV Gazeta por fazer campanha para quem? Para Bittar, claro.
Bittar pode odiar Jorge Viana, mas segue seus passos e vem conseguindo, a custa de muitos inimigos, colocar em prática seu plano de dominação de poder. O único problema é que pode perder a vaga do Senado exatamente para quem? Jorge Viana.
Seria cômico, se não fosse trágico e se não estivesse em jogo o futuro do cidadão acreano.
Definitivamente a dinâmica da política do Acre não é para amadores.

Leia Também:  Sem a reforma da Previdência, a saída é pedir intervenção federal, lamenta governador do Acre

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

ACRE

Confira: Prefeitura de Sena Madureira abre processo seletivo com 155 vagas

Published

on

Inscrições abertas para o Processo Seletivo da Prefeitura de Sena Madureira que pretende contratar 155 profissionais na área da educação. Os interessados podem se inscrever exclusivamente por meio eletrônico, até 13 de abril de 2022, no site da Fundape http://fundape.com.br/?e=page&q=2022-02-sena-madureira ,respeitando o horário do Acre.

As vagas são para Professor de Creche (14); Professor da Educação Infantil – Pré-Escola (14); Professor do Ensino Fundamental – 1.º ao 5.º ano (50); Professor da Educação Infantil Pré-Escola – Zona Rural (6); Professor do Ensino Fundamental I – 1.º ao 5.º ano – Zona Rural (41); Professor do Ensino Fundamental II – 6.º ao 9.º ano – Zona Rural (30).

Os profissionais deverão realizar suas funções em jornadas de 25 horas-aula, referente a remuneração máxima atingida de R$1.579,66. O prazo de validade do Processo Seletivo será de oito meses, correspondentes aos meses de maio a dezembro de 2022, prorrogável, a critério da Prefeitura Municipal de Sena Madureira, por período necessário ao cumprimento do ano letivo.

Leia Também:  Coluna - Brasil domina estreia paralímpica da Gymnasíade

A prova deve ocorrer no dia 01 de maio, com duração de três horas. A prova abordará questões de Matemática, Português, Conhecimentos Gerais, Atualidade, Legislação e Conhecimentos Específicos.

Fonte: Acrenews

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI