NOTÍCIA 1

Alô, Deracre! sem segurança, peças utilizáveis são roubadas de tratores e caminhonetes, em Rio Branco

Published

on

Tratores, máquinas e veículos com problemas mecânicos e sem condições de conserto, pertencentes ao governo do estado, colocados em pátio da estação de tratamento que fica na BR364, viraram alvo fácil dos ladrões de peças usadas que invadem o local e estão desmontando e vendendo as peças no mercado paralelo.
Desde janeiro o Deracre começou a depositar todos as máquinas e veículos sem condições de uso em um pátio cedido pelo Depasa, na ETA que fica a 03 quilômetros do município de Bujari.
O que parecia um grande cemitério de carcaças de ferro, se transformou em um lucrativo negócio para quadrilhas especializadas em revender peças usadas.
Os ladrões estão entrando no pátio no período da noite e retirando tudo que interessa de camionetes, veículos de passeio, caminhões, tratores e máquinas. Os bandidos aproveitam a falta de segurança na estação, que até mantém um vigia, mas, ele fica desarmado e quando nota a presença dos grupos, a única coisa que faz é chamar a polícia, que demora a chegar no local e nunca encontra um acusado.
Existem camionetes hilux ano 2012, com apenas 9 anos da data de fabricação completamente desmontadas. O principal alvo são os motores e caixas de marcha, vendidos facilmente no mercado. Tratores e máquinas que custaram milhões para o estado como retroescavadeiras, tratores de esteira e rolos estão a mercê de quadrilhas que lucram com a omissão do estado em colocar vigilantes no local.
Os ladrões aproveitam que não existem muros e a cerca está caída para entrar pela mata que fica ao lado da estação. Eles montaram trilhas que percorrem uma boa parte da vegetação até chegar as margens da BR 364, distante 500 metros da estação.
As máquinas e veículos começaram a ser levados para o pátio em janeiro desse ano, juntamente com vários equipamentos como ar condicionados, geladeiras, bebedouros e outros materiais eletrônicos que foram armazenados em um galpão. Nenhum desses equipamentos existe mais, todos foram furtados.
O prejuízo ao estado é incalculável. É que muitos desses veículos poderiam ser recuperados, como um ônibus de fazer atendimento itinerante que chegou rodando ao depósito, mas já está sem as rodas e os equipamentos da parte interna. Em outro ônibus levaram o motor e a caixa de marcha.
A denúncia da ação desses grupos criminosos veio à tona com o sindicato dos urbanitários, com seu presidente Marcelo Jucá. Ele montou um vídeo mostrando a ação dos bandidos e o medo dos servidores que trabalham na estação de tratamento. “Além de ver o patrimônio do estado ser levado deva forma, ainda existe o risco de os bandidos fazerem alguma coisa na água que abastece uma cidade e o aeroporto. É precisa dar segurança a ETA e seus trabalhadores”, reclamou.
A direção do Depasa que opera a estação e é proprietária do terreno, disse que a responsabilidade pelas máquinas e veículos é do Deracre. A área foi apenas cedida, mas já houve uma conversa para a construção de um muro no local e está esperando uma resposta.

Leia Também:  Sai a lista de alunos aptos à matrícula no Colégio Militar do Acre; confira

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

manchete2

Rio Branco e outras cidades do Baixo, Alto Acre e Purus avançam para bandeira verde em avaliação do Comitê Covid

Published

on

As regionais do Baixo Acre, Alto Acre e Purus avançaram para a bandeira verde, que representa cuidado, na avaliação do Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19. Já as regionais Juruá e Tarauacá/Envira permaneceram em bandeira amarela, que é de atenção.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (1º) pelo governo do Acre e representa o período de avaliação do dia 13 a 26 de março.

Na última avaliação, divulgada no dia 7 de março, o governador Gladson Cameli manteve todas as cidades do Acre em nível de atenção (bandeira amarela) na classificação de risco da pandemia até o dia 31 de março, após aumento de casos no mês de fevereiro.

Porém, em março os indicadores voltaram a apresentar uma melhora no número de casos e mortes.

Regiões

  • Alto Acre: Assis Brasil, Brasileia, Epitaciolândia e Xapuri – faixa verde;
  • Baixo Acre e Purus: Acrelândia, Bujari, Capixaba, Jordão, Manoel Urbano, Plácido de Castro, Porto Acre, Rio Branco, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira e Senador Guiomard – faixa verde;
  • Vale do Juruá e Tarauacá/Envira: Cruzeiro do Sul, Feijó, Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter, Rodrigues Alves e Tarauacá – faixa amarela.
Leia Também:  Presidente da Câmara de Rio Branco cria Ouvidoria Popular

Como funciona a fase verde

Na fase verde podem funcionar os seguintes estabelecimentos: Restaurantes, bares, pizzarias, sorveterias e outros estabelecimentos similares. Além de teatros, cinemas e apresentações culturais, como também evento religiosos com 80% da capacidade.

Lojas de móveis, eletrodomésticos, eletrônicos, comunicação, informática, áudio, vídeo e colchoarias podem continuar funcionando com todos os protocolos sanitários e aumentando a capacidade limitada de 80%, além de delivery e drive-thru.

A regra vale ainda para lojas de materiais de construção, empresas e obras do ramo da construção civil e demais estabelecimentos como olaria, cerâmicas, serraria, marcenarias e marmorarias.

Feiras livres, comércios de rua, ambulantes e outros também seguem abertos seguindo as orientações de segurança. Para hotéis, shoppings, salões de beleza e motéis a capacidade de funcionamento é a mesma.

Com informações Ecos da Notícia

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI