ECONOMIA

Presidente do BC querer expandir Pix para América Latina

Published

on

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central
José Cruz/Agência Brasil

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto (BC), afirmou nesta sexta-feira (30) que pretende levar o Pix para diversos países da América Latina. Tratado como prioridade para o BC, o plano já tem interesse do Peru, Colômbia e Uruguai.

Durante um evento em São Paulo, o presidente do Banco Central afirmou ter feito uma reunião com presidentes dos bancos centrais dos países interessados,na qual todos disseram querer criar um programa semelhante ao brasileiro. “Dinheiro para todo mundo, inclusive para instituições financeiras”, acrescentou.

O baixo custo de investimento e o retorno da proposta foi ressaltado por Campos Neto. Foram R$ 5 milhões iniciais para a iniciativa do programa. Para o economista, foi possível observar o sucesso do novo tipo de transferência quando o Pix ultrapassou métodos tradicionais.

Sobre as fases iniciais do projeto, o economista disse que o debate sobre a retirada de receita dos bancos era um tópico recorrente entre os especialistas. Porém, ele afirmou que o Pix resultou em um cenário positivo para a economia brasileira.

Leia Também:  Eletrobras: Presidente da empresa não acredita em reestatização

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

“É um sistema que, de novo, foi construído com todas as mãos que estão aqui, todo o sistema financeiro, os bancos ajudaram muito, botaram propaganda bonita, fizeram um marketing muito bom, acho que é um ganho para a sociedade, eu quero já dizer que não é verdade que os bancos perdem dinheiro com Pix”, ressaltou.

O líder do Banco Central chegou a citar o programa na  quinta-feira (29 ), quando afirmou que o Pix é ‘conquista do BC’, contrariando a campanha de reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL) que o coloca como um dos criadores do projeto.

Ele relembrou que as primeiras reuniões sobre a iniciativa se deram em 2018, antes do presidente assumir, e disse que o Pix é uma vitória dos funcionários do Banco Central, e que não cabe a uma pessoa. Ainda para Campos Neto, o programa está “só no começo” e que “tem muita coisa pela frente”.

Leia Também:  Captação Líquida de Fundos foi de R$ 46,1 bi em quatro dias

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

ECONOMIA

Copa do Mundo: como funcionam os bancos em dia de de jogo?

Published

on

Entenda como deve funcionar as agências bancárias durante a próxima partida da Seleção Brasileira
Reprodução/Twitter

Entenda como deve funcionar as agências bancárias durante a próxima partida da Seleção Brasileira

Nesta sexta-feira (02), bancos, serviços e órgãos públicos devem funcionar com horários diferenciados devido a partida da Seleção Brasileira na Copa do Mundo no Catar.

A partida deve iniciar às 16h e, de acordo com a Febraban, os bancos irão fechar antes dos jogos. Entenda como devem funcionar as agências no dia da partida:

Para estados que adotam o fuso horário de Brasília, as agências bancárias devem funcionar entre as 9h às 14h. 

Já para outros lugares que possuem uma hora de diferença em relação ao horário da capital, como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Roraima e grande parte do Amazonas, os bancos devem permanecer abertos das 8h às 13 horas da tarde. 

Leia Também:  Mototaxistas atacam presidente da categoria e pressionam vereadores contra motocímetro

Estados que possuem duas horas de diferença, como o Acre e partes do estado do Amazonas,  os bancos devem permanecer abertos das 7h às 12h. 

Os canais digitais e remotos, como sites e o mobile banking devem funcionar normalmente durante a partida. 

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI