Polícia Federal

PF deflagra Operação Segundo Caminho em Barra do Garças/MT

Published

on

Barra do Garças/MT -A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira, 23/6, a Operação Segundo Caminho, com o intuito de investigar organização criminosa que patrocinou candidatura de um dos alvos ao cargo de vereador nas eleições de Barra do Garças/MT, ocorrida no ano de 2020.

Nove mandados de busca e apreensão e a dois mandados de prisão preventiva, expedidos pela Justiça Comum Estadual de Cuiabá/MT, foram cumpridos nas cidades de Rondonópolis/MT, Cuiabá/MT, Várzea Grande/MT e Barra do Garças/MT.

A Operação Segundo Caminho, que um é desdobramento da Operação Captura de Estado, deflagrada pela Polícia Federal em 2020, apurou a atuação de indivíduos que cometiam vários crimes afim de financiar uma facção criminosa atuante a região do Vale do Araguaia em razão de suas atividades ilícitas, prática delitos conexos previstos na Lei de Lavagem de Capitais, na Lei de Drogas e no Código Penal.

As condutas praticadas encontram tipificação no art. 1º, caput, da Lei 9.613/1998 (lavagem de capitais), no art. 2º, caput, da Lei 12.850/2013 (organizações criminosas), bem como no art. 171, §2º-A, do Código Penal (estelionato mediante fraude eletrônica). Quando somadas, as penas máximas de tais delitos superam 20 anos de reclusão.

Leia Também:  Polícia Federal prende suspeito de furto à Caixa Econômica Federal

O nome da operação é referente à declaração de um dos alvos que afirmou que no mundo do crime existem três caminhos: a igreja, a prisão ou a morte.

Comunicação Social da Polícia Federal em Mato Grosso

Fone: (65) 99284-8987
E-mail: [email protected]

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

Polícia Federal

Polícia Federal prende peruano procurado pela Interpol

Published

on

São Paulo/SP – A Polícia Federal localizou e prendeu nesta quarta-feira (29/06/22) um peruano procurado pela Interpol e foragido da Justiça do Peru em São Paulo/SP.

O homem, de nacionalidade peruana, foi acusado de participar de associação criminosa dedicada à exportação de dólares falsos do Peru para a Argentina. O crime ocorreu no ano de 2010. Segundo a legislação peruana a pena aplicada para esse crime é de até 10 anos.

O mesmo estrangeiro já havia sido preso em flagrante, por tentativa de furto qualificada em São Paulo, no ano de 2019.

A prisão se deu em cumprimento ao mandado de prisão preventiva, para fins de extradição, expedido pelo Supremo Tribunal Federal, a partir de representação do Escritório Central Nacional da Interpol no Brasil.

Agora ele permanecerá à disposição da Justiça aguardando os trâmites relativos ao processo de extradição.

No Brasil, a Polícia Federal é a representante da Interpol, uma organização intergovernamental composta por 195 países membros, com o objetivo de cooperação técnica e operacional entre polícias e compartilhamento de dados sobre criminosos procurados em diversos países.

Leia Também:  Câmara Criminal nega segundo HC, mantém tenente Farias preso e futuro do oficial será decidido pela Justiça Militar

Comunicação Social da Polícia Federal em São Paulo
Fone: (11) 3538-5013
E-mail: [email protected]

Fonte: Polícia Federal

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI