ECONOMIA

INSS paga R$ 1,73 bilhão em atrasados para aposentados; confira

Published

on

Beneficiários do INSS terão direito a atrasados, decide Justiça Federal
Luciano Rodrigues

Beneficiários do INSS terão direito a atrasados, decide Justiça Federal

Os beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que ganharam na Justiça o direito de revisão de seu benefício, irão receber R$ 1,73 bilhão em atrasados de até 60 salários mínimos, ou R$ 72.720. O valor atende a revisões de aposentadorias, auxílios-doença, pensões e outros. 

Concedido pela Justiça Federal, o pagamento será feito para aqueles que se enquadram na RPV (Requisição de Pequeno Valor), ou seja, ações de até 60 salários mínimos. Aqueles que processaram o INSS e ganharam a ação, e cuja data da ordem de pagamento do juiz tenha sido durante agosto de 2022 têm direito ao pagamento.

O segurado deve ter a ação encerrada e não pode haver a possibilidade de recurso pelo INSS. Ou seja, já precisa ter transitado em julgado e atendem especificamente aposentados, pensão por morte, auxílio doença e BPC (Benefício de Prestação Continuada). 

A data do pagamento depende do cronograma do tribunal responsável pela ação e estará disponível para consulta pelo site do Tribunal Regional Federal de cada região. O pagamento foi autorizado pela Justiça e atende 88.908 processos, com 113.780 beneficiários.

Leia Também:  Confira a agenda dos candidatos à Presidência para este domingo (25/9)

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia . Siga também o  perfil geral do Portal iG

Confira quanto será pago em cada região

TRF da 1ª Região (DF, MG, GO, TO, MT, BA, PI, MA, PA, AM, AC, RR, RO e AP): 

  • Previdenciárias/Assistenciais: R$ 719.286.930,90 (36.330 processos, com 41.869 beneficiários). Geral: R$ 849.567.834,61

TRF da 2ª Região (RJ e ES)

  • Geral: R$ 151.322.509,98 Previdenciárias/Assistenciais: R$ 118.428.918,59 (5.980 processos, com 7.824 beneficiários). 

TRF da 3ª Região (SP e MS)

  • Geral: R$ 341.405.598,02. Previdenciárias/Assistenciais: R$ 266.321.867,16 (9.639 processos, com 11.871 beneficiários)

TRF da 4ª Região (RS, PR e SC)

  • Geral: R$ 457.769.315,72. Previdenciárias/Assistenciais: R$ 389.420.955,46 (21.763 processos, com 27.838 beneficiários)

TRF da 5ª Região (PE, CE, AL, SE, RN e PB)

  • Geral: R$ 292.393.086,66. Previdenciárias/Assistenciais: R$ 244.021.609,25 (15.196 processos, com 24.378 beneficiários)
Leia Também:  Quase 60 milhões de pessoas já foram recenseadas, diz IBGE

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

ECONOMIA

Uso de cheques cai 14% no 1º semestre

Published

on

Uso de cheques no país mantém queda e reduz 14% no primeiro semestre
Imagem de Arquivo/Agência Brasil

Uso de cheques no país mantém queda e reduz 14% no primeiro semestre

O avanço dos meios de pagamento digitais, como internet e mobile banking, e a criação do Pix em 2020 fazem com que o uso do cheque no país continue mantendo a queda verificada nos últimos anos. No primeiro semestre de 2022, o número de documentos compensados no Brasil atingiu 103,9 milhões, uma redução de 13,8% em relação ao mesmo período de 2021, quando totalizou 120,6 milhões de documentos compensados.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG 

As estatísticas têm como base a Compe – Serviço de Compensação de Cheques. No ano passado, o número de cheques compensados no Brasil caiu para 218,9 milhões, uma redução de 93,4% em relação ao ano de 1995, início da série histórica, quando foram compensados 3,3 bilhões de cheques. Na comparação com 2020, a queda foi de 23,7% – naquele ano, foram compensados 287,1 milhões de documentos em todo o país.

Leia Também:  INSS usará robôs em recursos administrativos dos segurados

“O cliente bancário tem deixado, cada vez mais, de usar cheques, e optado por outros meios de pagamento, em especial os canais digitais, que hoje são responsáveis por 70% das operações bancárias no país. E a crescente digitalização do cliente bancário foi impulsionada, também, pela entrada em funcionamento do Pix, em novembro de 2020. Só neste primeiro semestre foram feitas 9,74 bilhões de transações totalizando R$ 4,66 trilhões”, afirma Walter Faria, diretor adjunto de Serviços da FEBRABAN.

Apesar da redução do número dos cheques compensados neste primeiro semestre, o total do volume financeiro dos documentos permaneceu estável passando de R$ 333,5 bilhões nos seis primeiros meses de 2021 para R$ 333,3 bilhões no mesmo período deste ano. “Os números mostram que o valor médio do cheque é mais alto, o que significa que a população está usando este meio de pagamento para transações de maior valor, enquanto as transações menores e do dia a dia são feitas com o Pix”, avalia Walter Faria.

Leia Também:  Rosana Hermann repercute caso de racismo em metrô de SP; confira aqui!

1º Semestre Compensados Variação semestral

2021 // 120.614.520 2022 // 103.901.380 // -13,8%

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI