ECONOMIA

Falha do Bradesco expôs dados de contratos de 53 mil clientes

Published

on

source
Bradesco pode ter exposto dados de clientes
Wikimedia Commons

Bradesco pode ter exposto dados de clientes

O Bradesco informou nesta sexta-feira (13) que sua subsidiária Bradesco Financiamentos S.A. detectou um incidente que pode ter resultado no vazamento de dados de 53 mil clientes.

O banco frisou que a suspeita de exposição de dados está restrita à Bradesco Financiamentos. O Bradesco afirmou, em comunicado ao mercado, que essa falha “pode ter permitido a visualização não autorizada de dados de contratos de financiamento de veículos de aproximadamente 53 mil clientes”.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia

O texto, assinado pelo diretor executivo e de Relações com Investidores do Bradesco, Leandro de Miranda Araujo, diz que “todas as medidas necessárias para a solução do incidente, bem como de comunicação aos clientes e às autoridades competentes, foram adotadas pela Bradesco Financiamentos”.

Os clientes que foram alvo de vazamento teriam sido alertados a ficarem atentos a golpes, apesar das informações vazadas não incluírem dados transacionáveis.

Leia Também:  Locadoras de veiculos do Acre foram as principais clientes das montadoras. Confira

O comunicado ressalta que “a característica dos dados eventualmente visualizados não coloca em risco a integridade de acesso a sistemas transacionais desses clientes junto à Bradesco Financiamentos”. O banco ainda diz que “reforça seu compromisso com a transparência e a segurança dos dados de seus clientes”.

Empresas do mundo todo têm registrado falhas e ataques digitais que resultaram em vazamento de dados de clientes. No Brasil, o Banco Pan comunicou que sofreu uma invasão de cibercriminosos , que vazaram os dados de usuários de cartões de crédito da instituição.

Em fevereiro, um  ataque hacker sofrido pela Americanas resultou em uma perda de R$ 923 milhões em vendas, segundo o relatório divulgado nesta sexta-feira pela varejista.

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) não prevê sanções específicas para vazamento de dados, mas pode haver medidas administrativas. Caso o consumidor sofra algum dano como consequência do vazamento dos seus dados pessoais, ele pode acionar judicialmente a empresa responsável pelo tratamento para garantir uma reparação.

Leia Também:  Professora com 2 contratos não dá aula, é comissionada, radialista e usa carro oficial

O que fazer em caso de dados vazados

A recomendação geral de especialistas é que os usuários fiquem atentos a contratação de serviços e empréstimos desconhecidos em seu nome, bem como desconfiar de cobranças ou avisos repentinos por mídia física ou digital. Não clique em links recebidos de desconhecidos.

Consumidores também devem ficar atentos a contatos que pedem informações confidenciais, mesmo quando fornecem parte dos seus dados. Na dúvida, não forneça e entre em contato com sua instituição financeira pelos canais oficiais.

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

ECONOMIA

Plataforma oferece jogos virtuais a escolas de Ensino Fundamental

Published

on

source
Kiduca oferece game que trabalha conteúdos de todas as matérias do currículo nacional
Divulgação

Kiduca oferece game que trabalha conteúdos de todas as matérias do currículo nacional

De acordo com o Censo da Educação Básica 2020, existem aproximadamente 179 mil escolas de Educação Básica no Brasil, das quais 25 mil são particulares. A maioria dessas escolas ainda carece de propostas de ensino diferenciadas, como a gamificação.

Um mercado de destaque que é explorado pela Kiduca, empresa que desenvolveu uma plataforma educacional que estimula alunos do Ensino Fundamental a aprenderem por meio de desafios lúdicos e divertidos. A companhia recebeu recentemente o empreendedor Janguiê Diniz, fundador do grupo Ser Educacional e presidente do Instituto Êxito de Empreendedorismo, como novo sócio, para impulsionar seus projetos e traçar novos planos de futuro.

A Kiduca desenvolveu um jogo para smartphones, tablets e computadores, que se passa em um mundo próprio, no qual cada região corresponde a uma área de estudo.

“Todo o nosso conteúdo foi desenvolvido por um grupo de especialistas em educação com grande experiência em aprendizagem infantil personalizada com novas abordagens educacionais, tendo como base a Base Nacional Comum Curricular do Ministério da Educação”, explica o CEO da empresa, Jorge Proença.

“Há um storytelling envolvendo todas as matérias do game. Desde o primeiro contato com o Kiduca, o aluno vai vivendo uma história, onde ele é o protagonista para ajudar os personagens na narrativa”, completa. O game é voltado para alunos do Ensino Fundamental I (5 a 11 anos).

Leia Também:  Flamengo x River: acreanos embarcam na 6ª, agências já dispensam clientes e 20 mil rubro negros cruzarão estradas do AC até Lima

O estudante mergulha em uma história envolvente, acompanhando a trajetória de uma menina robô que, após perder todos os seus conhecimentos, precisa de ajuda para encontrá-los. Em poucos movimentos, o aluno entende sua importância na narrativa e se sente imbuído em ajudar a personagem ao longo da história.

“Nesse ‘mundo’, além de serem criadas situações para estimular a curiosidade do aluno e trabalhar conceitos de cidadania e valores morais, ainda é possível interagir com os outros coleguinhas de sala, por meio de um chat monitorado no próprio jogo”, acrescenta Proença.

Além dos conteúdos já existentes, a plataforma é aberta para que os professores acrescentem, por exemplo, suas aulas em formato de vídeo, quizzes, minigames etc.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG


Crescimento

Atualmente, a Kiduca atende a mais de 700 escolas particulares no território nacional, com mais de 230 mil estudantes utilizando diariamente a plataforma educativa. Com a entrada de Janguiê Diniz no quadro societário, o plano é potencializar as ações.

Leia Também:  VÍDEO: Falha grave da Emurb prejudica coordenador de ramais que ficou inválido em acidente de trabalho

“Essa é uma divisão clara de momento de negócio. Com o apoio do Janguiê, a Kiduca tem a possibilidade de se posicionar como autoridade em gamificação para educação, receber mentoria de um empreendedor de sucesso na área educacional e, principalmente, vislumbrar e planejar a expansão exponencial do negócio”, pontua Jorge Proença.

“É muito bom fazer parte de um time empenhado em oferecer cada vez melhores soluções para o sistema educacional brasileiro. Eu sou um ferrenho defensor da educação como ferramenta de transformação social e acredito que a Kiduca tem grande potencial de gerar impacto relevante no processo de ensino-aprendizagem”, declara o empreendedor Janguiê Diniz.

Para este ano, a meta da Kiduca é crescer 200% por meio de um plano de expansão pautado em marketing de conteúdo e vendas smart, além da melhoria do produto.

“Nós temos muito trabalho pela frente, mas sei que o destino da Kiduca é ser mais uma gigante educacional, trazendo produtos e serviços que realmente façam a diferença na vida dos estudantes brasileiros e, consequentemente, da sociedade como um todo”, complementa Janguiê.

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI