POLITÍCA NACIONAL

Especialistas advertem sobre necessidade de vacinação dos pacientes oncológicos

Published

on

Elaine Menke/Câmara do Deputados
Audiência Pública - Imunização dos pacientes oncológicos. Helena Esteves - Coordenadora de Advocacy instituto Oncoguia
Helena Esteves: “é importante pensar em estratégias de imunização”

Os pacientes com câncer precisam ser vacinados, mas sob orientação médica, respeitando a condição de cada um. O alerta foi dado pela representante do Instituto Oncoguia, Helena Esteves, durante audiência pública da Comissão Especial de Combate ao Câncer da Câmara dos Deputados.

“O pensamento de que o paciente com câncer é uma pessoa muito frágil, muito fraca que não poderia se vacinar, isso não necessariamente é verdade. A gente tem vacinas especialmente desenhadas para pessoas com câncer, vacinas que vão beneficiar sim essa população. E exatamente por eles estarem em um momento fragilizado, é importante a gente pensar em estratégias de imunização”, disse Helena Esteves.

A paciente Daniela Catunda, que há sete anos faz tratamento contra o câncer, destacou a importância da imunização tanto para os pacientes quanto para os familiares.

“É muito importante a família se conscientizar de que ela precisa estar imunizada, porque tem contato direto com esse paciente. É quem acompanha no hospital, quem acompanha em casa, quem prepara o alimento, então essa família precisa estar imunizada”, defendeu.

Leia Também:  Eletrobras

O presidente da Comissão Especial de Combate ao Câncer, deputado Weliton Prado (Pros-MG), lembrou que a imunidade baixa dos pacientes oncológicos aumenta o risco de óbito, por isso a importância da vacinação.

“A vacinação é uma forma de imunidade ativa. Sabemos que um dos efeitos graves e invisíveis que mais afeta os pacientes oncológicos é a queda da imunidade. Essa condição afeta 34% dos pacientes com câncer de mama e mais de 50% dos pacientes com linfoma. A preocupação é que as infecções nesses pacientes causam maior possibilidade de morte e afetam os tratamentos”, disse o deputado.

Elaine Menke/Câmara do Deputados
Audiência Pública - Imunização dos pacientes oncológicos. Dep. Weliton Prado PROS - MG
Weliton Prado: “a vacinação é uma forma de imunidade ativa”

Segundo a representante da Sociedade Brasileira de Oncologia (SBOC), Maria Ignez Braghiroli, outro problema recorrente dos pacientes com câncer em relação à imunização é a falta de informação. Para minimizar isso, a SBOC lançou no ano passado uma cartilha tratando do tema, que está disponível na internet.

O Brasil tem atualmente 52 centros de referência de imunológicos especiais (CRIEs), onde existem vacinas adequadas para pacientes com várias enfermidades. Mas como eles não estão presentes em todas as cidades, os pacientes com câncer podem solicitá-las no posto de saúde da sua cidade. Para isso, é preciso apresentar o pedido médico e os exames laboratoriais.

Audiência Pública - Imunização dos Pacientes Oncológicos. Adriana Regina Farias Pontes Lucena - Representante do Ministério da Saúde
Adriana Lucena: a cobertura das vacinas está abaixo da média desejada

HPV
O Plano Nacional de Imunização conta atualmente com 22 vacinas que são disponibilizadas para a população em 38 mil salas de vacinação. Entre essas vacinas está a de HPV, que é responsável pela prevenção do câncer de colo de útero. Mas, segundo a coordenadora-geral do programa, Adriana Lucena, a cobertura de todas as vacinas está abaixo da média desejada, o que pode levar ao ressurgimento de doenças controladas ou erradicadas, como está acontecendo atualmente com o sarampo.

Leia Também:  Vacinação de profissionais da segurança pública é iniciada no Acre

“Essa vacina [do HPV] na rotina está ofertada para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14, mas infelizmente, como tem ocorrido com outras vacinas, ela também tem uma baixa cobertura vacinal. E é importante dizer para a população que é uma vacina segura e que previne uma doença grave que é o câncer”, afirmou.

Elaine Menke/Câmara do Deputados

Reportagem – Karla Alessandra
Edição – Pierre Triboli

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

POLITÍCA NACIONAL

Alexandre Kalil oficializa aliança com Lula em Minas Gerais

Published

on

source
Ex-presidente Lula (PT) e prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD)
Montagem iG / Fotos: Ricardo Stuckert/PR e BRUNO CANTINI

Ex-presidente Lula (PT) e prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD)

O pré-candidato ao governo de Minas Gerais e ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), oficializou nesta quinta-feira a aliança com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a disputa eleitoral do estado. Os dois partidos chegaram a um acordo após o PT retirar a candidatura ao Senado de seu líder na Câmara, Reginaldo Lopes. Em troca, vão poder indicar quem será o vice na chapa do ex-prefeito.

O nome de quem assumirá esse posto ainda não está decidido. Quem era cotado para ser vice de Kalil era o presidente da Assembleia Legislativa de Minas (ALMG), Agostinho Patrus, do mesmo partido do pré-candidato. Segundo Kalil, a definição do novo vice virá do deputado federal e estadual, mas precisará ser aprovada por ele.

“O Agostinho e o Reginaldo vão resolver. Depois dou meu aval”, disse Kalil ao GLOBO.

O impasse para formar um palanque entre Kalil e Lula acontecia porque ambos os partidos queriam manter seus candidatos ao Senado. Enquanto PT queria lançar Reginaldo, o PSD defendia ter o senador Alexandre Silveira para concorrer à reeleição.

Leia Também:  Deputados aprovam urgência para projeto que institui o Dia Nacional do Cristão; acompanhe

O obstáculo foi resolvido na semana passada após uma reunião de Lula com a presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), Reginaldo e lideranças do PSD.

Kalil usou suas redes para anunciar o acordo com o PT e compartilhou um vídeo com um jingle feito para a aliança com o ex-presidente.

“Em Minas é Lula e Kalil”, escreveu.

Com o acordo com o PT, Agostinho Patrus espera ser indicado a uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE). A indicação do posto, que está aberto, será da assembleia, onde o deputado tem forte influência.

Para a posição de vice, o PT avalia tanto o nome de Reginaldo quanto o deputado estadual André Quintão.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Leia Também:  Caso Silveira: Temer diz que STF é ponderado e não vai agravar crise

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI