Polícia Federal

Polícia Federal investiga suspeito de integrar organização criminosa voltada ao tráfico interestadual de drogas

Published

on

Manaus/AM – A Polícia Federal (PF) deflagrou, nesta quarta-feira (21/6), a Operação Combustível Proibido, com o fim de investigar fatos relacionados a possíveis práticas de crimes de pertencimento a organização criminosa e tráfico de drogas.

Foram cumpridos dois mandados de busca e apreensão, na residência e na empresa do investigado, e um de prisão preventiva. Nos locais de busca, os policiais encontraram os seguintes materiais:  quatro armas de fogo – sendo duas espingardas e duas pistolas calibre 380, uma uma máquina contadora de cédula/dinheiro, diversas munições e outros itens de interesse para a investigação.

A investigação tem como escopo duas apreensões de entorpecentes ligadas ao suspeito preso nesta data, uma no estado do Mato Grosso e outra no estado do Amazonas. Naquele estado foi presa em flagrante uma pessoa que transportava em um veículo cerca de 40 kg de entorpecentes do tipo skunk. A partir de análise do material apreendido, chegou-se a mais esse envolvido. A segunda investigação ocorreu após a apreensão de 195 kg de entorpecentes em uma balsa de combustível no Rio Japurá, sendo também apurado o envolvimento desse mesmo investigado.

Leia Também:  Operação Aratanha II desarticula organização criminosa responsável pelo tráfico de drogas em Campina Grande

O investigado poderá responder, na medida de sua responsabilidade, pelos crimes supramencionados, cujas penas somadas podem ultrapassar os 20 anos de prisão.

A operação leva o nome de Combustível Proibido por ter sido utilizada uma balsa de combustíveis para esconder o entorpecente que descia o Rio Japurá em direção à capital amazonense.

Comunicação Social da Polícia Federal no Amazonas

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

Polícia Federal

PF combate crimes ambientais na terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau em Rondônia

Published

on

Ji-Paraná/RO – A Polícia Federal, com apoio da Funai, Ibama e Polícia Militar, deflagrou nesta terça-feira (28/06) a segunda fase da operação S.O.S URU com o objetivo de dar continuidade no combate de ilícitos ambientais na terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau.

A Polícia Federal recebeu informações de que criminosos estariam retomando com atividades criminosas de extração ilegal de madeira e invasão de terras públicas após a deflagração da operação SOS URU em Novembro de 2021. Diante deste cenário e visando inibir ilícitos no interior e mediações da terra indígena nova ação foi realizada neste ano, desta vez, com três frentes de atuação, terrestre, sobrevoo e incursões em rios navegáveis na região Norte e Sul.

Diligências foram realizadas para instruir investigações em andamento que tramitam na Delegacia de Polícia Federal em Ji-Paraná/RO.

Durante as incursões e sobrevoos foram encontrados diversos pontos de desmate com árvores derrubadas no interior da terra indígena, um acampamento improvisado, motos utilizadas no deslocamento interno dos infratores. Todos estes meios para a prática de infrações ambientais foram inutilizados, em conjunto com o Ibama, visando cessar a continuidade de atividades criminosas. Vale destacar também que foram inutilizadas redes de pescas ao longo do principal rio da terra indígena que estavam atentando contra a fauna local.

Leia Também:  Governo Federal desarticula organização criminosa voltada ao tráfico internacional de armas e migração ilegal no Amapá

Além de medidas administrativas que foram tomadas pelos órgãos envolvidos na segunda fase da operação S.O.S URU, as ações desenvolvidas contribuíram para inibir a continuidade da degradação na natureza e, especialmente, desarticular o financiamento de práticas criminosas na Uru-Eu-Wau-Wau que possui índios isolados.

Comunicação Social da Polícia Federal em Rondônia
Telefone: (69) 3216-6242 / 6270
E-mail: [email protected]

Fonte: Polícia Federal

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI