Pet

Gatos batem recorde na preferência de brasileiros, diz pesquisa

Published

on

Os felinos tiveram crescimento recorde como pet entre os brasileiros durante o ano de 2021
Romario Roges/Pexels

Os felinos tiveram crescimento recorde como pet entre os brasileiros durante o ano de 2021

O número de animais de estimação vem aumentando a cada dia no Brasil e várias pesquisas apontam a  pandemia como uma das principais causas disso, já que muitas pessoas que nunca tiveram animais anteriormente decidiram ter a companhia de um pet durante o isolamento.

Apesar de ainda não estarem no topo da popularidade, os gatos registraram o maior crescimento entre 2020 e 2021, com 6% de aumento, em comparação aos 4% dos cães, que lideram o ranking como os preferidos da maioria da população.

Os dados vêm do mais recente Censo Pet IPB, um levantamento anual da população de animais de estimação realizado pelo Instituto Pet Brasil. A pesquisa revela que o Brasil encerrou o ano de 2021 com cerca de 149,6 milhões de animais de estimação, marcando um aumento de 3,7% em relação aos 144,3 milhões registrados em 2020.

Do total, foram registrados 58,1 milhões de cachorros e, surpreendentemente, as aves canoras aparecem no segundo lugar,  com 41 milhões de indivíduos. Os bichanos ficam em terceiro lugar, com 27,1 milhões. Em seguida aparecem os peixes, com 20,8 milhões, já os répteis e pequenos mamíferos se dividem entre “apenas” 2,5 milhões.

Leia Também:  Pesquisa CNT: Lula lidera com 40,6% e Bolsonaro avança com 32%

O crescimento em um ano

Se a preferência pelos gatos seguir o aumento registrado em 2021, o ranking pode mudar nos próximos anos. Para uma comparação mais precisa, desde a primeira edição do levantamento, esse foi o maior crescimento entre as espécies no período e o maior aumento anual de felinos.

  1. Gatos: aumento de 6% (de 25,6 para 27,1 milhões)
  2. Peixes: 4,5% (de 19,9 para 20,8 milhões)
  3. Cães: 4% (de 55,9 para 58,1 milhões)

Nos anos anteriores, os gatos já vinham registrando aumento maior em relação aos cães, mas nunca como o do último levantamento. De 2019 para 2020, o índice foi de 3,6%. De 2018 para 2019, 3,4%. Os dados passaram a ser computados em 2018, mas uma estimativa do IPB dos últimos dez anos aponta para um crescimento médio anual de 2,5% entre os felinos.


Os pets em apartamentos

Para Nelo Marraccini, presidente do Conselho Consultivo do IPB, o aumento da população de felinos se deve a três fatores.

Leia Também:  Grande imprensa destaca luta de Alan Rick por médicos brasileiros formados no exterior

“O crescimento da preferência pelos felinos ocorre devido ao envelhecimento da população brasileira, ao aumento de pessoas que moram em apartamentos e que moram sozinhas. Um dos principais motivos é que o gato é um animal que não demanda tanta atenção como os cães”, explica o especialista.

Contudo, fica o alerta, o fato de gatos demandarem cuidados menos exigentes do que os cães não significa que os tutores não devam garantir todos os cuidados e atenção necessários para a melhor saúde e bem-estar dos felinos.

 “O fato de gatos terem uma personalidade diferente dos cães não quer dizer que não exijam cuidados. Quem pensa em ter um felino em casa tem que ter a consciência de que haverá gastos com alimentação, saúde, lazer, entre outros”, completa Marraccini.

Para garantir que o seu pet terá toda a ajuda sempre que precisar, iG Pet Saúde está com novos planos. Cães e gatos podem contar com consultas de rotina e de emergência, cirurgias, vacinas e muito mais. Conheça todas a vantagens de se ter um plano de saúde pensado especialmente para você e para o seu pet!

Acompanhe o Canal do Pet  e os maiores destaques do  Portal iG no Telegram!

Fonte: IG PET

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

Pet

Guia de Raças: conheça o Cesky Terrier, o cachorro raro e com franja

Published

on

O Cesky Terrier é uma raça de cão conhecida por ter uma franja que nasce da testa
Pixabay

O Cesky Terrier é uma raça de cão conhecida por ter uma franja que nasce da testa

A raça Cesky Terrier, também conhecida como Bohemian Terrier, é originária da República Tcheca e é o resultado de um cruzamento entre outras duas raças: um Sealyham Terrier macho e uma Scottish Terrier fêmea.

O objetivo do cruzamento , idealizado pelo geneticista tcheco Frantisek Horak, foi o de criar uma raça de Terrier de caça que tivesse peso leve, membros curtos, que fosse bem pigmentada, com orelhas caídas, além de ser fácil de tratar e de treinar.

A ideia de Horak era criar uma raça que conseguisse caçar verozmente como um verdadeiro terrier, mas também trabalhar em matilhas como cães de caça de porte maior  e, ao mesmo tempo, ser gentil e obediente em casa, como os retrievers .

Para atingir a pelugem específica , há alguns historiadores que afirmam que o geneticista utilizou também as raças  Dandie Dinmont Terrier e Dachshund de pelo duro.

A pelagem fina e sedosa vem em vários tons de cinza, incluindo uma platina deslumbrante. Pelos faciais ondulados dão a Ceskys um visual esportivo e continental, e o pescoço médio-longo dá uma pitada de elegância a esses terriers. Os machos costumam medir 29 cm e as fêmas 27 cm.

Leia Também:  Cachorro ciumento tem reação divertida e joga 'irmão' na lata de lixo

Os Ceskys foram reconhecidos oficialmente pela Federação Cinológica Internacional em 1963 e importados pela primeira vez para os Estados Unidos no final de 1980. A raça foi admitida no American Kennel Club (AKC) – um dos maiores clubes de registro genealógico de cães de raça pura do mundo – em 2011. 

A personalidade do Cesky Terrier

O Cesky Terrier é um companheiro inteligente que gosta de brincadeiras, além de ser aventureiro. É ótima companhia para as crianças e também de caminhada. Eles são tenazes, mas um pouco mais descontraídos e dóceis do que o terrier padrão.

Embora a raça seja determinada e guiada pelo instinto de caça às presas, ela tem um comportamento mais maduro do que um terrier típico.

São desconfiados com estranhos e protetores com os entes queridos, o que os tornam bons  cães de guarda , o que é facilitado com a capacidade ágil que eles têm de treinamento e a vontade natural de querer agradar.

O grande problema é que eles são uma uma raça escassa, que conta com cerca de 600 animais vivendo nos Estados Unidos, de acordo com o American Kennel Club. 

Cuidados básicos com a higiene

Aparar o pelo de um Cesky Terrier exige um tosador profissional de confiança pelo fato da raça ser escassa e muitos especialistas em tosa nem sequer terem visto um na vida.

Leia Também:  Gato vira 'candidato' à sucessão de Boris Johnson no Reino Unido

A pelagem da raça não costuma soltar muita sujeira, então é preciso dar banhos regulares. Um ponto de atenção são os pelos nas orelhas, que costumam ser fartos e, por consequência, precisam ser aparados regularmente para evitar  infecção na região.

E é claro, o charme está nos pelos que crescem na região próxima da testa e que dão um ar diferenciado para a raça com uma franja única. Contudo, é importante prestar atenção se esse pelo não vai atrapalhar a visão do animal ou incomodar os olhos.

Cuidados básicos com a saúde

Esta raça apresenta alguns problemas genéticos devido ao cruzamento que a deu origem, como joelhos escorregadios, problemas cardíacos, atrofia progressiva da retina e catarata.

Muitos sofrem também com um problema neurológico conhecido como Scotty Cramp, um distúrbio que faz com que o cão tenha espasmos, afetando seu movimento, mas que não representa risco de vida.

Para garantir que o seu pet terá toda a ajuda sempre que precisar, o iG Pet Saúde conta com planos que incluem visitas de rotina, internações, cirurgias, aplicações de vacinas e muito mais.  Conheça todas a vantagens de se ter um plano de saúde pensado especialmente para deixar o seu pet feliz!

Acompanhe o Canal do Pet  e os maiores destaques do  Portal iG no Telegram!

Fonte: IG PET

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI