ENTRETENIMENTO

‘Torre das Guerreiras’ traz trajetória de Ana Maria Ramos Estevão

Published

on

source
Livro tem prefácio feito por Dilma Rousseff
Reprodução 13.05.2022

Livro tem prefácio feito por Dilma Rousseff

Presa três vezes durante a ditadura militar brasileira (1964 – 1985) e exilada em Paris, Ana Maria Ramos Estevão contou sua história em um livro de memórias que chamou de “Torre das Guerreiras” (Ed. 106 memórias) uma referência à Torre das Donzelas, nome dado ao local onde as mulheres presas na ditadura eram levadas. 

E sobre o nome do livro Ana Maria fez uma observação muito interessante sobre como as histórias, em especial as infantis, nomeiam as cadeias: Homens presos em calabouços e mulheres sempre em Torres. Lembram da Rapunzel, Bela Adormecida? E durante a ditadura a realidade imitou os contos de fadas, pois de fato a cadeia feminina era uma Torre. 

Ana Maria relata tudo com muita coragem, pois absolutamente não deve ser fácil reviver toda a história, os momentos de terror e tortura que passou presa. Conta inclusive como viu e ouviu companheiros serem torturados para que delatassem outros. Narra também o quanto esse momento iniciado em 1970 com a primeira prisão reverberou muito tempo em sua vida: “O exacerbamento do meu instinto de sobrevivência e a mudez perante grande público são marcas deixadas pela tortura e que trago até hoje”, conta a autora.

Leia Também:  Anitta protagoniza clipe de 'First Class', hit de Jack Harlow

Na Torre das Guerreiras, Ana Maria ficou presa com a ex-presidenta Dilma Rousseff, que inclusive escreveu o prefácio, e em relato conta curiosidades sobre a personalidade de Dilma como seu tom de voz ser “invariavelmente professoral e de comando” e que era ela quem apelidava as mulheres. Além da ex-presidenta também estiveram Maria do Carmo Campelo (já falecida), Eliana Rollemberg, Guiomar Silva e tantas outras guerreiras. 

Livros assim, com memórias sobre torturas, cárceres sem chance de defesa, sempre fazem nos questionar sobre nossas escolhas, sobre o que aconteceria, ou onde estaríamos se tivéssemos feito outras escolhas, Ana Maria diz: “Tenho certeza que não faria outra escolha, mesmo vendo depois de tanto tempo tenho minha consciência em paz e a certeza de que aquele era o melhor caminho no contexto da época”. 

Embora  o período relatado no livro seja bastante sombrio e pouco debatido abertamente, os livros têm sido o melhor meio para que histórias como essa se perpetuem. E livros de memórias, que trazem tudo tão vívido e detalhado, se tornam ainda mais importantes. Nunca será fácil, imagino, falar ou relembrar momentos como esses, mas é de extrema importância essa coragem de expor e falar sobre uma parte da nossa história que muitos ou tentam abafar ou até enaltecer. 

Leia Também:  David Moura: uma trajetória de lutas, da exclusão ao pódio

Para pautas e sugestões:  [email protected]

Fonte: IG GENTE

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

ENTRETENIMENTO

Juma tá diferente: Cauã Reymond lança roupas com estampas de onça

Published

on

source
Cauã Reymond lançou a nova coleção da Aramis em evento em São Paulo
Divulgação

Cauã Reymond lançou a nova coleção da Aramis em evento em São Paulo


Foi logo após ser visto completamente nu pelos executivos da Aramis durante a exibição do longa Piedade durante a 45ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo, em outubro de 2021, que Cauã Reymond teve uma ideia: lançar uma nova coleção de roupas masculinas com estampas de onça.


A situação parece ser completamente sem nexo, mas o galã da Globo contou os detalhes durante o lançamento da nova coleção da marca, da qual ele participou ativamente, realizada em uma casa noturna de São Paulo na noite desta terça-feira (17).

“Tinha convidado o pessoal da Aramis para assistir ao meu filme na Mostra de São Paulo, e eu apareci completamente pelado. Uma situação embaraçosa, e em vez de eu perguntar o que eles tinham achado do filme, eu soltei: ‘Tive uma ideia. E se a gente lançasse algumas roupas com estampas de onça?’. Foi assim, de surpresa. E ninguém me censurou. Todos abraçaram a ideia”, disse Reymond, aos risos, relatando como reverteu um possível momento de constrangimento com seus parceiros comerciais.

Leia Também:  'Pantanal': Jove se desespera ao ver Maria Marruá: "Ela te mata"

Embora tenha assumido o posto executivo de “caçador de tendências”, essa foi a primeira vez que o ator participou ativamente do desenvolvimento de toda a coleção, que acaba de ser lançada com o título A+ Cauã Reymond, que chega às lojas da rede para a campanha de Dia dos Namorados.

“Eu fui mostrando peças de roupas que eu vi em filmes e amei, mas nunca soube onde procurar para comprar. Passei para a nossa equipe de desenvolvimento, que criou uma coleção maravilhosa e muito bem feita”, explicou o galã da Globo.

A + Cauã Reymond

Desenvolvida pelo ator em parceria com o time da marca, a coleção propõe moda e lifestyle com peças sofisticadas e confortáveis.

Apresentada ao público através da nova campanha de Dia dos Namorados da Aramis, a coleção está presente nos looks utilizados por Cauã em filme bem-humorado e descontraído que convida o público a viver a data de forma mais leve, valorizando o amor real e deixando de lado as idealizações e clichês do passado.

“Estou muito feliz com a campanha e com o lançamento da minha primeira collab. Após tantos anos trabalhando com TV e moda, essa é a primeira vez que pude exercitar minha criatividade nessa área e realizar esse desejo antigo de assinar uma coleção. Sem dúvida é um momento de realização e que fica ainda mais especial por ser fruto da parceria com o time Aramis que fez um trabalho incrível e topou o desafio de trazermos o animal print e a inspiração da pop art para o guarda-roupa masculino”, disse o ator.

Leia Também:  Anitta protagoniza clipe de 'First Class', hit de Jack Harlow
Fonte: IG GENTE

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI