Ministério Publico

MPAC promove palestra sobre prevenção à ansiedade e depressão

Published

on

Ao abrir a palestra, o corregedor-geral do MPAC, Álvaro Luiz Araújo Pereira, disse que a maior motivação para a criação do projeto é desmistificar os preconceitos em torno da saúde mental e incentivar a identificação de sinais de alerta, além do oferecimento de apoio emocional.

“É importante que nós, que fazemos parte da instituição, percebamos isso e tenhamos um olhar de cuidado, de acolhimento, tenhamos empatia. Além da promoção de palestras sobre o tema e envio de reflexões quinzenais, nas nossas correições temos levado psicólogos para falarem sobre a importância de um ambiente equilibrado, harmônico, livre de qualquer tipo de pressão ou angústia”, ressaltou o corregedor-geral.

Representando o procurador-geral de Justiça, o secretário-geral do MPAC, Glaucio Oshiro, exaltou o projeto e destacou que o trabalho na área de saúde mental é desafiador, uma vez que são doenças muitas vezes não aparentes. Para ele, a ideia de dar enfoque ao tema pode se tornar um legado para a Instituição.

“A Organização Mundial de Saúde conceitua a saúde como o estado de bem-estar físico, mental e social, e não apenas a ausência de doença ou de enfermidade. Isso é o que sempre buscamos e o MPAC precisa procurar o bem-estar dos seus trabalhadores. Por isso o grande desafio e impacto dessa ação”, disse o secretário-geral.

Leia Também:  Senado deve ampliar debate sobre exploração da energia gerada em alto mar

Saúde mental e prevenção

Em sua palestra, a psicóloga Lucyana Oliveira afirmou que a pandemia desmascarou muitos aspectos relacionados à saúde mental, e um deles é a importância de buscar cada vez mais o cuidado com a mente. “O Isolamento trouxe medo, ansiedade, solidão, sintomas depressivos, estresse”, elencou.

Segundo ela, a pandemia e as mudanças em relação ao isolamento e cuidados necessários também evidenciaram uma situação de impotência em relação a questões que não se controlam.

“É importante que tenhamos uma rotina, uma organização, mas às vezes não vamos conseguir seguir. Aceitar o incontrolável é uma das estratégias para a saúde mental. A impotência é algo que faz parte da vida e precisamos lidar sempre com isso, precisamos nos readaptar em situações adversas”, disse.

Por outro lado, a palestrante apontou atitudes que devem ser evitadas: preocupar-se em excesso com o futuro, avaliar-se de forma negativa, assumir responsabilidades alheias, tentar agradar sempre as pessoas, não gerenciar o tempo, omitir suas emoções, não ter hobbies e lazer, cobrar-se excessivamente, entre outras.

Leia Também:  Presidente nacional do PSL dará versão sobre crise envolvendo o partido

Lucyana também abordou outras estratégias de prevenção, como praticar atividade física, cuidar da espiritualidade, manter-se conectado às pessoas e procurar ajuda profissional, caso necessário. Ela falou ainda do papel daqueles que convivem com pessoa portadora de transtorno mental.

“Muitas vezes as pessoas estão adoecidas e não estão demonstrando isso. Temos que ter muito cuidado com o que falamos, porque às vezes dão sinais de um adoecimento e esses sinais são desvalorizados”, afirmou.

Clique aqui para assistir à palestra na íntegra.

Agência de Notícias do MPAC

Fotos: Tiago Teles

Fonte: Ministério Publico – AC

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

Ministério Publico

MPAC promove palestra sobre boas práticas nas redes sociais

Published

on

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por meio de sua Diretoria de Comunicação, promoveu nesta quinta-feira, 28, a palestra “Comunicação pública: boas práticas nas redes sociais”, ministrada pela coordenadora de mídias e web do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), jornalista Fábia Galvão. O procurador-geral de Justiça, Danilo Lovisaro do Nascimento, participou da abertura.

“Esse é um tema de fundamental importância, sobretudo, nessa sociedade pós-moderna e informacional, muito ligada às mídias sociais e à comunicação por meio das ferramentas tecnológicas. Sabemos da grande influência que as mídias exercem na sociedade, inclusive, nas eleições. A comunicação se dá em grande parte nas redes sociais e, por isso, precisamos ter cuidado com o tratamento dessas informações, sobretudo, quando falamos de órgãos e figuras públicas que utilizam mídias sociais”, disse o procurador-geral do MPAC.

A palestra foi transmitida pelo Zoom e pelo canal do MPAC no Youtube e teve o objetivo de ressaltar a importância de como a presença digital se tornou essencial para o compartilhamento rápido de informações e o estabelecimento de uma relação mais próxima com o cidadão.

Leia Também:  6 dúvidas frequentes sobre maquiagem

“Não existe questão fechada nem absoluta quando o assunto é mídias sociais, mas o que existe é um processo constante de transformações, e o que fazemos aqui é tentar acompanhar e dialogar com a população brasileira, acerca desse desafio imenso que é falar sobre a democracia. Comunicação pública é sobre isso: construir a autoestima cidadã, ou seja, estimular as pessoas a buscarem seus direitos”, disse Fábia Galvão.

A palestra faz parte da programação alusiva ao 59º aniversário do MPAC e do 13º Prêmio de Jornalismo do MP acreano. Para recepcionar a palestrante, também esteve presente na programação virtual, a diretora de Comunicação do MPAC, Kelly Souza. Assistiram à palestra, integrantes do MPAC, corpo docente e discente das instituições de ensino superior e jornalistas.

Ana Paula Pojo – Agência de Notícias do MPAC

Fonte: Ministério Publico – AC

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI