Esporte

Após WO de adversária, Bia Haddad avança à semi em Eastbourne

Published

on

A brasileira Bia Haddad entra em quadra às 7h (horário de Brasília) desta sexta-feira (24) em busca de uma vaga na final do WTA 500 de Eastbourne (Inglaterra). A vaga na semifinal veio nesta quinta (24) após a adversária Lesia Tsurenko (Ucrânia) ter desistido do confronto das quartas de final que seria nesta manhã. A ucraniana abandonou a competição devido à uma lesão no cotovelo direito. Segundo o regulamento da Associação Feminina de Tênis (WTA, sigla em inglês), resultados de WO não são considerados como vitórias.

Invicta há 12 partidas em quadra de grama e com dois títulos de simples em WTA 250 recentes – Nottingham e Birmingham – Bia terá pela frente nesta sexta (24) a tcheca Petra Kivtova. O embate promete ser parelho, já que ambas estão próximas no ranking mundial da WTA: Bia é a 29ª colocada e Kvitova a 31ª.

O WTA de Eastbourne é o terceiro preparatório para o tradicional Torneio de Wimbledon, também na Inglaterra, no qual Bia será cabeça de chave número 23. Antes do Grand Slam londrino, que começa na próxima segunda (27), Bia sonha em conquistar o primeiro título de WTA 500 da carreira.  Se vencer a semi contra Kivtova, a paulista de 27 anos enfrentará na final a vencedora do duelo entre Jelena Ostapenko (Letônia) e Camila Giorgi.

Leia Também:  Haddad diz que PSDB se 'comprometeu' ao 'aderir ao bolsonarismo'

Dupla de Bruno Soares dá adeus a Eastbourne

O mineiro Bruno Soares e o britânico Jamie Murray se despediram nesta quinta-feira 923) do torneio de duplas do ATP 250 de Eastboune ao perderem a semifinal para os croatas Nikola Mektic e Mate Pavic, por 2 sets a 0 (duplo 6/4).  O próximo compromisso dos parceiros será o Torneio de Wimbledon.

Edição: Cláudia Soares Rodrigues

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

Esporte

Águas abertas: Ana Marcela Cunha conquista ouro nos 5 km no Mundial

Published

on

A baiana Ana Marcela Cunha conquistou, nesta segunda-feira (27), a medalha de ouro na prova de cinco quilômetros em águas abertas no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos, realizado em Budapeste (Hungria). A brasileira completou o percurso em 57min52s90, menos de um segundo à frente da francesa Angelie Muller, segunda colocada. A italiana Giulia Gabbrielleschi levou o bronze.

Foi a 13ª medalha de Ana Marcela em Mundiais, sendo a sexta dourada e a segunda nos cinco quilômetros – a primeira dela foi há três anos, na edição de Gwangju (Coreia do Sul). A gaúcha Viviane Jungblut, que já havia competido em duas provas de piscina (800 metros e 1,5 metros) e no revezamento em águas abertas, terminou a disputa desta segunda em sétimo.

“Cada medalha tem seu gosto especial, tem uma preparação diferente e uma preparação por trás de cada medalha. Acho que a minha primeira medalha, que foi de bronze, foi nos cinco quilômetros. Ali tudo começou. Hoje, chegar a 13ª medalha, mostra a consistência do nosso trabalho e estou muito feliz com mais essa conquista”, disse a baiana, de 30 anos, ao site da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA).

Ana Marcela no Mundial de Esportes Aquáticos Ana Marcela no Mundial de Esportes Aquáticos

Leia Também:  CBF confirma amistoso da seleção masculina contra Japão em 6 de junho
Ana Marcela no Mundial de Esportes Aquáticos – Divulgação/CBDA/Direitos Reservados

Ana Marcela cai novamente nas águas de Budapeste na quarta-feira (29), às 3h (horário de Brasília), para a prova de dez quilômetros, distância olímpica da modalidade na qual a brasileira foi medalhista de ouro nos Jogos de Tóquio (Japão), no ano passado. Na quinta-feira (30), às 4h, será a vez dos 25 quilômetros, disputa em que é tetracampeã mundial.

Na prova masculina de cinco quilômetros, o Brasil foi representado pelo paulistano Bruce Hanson (21º) e pelo carioca Gabriel Arteiro (22º). Foi a estreia deles em provas individuais em Mundiais. Bruce volta a competir na quinta, às 7h, com o carioca Guilherme Costa, o “Cachorrão”, nos dez quilômetros.

Ingrid faz história

Também nesta segunda-feira, Ingrid Oliveira terminou a prova da plataforma de dez metros de saltos ornamentais na quarta posição, com 327.10 pontos. O resultado da carioca, de 26 anos, foi o melhor da história do Brasil na modalidade em Mundiais, superando a quinta colocação do brasiliense Cesar Castro no trampolim de três metros na edição de Roma (Itália), em 2009.

Ingrid brigou pelo pódio com a malaia Pandelela Pamg (que levou o bronze, com 338.85 pontos) e com a canadense Caeli Mckay (que ficou em quinto, com 318.45 pontos). A medalha de ouro ficou com a chinesa Yuxi Chen (417.25 pontos), que teve a compatriota Hongchan Quan (416.95 pontos) na sequência. Ambas também estiveram no pódio em Tóquio, com Quan em primeiro e Chen em segundo.

Edição: Aline Leal

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI