ENTRETENIMENTO

‘Meu Deus, meu senhor’: cantor de viral do TikTok não ganha dinheiro

Published

on

source
'Meu Deus, meu senhor': cantor de meme luta por direitos autorais
Reprodução/montagem 19/05/2022

‘Meu Deus, meu senhor’: cantor de meme luta por direitos autorais

A maioria dos usuários de TikTok e Instagram já deve ter se deparado com o meme do “peixinho sofredor”, que ilustra situação de perrengue com o refrão “Meu Deus, meu senhor, me ajuda, por favor” de música de fundo. A canção que vem viralizando nas redes sociais é “Zap Zap”, uma produção autoral de Robert Galiza. Ao iG Gente, o cantor baiano revela problemas com os direitos autorais da música e retorno financeiro dos aplicativos. 

A música que virou trend nas redes sociais é uma versão remixada da canção “ZAP ZAP”, lançada em 2013 por Mister Galiza. Na versão do meme, alguns elementos do estilo musical “trap” substituem a batida do pagode baiano.


Robert explica que está em uma batalha para proteger os direitos autorais da faixa. O compositor da canção garante que não está ganhando dinheiro das plataformas digitais. Apesar de ter registrado a música e estar constantemente monitorando a exploração das obras, Galiza conta que é vítima de uma falha do algorítimo. “Essa versão subiu direto, o cara não recebeu notificação. Se for observar nas descrições dos diversos links desse meme do peixinho, que toca a minha voz e a minha letra, não tem lá na descrição a autoria e de quem é o direito autoral reservado”, reclama.


“É uma produção musical que está voando, mas os algoritmos do YouTube e da ONErpm [agregadora] não conseguiram reconhecer que alguém modificou a minha voz, que alguém modificou a batida de uma música gringa e que alguém copiou um trecho de um vídeo de um jogo que também tem direitos autorais”, argumenta.

Leia Também:  Prefeita abre investigação contra servidor pago com dinheiro publico para atacar adversários políticos

Galiza não esconde a felicidade em ver a composição ganhando forças na web, mas confessa se sentir desvalorizado como artista. “Eu acho que isso é uma sacanagem, um desrespeito, e demonstra a vulnerabilidade do algoritmo”.

Questionado se conhece o autor do remix, Galiza entraga que sim, mas diz ter dificuldades para entrar em contato. “O cara é incomunicável. Ele praticamente não alimenta as redes sociais dele. O Instagram, por exemplo, não tem publicação, apesar de estar se apresentando como produtor musical e ter alguns seguidores. As mensagens ele não responde e os comentários que a gente faz lá ele também não responde. Então eu decidi tomar as minhas providências”, conta o cantor.

Robert Galiza se define como um artista independente. Apesar de ter uma equipe e parceiros, o músico e compositor conta que resolve as demandas jurídicas da profissão sozinho, sem o auxílio de um advogado. Aproveitando a visibilidade do caso, o artista declara que está precisando de apoio jurídico e pede para que advogados especializados no ramo entrem em contato.

“Eu tenho essa esperteza para valorizar, para negociar, para saber quanto vale, quanto pesa. Mas essa questão é judicial e específica, aí somente um advogado especializado no assunto”, analisa.

Galiza está batalhando para que as plataformas digitais passem a creditá-lo pela música “Zap Zap”. Ciente de perfis no TikTok e YouTube que são monetizados e estão utilizando o meme e, consequentemente recebendo retorno financeiro, o artista entregou que pretende reaver o lucro indevido recebido através de sua composição autoral.

Leia Também:  'Dinheiro esquecido': greve no Banco Central adia consulta a novo lote


Novidades

Com efeito de uma composição “chiclete”, que não sai da cabeça de quem a ouve, o cantor explica a origem inusitada da música que virou febre no TikTok.

“Ela surgiu de um áudio que eu recebi através do WhatsApp, de uma senhorinha muito humilde fazendo uma oração muito fervorosa. E na oração dela, ela dizia, ‘meu Deus, me ajuda, meu Deus, tira a minha filha desse maldito vício desse ZAP. Se ela vai lavar os pratos, ela está no ZAP. Se ela está tomando um banho, ela está no ZAP, me ajuda, meu Deus’, e eu achei aquilo hilário demais, na verdade, eu peguei a ideia dessa narrativa ali e transformei em música”, recorda.

Com o sucesso estrondoso, Galiza revelou detalhes dos próximos passos e informou com exclusividade ao iG Gente a produção do “Zap Zap 2”, uma nova versão da música que será inspirada no meme das redes sociais. “Nós vamos subir essa canção em cerca de 20 dias e ela vai estar disponível em todas as plataformas digitais, como uma nova versão da minha própria música. Obviamente, aproveitando alguns elementos do trap, essa batida gringa e pegando um pouco da questão musical que o povo se identificou no meme do peixinho”, adianta Galiza, que acrescenta que alterou a letra e incluiu novos trechos. 

Assista ao clipe original:


Fonte: IG GENTE

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

ENTRETENIMENTO

Sabrina Sato rejeita sexo frequente: “Não tenho periquita pra isso”

Published

on

source
Sabrina Sato e Duda Nagle estão juntos há seis anos
Reprodução

Sabrina Sato e Duda Nagle estão juntos há seis anos

Diferentemente de Jennifer Lopez, que, supostamente, fez seu noivo Ben Affleck assinar um acordo para estabelecer uma frequência sexual mínima de quatro vezes por semana, Sabrina Sato confessou que não tem vontade de transar sempre com o marido, Duda Nagle. “Eu não tenho nem periquita para isso”, comentou durante o Saia Justa, programa que apresenta no GNT. 


“Os dois são realmente muito gostosos. Eu também olho para o Duda (Nagle) e acho lindo, gostoso, maravilhoso. Mas a vontade…”, brincou Sabrina. Já a atriz Deborah Secco, convidada do programa, afirmou que queria ter mais tempo para ter relações sexuais com Hugo Moura, seu marido. 

“Eu só preciso conciliar meu tempo e a minha agenda, mas quando estou em casa, sinto muito tesão pelo meu marido. Desejo ele a cada instante, sou apaixonada. Olho para ele e tenho desejos. É uma delícia de homem, de pessoa, de tudo”, confessou Deborah.

Leia Também:  Paulo André assina com agência de Sasha e Alessandra Ambrósio

A atriz também revelou que quando a filha do casal, Maria Flor, sai com alguma amiga da escola, o casal busca um tempinho a dois. “Não fazemos quatro vezes por semana, mas gostaria de ter tempo para fazer mais”, detalhou. 

*Com a colaboração de Gabriela Ramos.

Fonte: IG GENTE

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI