POLÍCIA

Mecânico que torturou Nego Bau é condenado a 5 anos de reclusão em regime fechado

Published

on

O mecânico Jefson Castro da Silva Ferreira, que foi denunciado pelo Ministério Público do Acre por crime de tortura contra morador de rua Renan Souza, mais conhecido em Rio Branco como Nego Bau, foi condenado à pena definitiva de 5 anos de reclusão em julgamento realizado nesta terça-feira (28) como resultado da ação penal que tramitou na 3ª Vara Criminal de Rio Branco.

Nego Bau morreu no Pronto Socorro de Rio Branco no dia 15 de janeiro deste ano depois de dar entrada na unidade de saúde no dia 30 de dezembro do no ano passado com um dedo amputado, perfuração no pulmão e fraturas nas costelas, tendo sido encontrado na rua com sinais de ter sofrido agressão. Após a morte, a polícia passou a investigar o caso.

Identificado como sendo o responsável por decepar o dedo de Nego Bau, Jefson Castro foi preso pela Polícia Civil do Acre no dia 11 de abril em um estabelecimento comercial na Avenida Antônio da Rocha Viana. Ele gravou um vídeo praticando o ato de tortura contra o morador de rua e divulgado as imagens na internet causando grande repercussão em revolta em Rio Branco.

Leia Também:  TJ nega soltura do policial penal que atirou pelas costas e matou picolezeiro, em Rio Branco

Após a denúncia do Ministério Público, a defesa do acusado chegou a pedir a sua absolvição sumária, a desclassificação do crime de tortura para lesão corporal e a revogação da prisão preventiva, o que foi negado pelo juiz Cloves Augusto, que entendeu que havia indícios de autoria e materialidade do crime suficientes para o andamento da ação penal.

Na sentença proferida nesta terça-feira, o magistrado considerou excesso da culpabilidade do réu pela crueldade do crime praticado, tendo decepado o dedo da vítima utilizando-se de um terçado e ainda o constrangendo a pegar o dedo decepado para ser filmado no vídeo que estava gravando, obrigando-o ainda a dizer que tinha perdido o dedo porque havia “feito maldade”.

A pena-base de Jefson foi fixada em 6 anos de reclusão, mas por conta da atenuante da confissão espontânea do acusado, foi tornada definitiva em 5 anos de reclusão em regime inicialmente fechado. O réu também teve negada a substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de direito, além do direito de recorrer da sentença em liberdade.

Leia Também:  Senado acaba com autorização obrigatória do cônjuge para laqueadura

Com informações Ac24horas

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

POLÍCIA

Ação conjunta tira mais de 120 quilos de drogas das ruas de Cruzeiro do Sul

De acordo com informações do delegado Heverton Carvalho, os traficantes já vinham sendo investigados.

Published

on

Uma ação conjunta entre Policia Civil, PM, PF e GEFRON apreendeu 120kg de entorpecentes que serviriam para abastecer diversos municípios acreanos. A apreensão aconteceu no bairro Miritizal, segundo distrito da cidade. Um homem de 24 anos foi preso em flagrante e conduzido a sede da PF.

O traficante já era conhecido pela polícia. “A gente já vinha acompanhando-o e a polícia ficou sabendo, por intermédio da investigação, que ele receberia essa quantidade de entorpecentes que estaria descendo pelo rio e foi montado o cerco policial”, explicou o delegado.

Outra operação conjunta entre as Polícias Civil e Militar, neste fim de semana, resultou na apreensão de 9kg de maconha e na prisão de quatro peruanos em Marechal Thaumaturgo. A investigação aponta que o destino dessa substância seria Cruzeiro do Sul.

De acordo com informações do delegado Heverton Carvalho, os traficantes já vinham sendo investigados e assim que a Polícia Civil tomou conhecimento que eles haviam chegado na cidade, acionaram a PM e um cerco foi feito na hospedaria. “A partir desse cerco foi localizado no quarto deles essa quantidade de entorpecentes”, relatou.

Leia Também:   Justiça acreana condena 13 mulheres que tentaram entrar no presídio com documento falso

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI