Mulher

Lua Fora de Curso: saiba o que isso significa

Published

on

Lua Fora de Curso: saiba o que isso significa
Redação EdiCase

Lua Fora de Curso: saiba o que isso significa

A Lua Fora de Curso (LFC) fala de imprevisibilidade. Ela passa cerca de 2 dias e meio em cada signo e, durante essa passagem, a Lua forma aspectos (ângulos) com outros planetas. Quando ela está para entrar no próximo signo, se não fizer mais aspectos com outros planetas, ela ficará fora de curso. Alguns astrólogos chamam de “Lua no vazio”. Esse tempo pode durar minutos ou horas.

Foi observado nesse período uma maior chance para imprevistos. Pode ocorrer algum tipo de atraso. Podemos sentir mais sonolência, distração e ficarmos “aéreos”. Por isso, é legal ter cuidado no trânsito e ter mais atenção com atividades importantes.

Interessante evitar nesse período

  • Eventos importantes
  • Lançamentos
  • Compras
  • Pagamentos
  • Agendar compromissos
  • Assinar contratos
  • Procedimentos estéticos e cirurgias
  • Conversas e decisões importantes

O que fazer quando a Lua estiver em trânsito?

  • Se estiver no trabalho, continuar as atividades com mais calma e paciência
  • Não se cobrar tanto
  • Ler um livro
  • Descansar
  • Estudar algum conteúdo leve
  • Ter momentos de lazer
  • Passar um tempo com quem ama
  • Assistir uma série ou filme
Leia Também:  Vai perder o prazo do IR? Saiba enviar declaração e retificar depois

Em um mundo ideal, seria interessante que nesses momentos pudéssemos diminuir o ritmo e evitar a autocobrança . Mas, como nem sempre isso é possível, é interessante se planejar, dentro do possível, para minimizar desgastes.

A Lua fica fora de curso sempre no mesmo horário ?

Geralmente, a Lua fica em curso a cada dois dias e os horários variam. Confira as próximas datas que ela estará fora de curso durante o mês de agosto de 2022.

  • 16/08: de 17h18 até 23h22
  • 19/08: de 08h05 até 09h06
  • 21/08: de 19h06 até 21h29
  • 24/08: de 06h40 até 10h09
  • 26/08: de 03h54 até 21h24
  • 29/08: de 00h08 até 06h44
  • 31/08: de 07h43 às 14h11

Por Franciele Campara

Fonte: IG Mulher

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

Mulher

Primavera: 6 fatores para considerar nos cuidados de beleza

Published

on

Primavera: 6 fatores para considerar nos cuidados de beleza
Redação EdiCase

Primavera: 6 fatores para considerar nos cuidados de beleza

Apesar de conhecermos o estado da nossa pele nas temporadas de verão e inverno, damos pouca atenção às necessidades de beleza nas estações intermediárias, principalmente na primavera. Por isso, um time de especialistas ensina a cuidar da pele nessa estação. Confira!

1. É necessário manter a hidratação da pele durante a primavera

Nem tão fria a ponto de causar ressecamento, nem tão quente a ponto de deixar a pele brilhosa o tempo inteiro. É possível dizer que a primavera é uma estação equilibrada, o que não quer dizer que devemos descuidar da hidratação. Apesar de sofrer menos com ressecamento durante as estações quentes, a pele ainda necessita de cuidados.

“O melhor veículo para pele oleosa é o sérum ou o gel. O creme, por sua vez, é ideal para a pele seca. Já as peles sensíveis, como aquelas que apresentam rosácea, necessitam de ativos calmantes, enquanto as peles oleosas devem ser tratadas com ativos seborreguladores. É recomendado ainda investir fortemente nos antioxidantes, que vão ajudar a prevenir e reverter os danos causados pela radiação solar, combatendo os radicais livres e retardando o envelhecimento”, explica a dermatologista Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

De acordo com a profissional, os antioxidantes mais populares são as Vitaminas E e C. Além dos antioxidantes, outro ativo consagrado que funciona em qualquer estação e pode ser muito bem aproveitado na primavera é o ácido hialurônico.

2. Tenha cautela ao utilizar ácidos

Como estamos falando de um período de transição de temperatura, ainda dá para usar ácidos na pele, desde que orientados pelos médicos. “Os ácidos estimulam a renovação celular da camada mais externa da pele, diminuindo a coesão das células e reduzindo a espessura da camada de queratina, o que torna a pele mais luminosa e com uma textura mais uniforme”, explica o dermatologista Daniel Cassiano, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Os ácidos retinóico e glicólico, além dos retinoides, podem ser usados, mas com cautela. É preciso lembrar que eles devem ter a indicação de um dermatologista. Só ele tem a capacidade de orientar o uso correto dos ácidos renovadores.

“Além disso, é recomendado o uso de filtros solares tonalizados que protegem contra a radiação UV e a luz visível. Dessa maneira, evitamos a irritação da pele e a possível hipercromia pós-inflamatória, principal preocupação do uso dos ácidos nas estações mais quentes”, diz o médico.

Leia Também:  Setembro amarelo: saiba como cuidar da saúde mental dos pets

3. O começo do calor exige hidratação reforçada

Com as temperaturas aumentando, é indispensável reforçar a hidratação do organismo. E, além de ingestão de líquidos, que é insubstituível, uma ótima maneira de manter o corpo hidratado nas estações mais quentes é por meio do consumo de frutas ricas em água, que também contam com vitaminas capazes de conferir benefícios à pele.

“É através da alimentação que adquirimos os nutrientes para manutenção da saúde e longevidade, inclusive da pele. Os alimentos fornecem nutrientes para contribuir com a integridade, elasticidade e firmeza do tecido cutâneo. E a água também é essencial para a saúde da pele. Uma pele hidratada apresenta um melhor turgor, viço, luminosidade e respostas aos danos externos como radiação solar e oscilações de temperatura”, destaca Jaqueline Zmijevski, dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Aposte nas frutas

Frutas como a melancia, o melão e o abacaxi são excelentes opções de consumo, pois possuem 90% de água. A melancia, devido à composição rica em carotenoides como o licopeno, ajuda a proteger a pele dos danos oxidativos causados pelo sol e, assim, evita o envelhecimento precoce do tecido cutâneo.

“O melão, por sua vez, é rico em minerais, vitaminas como a C, carotenoides e polifenóis que trazem benefícios e proteção à pele e anexos cutâneos, como unhas e cabelo”, explica a nutróloga Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).

Já o abacaxi é uma das frutas com maior teor de vitamina C. Proporciona brilho, unifica o tom da pele e possui ação antioxidante, pois também é rico em vitamina E. “A fruta ainda conta com bromelina, mistura de enzimas proteolíticas que auxilia nos processos digestivos e na melhora da circulação sanguínea, o que é importante para ajudar em tratamentos de celulite, além de possuir uma ação clareadora e renovadora complementar da pele”, diz a médica.

4. Reforce a fotoproteção

Com a chegada da primavera e o aumento das temperaturas, a fotoproteção se torna indispensável. “A radiação solar afeta a pele de diversas maneiras, mas, quando a exposição é crônica, há um dano cumulativo, com lesões inclusive no DNA das células, o que provoca reações de mutação celular, com consequente fotoenvelhecimento precoce, inflamação, melasma e um aumento do risco de câncer de pele”, afirma Mônica Aribi, dermatologista sócia efetiva da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Leia Também:  300 mulheres doarão itens pessoais para campanha contra violência

Protetor solar é um fator importante

De acordo com a dermatologista Jaqueline Zmijevski, independentemente do tipo de pele, quando pensamos em prevenção de câncer de pele e envelhecimento precoce, qualquer protetor solar com FPS maior ou igual a 30, aplicado de maneira adequada, cumprirá bem seu papel. O produto deve ser aplicado em todas as áreas expostas e sua textura vai depender do tipo de pele do paciente.

O ideal é que o protetor conte com filtros físicos, como o óxido de zinco e dióxido de titânio, associado a filtros químicos para aumentar o grau de fotoproteção. É interessante também que conte com antioxidantes na fórmula. “Além do filtro, evite a exposição direta ao sol depois das 10 horas da manhã às 16 horas, para evitar o dano oxidativo e a produção de enzimas que degradam colágeno, resultando em uma pele mais flácida, com rugas e manchas”, completa a Dra Mônica Aribi.

5. Primavera é um boa estação para investir na estética

Os procedimentos estéticos, sejam menos ou mais invasivos, podem ser feitos tranquilamente. E, apesar do aumento da temperatura, o calor da primavera não é tão intenso quanto o do verão, o que possibilita, inclusive, a realização de procedimentos cirúrgicos. As cirurgias com técnicas inovadoras que possibilitam um pós-operatório mais rápido e confortável, como é o caso da rinoplastia ultrassônica são boas opções.

“A rinoplastia ultrassônica consiste no uso de um aparelho que emite vibrações ultrassônicas para tratar a parte óssea do nariz de forma menos traumática. A vantagem está no fato de ser mais precisa e preservar estruturas importantes do nariz, resultando em menos inchaço, sangramento, hematoma e inflamação no período pós-operatório e fazendo com que a recuperação seja mais rápida e tranquila”, explica o cirurgião plástico Paolo Rubez, membro da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica.

6. Tratamentos corporais para a temporada de praia

Os tratamentos corporais também começam a ser mais valorizados na primavera como forma de preparar o corpo para o verão que se aproxima. “Opções populares incluem, por exemplo, os tratamentos para combater a celulite , como injeções redutoras de gordura, subcisão das bandas fibrosas, radiofrequência e bioestimuladores de colágeno injetáveis”, explica Cláudia Merlo, especialista em Cosmetologia pelo Instituto BWS. Os procedimentos podem ser associados, de acordo com a avaliação médica e necessidade da paciente.

Por Paula Amoroso

Fonte: IG Mulher

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI