NOTÍCIA 1

Bocalom manda passar a limpo contrato com empresa New Times, alvo da PF

Published

on

O prefeito Tião Bocalom declarou que vai pedir que a Zeladoria faça nova análise do contrato com a empresa New Times negócios, que fechou contrato com a prefeitura de Rio Branco para a contratação dos roçadores que trabalham na limpeza da cidade. A declaração nasceu assim que a Polícia Federal deflagrou uma operação na manhã dessa sexta-feira para investigar um contrato com a secretaria de saúde do Estado. O acjornal publicou com exclusividade o contrato com o município.
Durante entrevista, o delegado Pedro Dumont, da delegacia de combate a corrupção, informou que a investigação pode ganhar novos caminhos porque a New Times mantém outros contratos com prefeituras do Acre, e na lista estão Rio Branco e Plácido de Castro. Desde o início da pandemia a empresa conseguiu fechar contratos com o poder público que ultrapassam os R$ 16 milhões. “É possível que haja irregularidade também nos municípios, vamos descobrir isso no decorrer da investigação”, revelou.
Na manhã dessa sexta-feira, os agentes cumpriram mandados de busca e apreensão nos dois endereços da New times negócios em Rio Branco. A Secretaria de Saúde fechou contrato de quase um milhão de reais para que a empresa fizesse o serviço de limpeza nas UTI’s do INTO.
Para conseguir o contrato a New times enviou 3 documentos falsos para comprovar que tinha capacidade técnica de atender esse tipo de serviço. Dois atestados eram de serviços fora da área de saúde e um terceiro foi falsificado.
Para piorar, a Sesacre fez mudanças no edital para facilitar o recebimento dos documentos irregulares e falsos.
Nessa sexta-feira os três sócios da empresa, Pablo de Souza Barros Escurra, Marcelo Spina Ortiz e Elissandra Silva Almeida, depuseram na PF.
Uma quarta pessoa acusada de falsificar o atestado também foi ouvida.
Em uma segunda etapa a polícia vai investigar quais servidores da secretaria de saúde estão envolvidos no esquema.
Na época quem assinou a dispensa de licitação foi o então secretário de saúde Alisson Bestene.
O delegado Pedro Dumont disse ainda que será feita uma investigação para saber a qualidade do serviço oferecido pela New Times para as UTIs covid e se o serviço efetuado bate com o contratado.

Leia Também:  Sena: quatro faccionados que executaram casal de adolescentes pegam mais de 10 anos de cadeia

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

manchete2

Rio Branco e outras cidades do Baixo, Alto Acre e Purus avançam para bandeira verde em avaliação do Comitê Covid

Published

on

As regionais do Baixo Acre, Alto Acre e Purus avançaram para a bandeira verde, que representa cuidado, na avaliação do Comitê de Acompanhamento Especial da Covid-19. Já as regionais Juruá e Tarauacá/Envira permaneceram em bandeira amarela, que é de atenção.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (1º) pelo governo do Acre e representa o período de avaliação do dia 13 a 26 de março.

Na última avaliação, divulgada no dia 7 de março, o governador Gladson Cameli manteve todas as cidades do Acre em nível de atenção (bandeira amarela) na classificação de risco da pandemia até o dia 31 de março, após aumento de casos no mês de fevereiro.

Porém, em março os indicadores voltaram a apresentar uma melhora no número de casos e mortes.

Regiões

  • Alto Acre: Assis Brasil, Brasileia, Epitaciolândia e Xapuri – faixa verde;
  • Baixo Acre e Purus: Acrelândia, Bujari, Capixaba, Jordão, Manoel Urbano, Plácido de Castro, Porto Acre, Rio Branco, Santa Rosa do Purus, Sena Madureira e Senador Guiomard – faixa verde;
  • Vale do Juruá e Tarauacá/Envira: Cruzeiro do Sul, Feijó, Mâncio Lima, Marechal Thaumaturgo, Porto Walter, Rodrigues Alves e Tarauacá – faixa amarela.
Leia Também:  Bocalom autoriza pagar em dezembro e janeiro o abono para 2.800 trabalhadores da Educação; veja valores e datas

Como funciona a fase verde

Na fase verde podem funcionar os seguintes estabelecimentos: Restaurantes, bares, pizzarias, sorveterias e outros estabelecimentos similares. Além de teatros, cinemas e apresentações culturais, como também evento religiosos com 80% da capacidade.

Lojas de móveis, eletrodomésticos, eletrônicos, comunicação, informática, áudio, vídeo e colchoarias podem continuar funcionando com todos os protocolos sanitários e aumentando a capacidade limitada de 80%, além de delivery e drive-thru.

A regra vale ainda para lojas de materiais de construção, empresas e obras do ramo da construção civil e demais estabelecimentos como olaria, cerâmicas, serraria, marcenarias e marmorarias.

Feiras livres, comércios de rua, ambulantes e outros também seguem abertos seguindo as orientações de segurança. Para hotéis, shoppings, salões de beleza e motéis a capacidade de funcionamento é a mesma.

Com informações Ecos da Notícia

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI