POLITÍCA NACIONAL

Exposição “25 anos de imagens, sons e histórias” será aberta no dia 30 de junho

Published

on

A exposição 25 anos de imagens, sons e histórias, que comemora os 25 anos da Agência Senado e da Rádio Senado poderá ser vista presencialmente a partir de 30 de junho. A mostra reúne cenas emblemáticas, registradas ao longo desse período pelos repórteres fotográficos da Agência Senado, além de áudios de coberturas feitas pela Rádio Senado. A abertura está marcada para as 15h15, no espaço Senado Galeria, no corredor que liga o edifício principal do Senado ao Anexo 1.

— As 25 fotos da mostra resumem duas décadas e meia de um trabalho primoroso dos nossos repórteres fotográficos, que dão um show de competência e talento em meio a todos os percalços que sabemos haver nessas coberturas. Mas não só isso. Essas fotos reúnem também o trabalho nem sempre visual de repórteres, editores, desenhistas, operadores, estagiários, administrativo, todo mundo que compõe essa rede complexa de fazer notícias — disse a diretora da Agência Senado, Paola Lima.

As fotos da Agência aparecem na exposição ligadas a reportagens da Rádio Senado, que, assim como a Agência, registra diariamente a história do país por meio do trabalho do Legislativo.  Em cada foto, um QR Code vai direcionar para ao conteúdo feito pela Rádio Senado sobre o tema. Os áudios são de coberturas feitas ao vivo no momento de votações, de reportagens da Rádio Senado para a Voz do Brasil e de reportagens especiais, pelas quais a Rádio Senado recebeu inúmeros prêmios ao longo desses 25 anos.

Leia Também:  Em meio a discussão sobre aumento da miséria, Senado confirma salário mínimo de R$ 1.212

— Nesses 25 anos, a Rádio Senado testemunhou e cobriu vários momentos importantes da história do país. Selecionar as reportagens que compõem essa exposição significa percorrer capítulos dessa história, relembrar acontecimentos significativos para o Parlamento e para a Nação também. Então o trabalho de seleção que aconteceu em parceria com a Agência Senados teve como critério escolher os episódios que de fato impactaram a vida nacional e fazem parte da memória da nossa população — explicou Paola.

Para a diretora da Secretaria de Comunicação do Senado, Erica Ceolin, a existência dos veículos de comunicação do Legislativo é reflexo direto das aspirações democráticas expressas na Constituição de 1988. Um dos princípios que norteiam esse trabalho é o da democratização da informação.

— Assim nasce a ideia de mostrar o Parlamento, sem filtro, durante 24 horas para o cidadão. São os principais fatos que marcaram o Senado Federal nos últimos 25 anos, a transformação histórica do país que reaprendia a caminhar após a reabertura politica até a efervescência dos dias atuais, que estarão mostrados ali para memória e reflexão do público — afirmou Erica.

Caminhando pela História

A exposição que será aberta no dia 30 para o público é a versão física da mostra, que foi inaugurada em meio digital em fevereiro. A coordenadora da mostra, Pillar Pedreira, explicou que a exposição presencial precisou ser adiada em respeito às medidas sanitárias estabelecidas pelo Senado contra a covid-19. Para ela, a mostra física vai dar ao visitante a sensação de caminhar pela história.

Leia Também:  Eletrobras: assembleia sobre aporte de Furnas é adiada para 6 de junho

— A exposição física continuou sendo importante para a gente porque coloca o observador mais próximo do sentimento que cada foto e história instigam. Seja pela lembrança do fato histórico, seja por imaginar como seria aquela situação. Esse é o motivo de optarmos por fotos grandes e com as características do equipamento fotográfico da época, a limitação tecnológica também posiciona o observador na linha do tempo. Toda a exposição segue uma cronologia e a pessoa vai caminhando pela história — disse a coordenadora da mostra.

O objetivo da exposição, segundo Pillar, é demonstrar a integração que ocorre entre os veículos, com a ligação entre a fotografia e o áudio feito na época. Essa disposição segundo a coordenadora, mostra como o trabalho dos dois veículos converge e como o cidadão pode acessar a notícia por diferentes maneiras e formatos.

A seleção das fotos foi feita pelo coordenador de fotografia da Agência Senado, Leonardo Sá. Para escolher o que seria mostrado na exposição, ele  analisou um acerco de mais de 2,5 milhões de fotos. Como exemplos de momentos que estarão retratados na exposição, ele citou a PEC da Reeleição, em 1997; a Reforma da Previdência de 2003; a Lei Maria da Penha, em 2006; as manifestações populares de 2013; o impeachment da ex-presidente Dilma Roussef, em 2016 e diferentes comissões parlamentares de inquérito que ocorreram nesses 25 anos.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

COMENTE ABAIXO:
Advertisement

POLITÍCA NACIONAL

Castro oferece Senado para Crivella desistir de tentar governo do RJ

Published

on

source
Castro oferece Senado para Crivella desistir de tentar governo do RJ
Reprodução: Commons – 10/05/2022

Castro oferece Senado para Crivella desistir de tentar governo do RJ

A disposição do ex-prefeito do Rio Marcelo Crivella (Republicanos) de voltar à cena política, cogitando até uma candidatura ao Palácio Guanabara, despertou uma reação do governador do Rio, Cláudio Castro (PL), que agora tenta atraí-lo para sua chapa à reeleição como candidato ao Senado. Nome do campo da direita com o apoio do presidente Jair Bolsonaro (PL) ao estado, Castro teme que Crivella, bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, conquiste o eleitorado evangélico.

O ex-prefeito formaria mais um palanque para o governador e integraria uma proposta ainda mais conservadora do que a hoje representada pela aliança com Romário (PL) — candidato ao Senado da coligação.

Para evitar que as candidaturas de Castro e Crivella concorram concomitantemente e dividam eleitores, lideranças do PL prometem aumentar o espaço do Republicanos em um eventual próximo mandato do governador, caso o ex-prefeito do Rio desista do Guanabara. Atualmente, o partido ligado à Igreja Universal comanda a Secretaria estadual de Assistência Social e é responsável por nomeações na pasta de Administração Penitenciária.

Marcelo Crivella
Fernando Frazão/Agência Brasil

Marcelo Crivella

A proposta encontra amparo na decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que decidiu que partidos de uma mesma coligação podem lançar mais de um candidato ao Senado. No entanto, é vista como uma espécie de traição a Romário, colega de partido do governador.

Leia Também:  Expoacre 2022: 80% dos espaços do parque de exposições devem ser demolidos

Mesmo liderando as pesquisas de intenção de votos para o Senado, o ex-jogador não conta com o apoio de membros da chamada ala ideológica do governo Bolsonaro, que defendem o lançamento de uma candidatura que levante a bandeira das pautas de costumes. Para o chamado “bolsonarismo raiz”, o grupo político do presidente seria mais bem representado por Crivella.

Apesar do desejo de concorrer ao governo e de ser bem-visto como um nome ao Senado, Crivella esbarra em resistências internas no Republicanos. No cálculo mais conservador de alguns nomes do partido, uma candidatura do ex-prefeito à Câmara dos Deputados significaria um voo mais tranquilo para Crivella e para o partido, além de garantir um número maior de parlamentares na bancada federal.

Nos bastidores da legenda, o presidente nacional da sigla, Marcos Pereira, tenta controlar as pressões de deputados que contam com os votos amealhados por Crivella e a vontade do próprio ex-prefeito, que não esconde o desânimo com a possibilidade de concorrer a deputado.

Procurado, o ex-prefeito não respondeu aos pedidos de entrevista. Pereira afirmou que, por ora, ainda não há nada definido.

Leia Também:  Eletrobras: assembleia sobre aporte de Furnas é adiada para 6 de junho

De olho na vaga de vice

A vaga de vice na chapa de Castro também entrou em discussão diante da tensão entre o governador e Washington Reis (MDB), cotado para o posto. Na última semana, durante a eleição do novo conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE), eles seguiram caminhos diferentes, o que fez com que vários partidos oferecessem nomes para a composição.

O próprio Republicanos sugeriu para vice a deputada Rosângela Gomes, enquanto o União Brasil, que aguarda a definição da elegibilidade de seu pré-candidato ao estado, Anthony Garotinho, acenou com Marcos Soares, Fábio Silva e Daniela do Waguinho. Nome que agradava a Castro, o deputado federal Dr. Luizinho (PP) tentará novamente a Câmara e será puxador de votos.

O impasse entre Castro e Reis, no entanto, parece apaziguado. Os dois participaram de agenda na última sexta e reiteraram a parceria.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

COMENTE ABAIXO:
Continue Reading

RIO BRANCO

POLÍTICA

POLÍCIA

ACRE AGORA

MAIS LIDAS DA SEMANA

Botão WhatsApp - Canal TI
Botão WhatsApp - Canal TI