Política

STF adia decisão de recursos de Gladson sobre operação da Polícia Federal

Published

on

A corte especial do Superior Tribunal de Justiça adiou mais uma vez o julgamento dos recursos do governador Gladson Cameli que estavam incluídos na pauta da reunião de ontem.

Com outros assuntos anteriormente listados, não houve tempo hábil na sessão para análise do caso que deve ficar para sessão do dia primeiro de junho.

ENTENDA O CASO

As investigações sobre o caso começaram com uma interceptação telefônica sugerindo que o governador teria recebido R$ 70.000 em propinas. A partir daí, a PF (Polícia Federal) encontrou um comprovante de transferência de um sócio de uma empresa de venda de medicamentos no valor de R$ 6.000 para o ex-chefe de gabinete de Cameli.

Depois, PF recebeu um relatório do Coaf apontando 20 comunicações financeiras suspeitas envolvendo o governador. De acordo com o órgão, transações fracionadas ultrapassaram os R$ 828 milhões. O caso foi revelado pelo jornal O Estado de São Paulo.

Segundo a PF, as movimentações “indicam, fortemente” que houve “branqueamento de capital”. A prática consiste em encobrir bens e rendimentos obtidos ilicitamente. O órgão afirma que foram identificados depósitos fracionados em espécie, uso de pessoas interpostas para pagamentos de contas pessoais, uso de laranjas em contratações imobiliárias e compras superfaturadas.

Leia Também:  Governo anuncia início de reforma nas emissoras públicas de rádio em Sena Madureira

O crescimento do patrimônio levantou suspeitas. Em 2018, quando concorreu ao cargo de governador, Cameli declarou R$ 202 mil em automóveis ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). De lá para cá, foi para R$ 1,6 milhão, de acordo com a PF.

Com informações Poder 360

 

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

Política

Comissões da Aleac aprovam auxílio alimentação de R$ 422 reais para servidores do ISE

Published

on

Os membros das comissões de Serviço Público e Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), aprovaram na manhã desta terça-feira (21), o projeto de lei de autoria do Poder Executivo que transforma a etapa alimentação em auxílio saúde para os servidores do Instituto Socioeducativo do Acre (ISE).

A proposta, que foi aprovada por unanimidade, prevê o pagamento no valor de R$ 422,39 aos servidores, que será pago retroativo desde o mês de março.

Quando a iniciativa foi aprovada em março para os demais servidores, o ISE ficou de fora. O relator da matéria, deputado Pedro Longo (PDT), frisou que a proposta tem o objetivo de corrigir a referida falha.

“Certamente o Estado não quis excluir nenhuma categoria, o que houve foi apenas um conflito no artigo que veda a acumulação, sem a devida observância às categorias que já recebiam Etapa Alimentação. Essa proposta corrige esse equívoco”, disse.

Os deputados também deram parecer favorável ao projeto de lei de autoria do Poder Executivo que “Altera a Lei no 2.180, de 10 de dezembro de 2009, que dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Servidores do Instituto de Administração Penitenciária do Acre – IAPEN/AC”.

Leia Também:  Brasil ganha 2 milhões de novos eleitores entre 16 e 18 anos

De acordo com o texto, a medida se justifica em razão da necessidade de ajustes quanto à proposição final da minuta, de modo a atender com maior eficiência e clareza a matéria intentada.

O Auxílio-Saúde será concedido aos servidores efetivos pertencentes aos grupos ocupacionais elencados no art. 60 desta Lei, no valor de R$ 422,40.

Assessoria

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI